Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 26-07-2019 in all areas

  1. 8 points
    Recebi recentemente um exemplar dessa diferente carretilha. Originária da África do Sul, não vejo na internet mais qualquer citação a esse fabricante (Phoenix Grizzly), que provavelmente fechou as portas já há algumas décadas. O chassi era feito em uma única peça que incorpora o Reel Foot. Bem resistente. Era uma carretilha feita para favorecer o arremesso. De fato, dizem que é possível alcançar mais de 240 m usando um chumbo de 150 g. O estilo lembra bastante os antigos Grice & Young Orlando. Porém, esses não tinham qualquer multiplicação no recolhimento nem drag, eram direct drive. A Phoenix tem relação de recolhimento de 2,25 : 1 e possui um Star Drag funcional. Para arremessar, bastava destacar o carretel da posição de recolhimento e prendê-lo no bico. Retira-se a linha da guia e segure com o indicador, como em um molinete. Procedimento bem simples, que é feito com uma só mão. Dessa forma, arremessa como um molinete comum mas recolhe como uma carretilha. Mais ou menos como uma Alvey, com a diferença que nas Phoenix é mais simples evitar a linha torcida, bastando para isso inverter o carretel a cada arremesso. Uma ótima idéia. Era feita para se usar em praias e costões, com material muito resistente à corrosão marinha. Tem 4 rolamentos inox, engrenagens de Acetal, os washers do Drag são de Tufnol, todos parafusos de aço inox, o metal exposto de bronze cromado, corpo e carretéis em grafite. De fato, tem pouca coisa aí para se ressentir do sal. E cabe linha pra dedéu. 400 m de mono 20 libras. Um bom acréscimo à coleção. Porém, ainda pretendo usá-la em campo. Quero verificar melhor o conceito. Vinha junto um pequeno folder com explicações. Pouco se encontra na internet sobre essa carretilha apesar de ter sido uma boa idéia de engenharia. Me pergunto porque não vingou, me pareceu bem inovadora. Aqui, uma reportagem da Sea Angler Magazine de 1996. E assim foi. Mais um pouquinho de história e do universo dos equipamentos de pesca. Até a próxima.
  2. 4 points
    Buenas pessoal, seis meses depois de encontrar os tucunarés pela primeira vez, resolvi voltar ao Tocantins, mas dessa vez a jornada foi meio frustrada, devido aos ventos que atrapalham muito a pescaria, dificultando a navegação e não deixando a água esquentar, limitando a pescaria a pequenos períodos, início da manhã e do meio pro final da tarde. Eu deveria ter esperado pra ir em janeiro, mas paguei pela ansiedade. Mas, mesmo assim, melhor dias ruins de pescaria do que dias bons de trabalho, seguem algumas fotos dos melhores peixes. Dessa vez não encontrei os azulões, mas saíram alguns amarelos e também achamos as corvinas. Valeu pelo descanso e pela primeira pescaria a bordo de um Bass boat. Fica a dica, não vale a pena ir entre junho e setembro. Destaque para duas iscas novas que levei, rapala x rap sr 10, rosa de barriga branca, garantiu metade das capturas, porém quase perdi o maior peixe da pescaria isso que era um azul de no máximo 40cm, mas que abriu a argola da garatéia, por sorte já dentro do barco (o guia havia me orientado a trocar, mas acabei esquecendo); e a Ocl spitifire 75, onde tive boas ações de superfície, mesmo com as más condições.
  3. 3 points
    Neandertais amavam pescar https://exame.abril.com.br/ciencia/neandertais-amavam-pescar-e-so-sabemos-disso-por-causa-de-seus-ouvidos/ Foi encontrado também o material de pesca.
  4. 3 points
    orrraaa .... convida eu ....
  5. 3 points
    I.A. na veia, mas não sou purista, uso até "carduminho" se precisar, as cachorras piram .
  6. 3 points
    Sim, o jeito que o peixe joga os caras na borda do barco é lindo....kkkkk
  7. 3 points
    isso parece falso .... naquele tempo não tinha arame ....
