Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 21-01-2019 in all areas

  1. 4 points
    Uma das espécies mais procuradas pelos brasileiros tem suas peculiaridades; confira! A versão de que tucunaré significa “amigo da árvore” é contestada. A espécie é uma das mais queridas no Brasil Confira sete curiosidades sobre o tucunaré! 1 – Amigo da árvore? Será? Alguns acreditam que o significado de tucunaré seja “amigo da árvore”. No entanto, de acordo com o pescador e ambientalista Domingos Bomediano, esta definição estaria equivocada. Na verdade, segundo ele, o peixe se assemelha à palmeira “tucum”. Por isso também teve a designação tupi de “semelhante ao tucum”. 2 – Os tucunarés são encontrados em praticamente todo o Brasil. Apesar de em alguns estados, como o Rio Grande do Sul, terem pouquíssimos relatos de capturas. Os estados da região Norte e Nordeste são os que possuem as maiores espécies, como açu e pinima. Enquanto que os do Sudeste e Centro-Oeste possuem os “populares” azul e amarelo. 3 – Os tucunarés são considerados os grandes responsáveis pela disseminação das iscas artificiais no Brasil. Isso se deu porque são predadores agressivos. Eles habitam locais de águas tranquilas, como lagos de hidrelétricas e represas nas regiões Sudeste e Centro-Oeste. 4 – A temporada de pesca do tucunaré-açu começa em setembro e termina em abril no Amazonas. O estado recebe milhares de visitantes (sendo 95% oriundos dos EUA). Os estrangeiros injetam quase R$ 20 milhões na economia local todos os anos, segundo a Amazonastur. 5 – O tucunaré-açu é um dos mais cobiçados por ser o maior de todos os tucunarés. É também um predador que exige muita habilidade e um bom equipamento para ser capturado. O recorde, segundo a IGFA, é de um exemplar de 13.19 kg pescado em Santa Isabel do Rio Negro. O autor foi Andrea Zacherrini, em 2010. 6 – Além do Amazonas, outros dois locais muito visitados para a pesca aos tucunas é o Lago de Serra da Mesa, em Goiás, e o Lago do Peixe Angical, em Tocantins. No entanto, nestes points é o tucunaré-azul o protagonista. 7 – O recorde do tucunaré-azul está empatado, com dois exemplares de 4.54 kg. Um pescado no Lago do Peixe, outro em Serra da Mesa. http://pescaecia.com.br/2018/12/20/curiosidades-tucunare/?fbclid=IwAR3gcE9LSA5e74VpVknkSnIugNsJ33zbHPNfd0V3P3r8UQovwGp_nZzAe1M Compartilhei também no Facebook: https://www.facebook.com/bomediano.pescaki?__tn__=C-R&eid=ARDaEcgj0HgCo4g96uoC1rQXXmSW4tEBK0T1iAb46motk8bC1OZb3dWKjJ3n5vYR4nFOgIWayKt9YoA3&hc_ref=ARRnotFs4GP_FGXkUS0D9iBbXMTqrgpLVAaqLSWTeXpzlDEl3sMTv8mtrevdTR13U50&fref=nf&__xts__[0]=68.ARDMIdHNRIgV39TXkYaj8wTobpgIwfUaYg1z468gmK4ZwKla0dlLZg0w1pKucVrQm4uOgNCWIjhV326TrrgbyReqpXSfHnY6-y4zcHrCJ1pPuocyIIGulWH9Es92aWSn08hwR9sYxRxTC-SA6Vg2x7qlZvifMH0tHo5wWAu8obCfIiQpSIpwzHSt76BH5w8JbYhg-v0xoegQq6bmaIKS4ZHOfUA0lH_FbJiJEkgEGYYTCvupj6jVA_MwCV4JgI4ruB4PMLREN49gIlBDuUfSk2bF2E-0h9msHivClkcWu6SO6SGWm400F7BC7irTRnZ3Qyx5HmcpyQQrMXxrCO8IXfha6A Como se pode ver, minha tese sobre o significado da palavra "tucunaré" segue sendo desvirtuada até hoje... rsss Para quem quiser conhecer um pouco mais desta história, está tudo registrado neste tópico:
  2. 4 points
    Primeiro tucunaré azul da vida, nos primeiros arremessos....do primeiro dia....em breve relato completo (tem mais dois dias pela frente)
  3. 3 points
    Tinha um pintinho q se chamava Relam. Toda vez q chovia, Relam piava! Direto do guia de piadas horríveis rsrsrs
  4. 3 points
    Fala Pescadores! Deixo aqui meu humilde e emocionante relato com a primeira experiência com iscas artificiais: Assim como a maioria dos amigos pescadores, comecei muito pequeno a pescar com meu Pai e meu Avo, íamos praticamente todos os dias no Rio do Peixe aqui no ladinho da minha cidade Arroio Trinta Santa Catarina, sempre pescávamos com isca natural, Carpas, Jundiás e Lambaris, bom, infelizmente a alguns anos meu Pai veio a falecer, e meu Avo também, com isso deixei a pesca um pouco de lado e esporadicamente ia ao rio pescar, sempre fui extremamente apaixonado pela pesca, enfim, a um tempinho vinha vindo assistindo muitos videos de pescarias de traíras, saicangas e jacundás com artificias, pois aqui na minha região, meio Oeste Catarinense é o que temos de predadores nos nossos rios, mas aqui á muita pesca predatória, e então mesmo querendo muito investir em um equipamento bom e iscas artificias para pescar aqui nos rios, não sabia se valeria a pena pois pela pesca predatória dos rios não imaginava que teria peixes bons, e boa produtividade por aqui, principalmente a Traíra! Mesmo assim resolvi investir nas tralhas, vou deixar aqui em baixo o que comprei, chegou semana passada e hoje tive tempo para ir no Rio, cheguei por volta das 7 horas da manhã, fui em um lugar que imaginei poder ter alguma traíra, mesmo desacreditando ter aqui, acreditando mais ter Jacundás e Saicangas que dão boas emoções também, bom, coloquei uma Inna 60 corpo branco cabeça vermelha e bora para os arremessos, depois de uns 15 minutos insistindo bate na isca essa Traíra, acredito que seja a Tornasol, e dale briga com a bixinha, com a varinha 12lb envergando nem acredite, quando pulou, erra uma traíra monstrinha, tirei da água e nem acredite, linda traíra, cheguei a ficar emocionado, que ótimo que ainda exista bons peixes por aqui, valeu totalmente o meu investimento, fotografei e devolvi para a água, para me dar ainda mais alegria por um bom tempo, logo depois peguei uma saicanga pequena e um jacundá, todos devolvidos para a vida! Bom, tive que compartilhar com os amigos essa bela esperiência, que para mim foi o troféu da minha vida, primeiro peixe na artificial, uma Traíra de uns 45 centímetros, linda, não tem preço que pague essa emoção, agora bora capturar mais delas, pesque e solte sempre! Equipamento: Vara: Lumis Intense 5'8 4 - 12 Lbs Carretilha: Marine Sports Brisa Lite 11000 Linha: Multifilamento Marine Sports Saigon Pro Line X4 20 Lbs Leeder: Saigon Pro Line Power Leader 100% Fluorcarbon 23 lbs Local da pesca, fundo é lage com muitas pedras, aproximadamente 1 metro de fundura, muito bom para as Tornasois:: Troféu, Traíra Tornasol, aproximadamente 45 centímetros de comprimento, infelizmente ainda não tenho a alicate de contenção, tenho que comprar URGENTE: E para alegrar ainda mais a pescaria, um Jacundá e uma Saicanga: Bom amigos é isso, se alguém tiver dicas de iscas, tamanho, cores e trabalho das mesmas que seja bom para as Tornasois de rios, fico agradecido, pois quero fazer mais uma comprinha de umas dez iscas, para escolher as melhores, já que tenho que comprar a alicate de contenção, aproveito pegar mais umas iscas junto, isso vicia!!! Grande Abraço a todos! Pesque e solte SEMPRE!
  5. 3 points
    Tive o grande prazer de poder gravar este vídeo com meu pai. Nada melhor, não é amigos?
  6. 3 points
    Pescaria com os bolonheses: uma carpa de 6,3 kg capturada com uma bolonhesa de cinco metros e um terminal de 0,14 mm me manteve em jogo por um longo tempo antes de poder levá-la à rede, grande peixe e muita satisfação! Boa visão
  7. 2 points
    - Como o Sr. se chama? - Rafael, sem "W". - Mas Rafael não tem "W". - Foi o que eu disse.
  8. 2 points
  9. 2 points
    Guarda: - Senhor, essa vaga é para deficientes. Motorista: - Eu discuto sobre política em site de pesca. Guarda: - Mil perdões.
  10. 2 points
    Eita! Ótima reportagem. Tucunaré ou Tucunafrente, não vai deixar de ser um dos mais esportivos peixes do Brasil.
  11. 2 points
  12. 2 points
    Ganhei mais uma na rifa: Abu Garcia Revo3 Rocket.
  13. 2 points
    Buenas, amigos pescadores. Esta é sobre a minha primeira pescaria no Rio Uruguai, em um lugar que há muito queria conhecer, a pequena porém bela Porto Xavier, na Divisa do Rio Grande do Sul com a Argentina, Região das Missões. Em setembro passado, na segunda quinzena do mês, aproveitando uma viagem a trabalho, emendei uns dias de folga, para conhecer a Pousada do Biguá, do amigo Sandro. A pousada fica no centro da cidade. Pela manhã os barcos saem da rampa do porto e sobem uns 20 minutos até os pontos de pesca. O almoço geralmente é em algum sítio na beira do rio, tudo previamente acertado. Não é nenhum resort de luxo, mas tem o conforte necessário para boas noites de sono, ótima comida, embarcações seguras e ótimos guias. Na foto abaixo, uma lembrança de outros tempos, quando o dourado e o pintado (surubim) não eram protegidos no Rio Grande do Sul: Coitada da minha filha, levou um baita susto quando olhou para cima. Pescamos por dois dias e meio em uma situação complicada: Chuva no primeiro dia, água mais turva do que o esperado para a época e ainda um frio teimoso, já que o inverno passado foi bem longo no Sul. O foco principal eram os dourados, mas pedi para o guia cevar um ponto para tentarmos umas piaparas (piavas) também. Além de nós, havia outra embarcação com pescadores paranaenses. Em resumo, não saiu nenhum gigante, mas não faltaram ações. Navegando para o ponto, com o guia Mauro. Frio e tempo fechado. Rio Uruguai em um trecho de remanso. Os pontos de pesca ficam em locais com bastante corredeira. Começamos pescando com tuviras. Poucas ações pela manhã e nenhuma captura. Após o almoço, tentamos com iscas artificiais. Testamos alguns modelos até chegar na inna 90. Com ela não falhava uma rodada! Sempre tinha ação, na maioria das vezes com o dourado escapando no pulo. Tivemos 3 capturas naquela tarde, mas de exemplares pequenos. Tentamos as piaparas, mas sem sucesso. Primeiro douradinho, um bebê. Esse aí, já um pouco melhor. Não tirei foto da terceira captura, mas estava no mesmo padrão. No segundo dia o tempo melhorou e a água começou a baixar. Novamente só queriam a inna 90. Como a água estava mais limpa, dava para ver alguns ataques. Algumas vezes dois exemplares atacavam ao mesmo tempo, mas sempre peixes pequenos. Muitas fugas no pulo; perdi a conta de quantas. Também tentamos na isca viva para tentar um exemplar maior, mas só achamos pequenos. Neste dia nos dedicamos um pouco mais às piaparas. Embora não fosse a época, eu queria muito fisgar uma. Depois de um tempo, conseguimos: Pequena para os padrões do Rio Uruguai, mas já foi uma excelente briga. No último dia, pescamos só pela manhã e nos dedicamos aos dourados com iscas artificiais. Novamente a inna estava imbatível para atraí-los, mas a grande maioria escapava. Só capturamos um, mas foi o troféu da viagem: A outra embarcação alcançou mais ou menos a mesma média, porém usaram apenas iscas vivas. Foi abaixo da média do lugar, mas acima da média da maioria dos rios brasileiros. Uma baita diversão, mesmo o tempo não colaborando. Afinal, melhor um dia difícil de pesca do que um bom de trabalho rsrsrsrsrs. Destaco a dedicação do Sandro e dos guias em bem atender e encontrar o peixe. Ver a vontade deles nos anima naqueles momentos em que o peixe resolve não atacar. A temporada 2019 promete, ainda mais agora que estou morando no beira do Rio Uruguai. Grande abraço e sorte a todos! Equipamento: - Para iscas vivas, usei vara Hunter Fish 30lb com carretilha Lubina Ocean Big Game, com multifilamento 40lb, leader de fluorcarbono e empate de um palmo; anzol 7/0. (Era o que eu tinha à mão, mas para rodada com iscas vivas, prefiro monofilamento. Tenho a impressão que enrosca menos) - Para iscas artificiais, usei vara Black Widow, com carretilha Lubina GTO, com multifilamento de 30lb, leader de fluorcarbono e empate de uns 10 cm. Testamos várias iscas e tamanhos, mas tivemos resultados (e muitos) na Inna 90 pro tunned na cor vermelha e branca. Para as próximas pescarias, troquei as garateias por anzóis singelos. Espero que a média de capturas melhore já que com as garateias, consegui embarcar 1 em cada 3 fisgados. - Piaparas: Vara evolution 14lb com molinete e multifilamento de 20lb, fluorcarbono de 30 lb e anzol chinu número 5. Usamos milho cozido como isca. Interessante é que por aqui alguns guias evitam usar quirela de milho como ceva, para atrair menos "roedores", como os piaus. Até a próxima!
  14. 2 points
  15. 2 points
    Fala Galera, raramente acessando o Pescaki e raramente fazendo um videozinho, to passando aqui pra dar sinal de vida e postar esse que consegui fazer enquanto estava de férias ... uns trickzinhos no mangue, no stick. Gambiarra total, lente xing ling da 25 sobre a lente da câmera pra abrir o ângulo, e quando o sol batia refletia no mofo da lente rs, mas deu pra ver o ataque na superfície do segundo e terceiro .. e escutar uma batida errada antes do segundo robalinho. Quem puder se inscrever no canal, fico agradecido, e assim que possível vou tentar fazer mais uns videozinhos rs Abraços https://www.youtube.com/watch?v=eZPufyIfB1E
  16. 1 point
    Oi gente esse é meu primeiro tópico e gostaria de saber como esta a pesca de tambas no tancão do Maeda, quais iscas estão pegando mais, se esta saindo na anteninha, e quanto ta a ceva no Maeda pq faz muitos anos que não vou no tancão
  17. 1 point
    Boatos de que foi atacado por uma traíra
  18. 1 point
    Não acorda, pesca quietinho.
  19. 1 point
    Resumindo: Eram enormes...foram ficando menores...depois começaram a ficam grandes de novo
  20. 1 point
    Ouvi a seguinte esses dias, meninos andam de Opala, meninas de HB20 rsrs
  21. 1 point
  22. 1 point
    ola amigo! geralmente usamos varas curtas ja que pescar no mar de caiaque poucas vezes ficamos de pe´ ,leve dois conjuntos um pra isca artificial[ camarão jumping jig etc] e outro pra isca morta de sua preferencia ja tudo cortado . a forma de fazer os empates pra isca morta vai do seu gosto mesmo, pra isca artificial use um snap com girador isso facilitara na hora de trocar as iscas ! não esqueça de amarrar tudo no caiaque use o colete , leve tambem uma caixa termica pra guardar agua,lanche, frutas etc. eu uso uma de 12lts mas depende o quanto vai levar e o tempo de pescaria , o mais dirvirta se com essa modalidade que cada dia cresce mais . se vc for alugar um caiaque peça pra pessoa te dar algumas dicas tambem e se puder ir acompanhado melhor!
  23. 1 point
    Beleza. Quem sabe nos trompamos em alguma pescaria neste ano.
  24. 1 point
  25. 1 point
    Muito legal e, o que mais importa neste caso, não é nem os tamanhos dos peixes, mas sim o tamanho do convívio entre Pai e Filho. Parabéns aos dois por poderem desfrutar de algo tão especial.

Parceiros: www.petsEXPERT.pt