  8. 3 points
    Tinha combinado com o Jackson para irmos pescar num local onde ele pesca faz tempo, promessa de grandes tucunas. Lugar promissor, cerca de 1 km do rio teles pires e 25 km de casa. Peixes muito manhosos, o maior rala pra entrar no plug, só queriam spiner. Depois das 9 melhorou um pouco, mas ainda estavam muito desconfiados, só acompanhavam as iscas. Pra nossa sorte alfuns pequeninos não resistiam e atacavam. Tentei ate nos lugares mais difíceis. E valeu a pena. Mudança de represa, segundo o proprietário tem muitos tucunarés grandes. E tinha mesmo, bem grandes, mas so acompanhavam e nao atacavam. Um deles entrou no jig, levou embora pra estrura e se soltou, deixou o lider e a multifilamento toda desfiada. Eu tinha acabado se perder um shad pra um peixe, pensei até que fosse piranha, a traíra esfomeada foi capturada pelo Jackson com o shad na boca. O Jackson guardou iscas e linha solta na mochila, ficou uma beleza. Hora de partir, o grandão fica pra próxima, até pessoal.
  9. 3 points
    Penso o mesmo que os colegas @Atilio Valnez e @Domingos Bomediano, seria bom se fosse tão simples assim, alguém escreve algo em um papel e tudo se resolve. Pra mim tudo se resume a leis mais duras e fiscalização mais eficiente. Todos se lembram do que aconteceu em Santa Catarina, cidadãos se tornaram bandidos porque tiveram uma oportunidade com a certeza da impunidade.
  10. 3 points
    Acreditem kkkkk (não é história de pescador) kkkkk De vez em quando vejo tucano, papagaio e saguis nas árvores da rua de casa aqui na capital de São Paulo. (Prox. ao Consulado Americano) kkkkkkkkkkkkkkkkkkk A natureza é bela e forte. Jacutinga.....muito bonita! Deu nome até a cidade do interior de São Paulo. Grande abraço a todos.
  11. 3 points
    Eu pescava num grande lago a beira de uma estrada que pertencia a uma empresa,eram pouquíssimas pessoas que pescavam e os seguranças avisavam que era só não ficar jogando lixo e não entrar para nadar que o patrão não se importava que ficassem pescando. O lago saia belos trairões e pacu e um pescador esportivo pediu permissão para a empresa para soltar tucunarés no lago e foi dado o OK ! Mas sabe como é,sempre aparecem grupos de tontos,bêbados e drogados que iam para fazer baderna e ficavam nadando no lago,mesmo com o aviso dos seguranças e placas informando as normas,com isso o dono da empresa vendo a situação não permitiu mais ninguém nas redondezas do lago. Depois de uns 4 anos um colega passou pelo lago e viu cardumes de lindos tucunarés e logo o carro da segurança encostou e foi convidado a se retirar do local. Na memória só me restou a foto.
  12. 3 points
  13. 3 points
    Esta nobre preocupação levantada pelo amigo é relevante demais, nem cabe discutir como seriam nossos estoques de peixes se houvesse preservação. Mas vejo que o problema vai bem além disso. Não bastasse a falta de cultura e educação ambiental, sobram ignorância e desinformação, além de mau caratismo e inexistência/ineficácia de fiscalização efetiva. Dois exemplos clássicos do RJ: baía de Sepetiba e o sistema lagunar e mangue de Jacarepaguá. Um com sobrepesca desenfreada há décadas e o outro, vítima do crescimento desordenado e sem qualquer medida para adequação dos esgotos dos condomínios da Barra lançados in natura no mangue. Isto sem falar na baía de Guanabara, que tem os dois lados da moeda: enormes e abundantes exemplares variados nas APA's da Marinha e poluição desenfreada advinda de esgotos e indústrias. Isso atesta que nem um salva sozinho a situação nem o outro é o único responsável pelo sumiço dos peixes.
  14. 3 points
    Já estou criando.
  15. 3 points
    Não custa passar uns dias fazendo uns arremessos
  16. 3 points
    ooorraaaaaa .... nunca me convidou .... magoou agora ... nem presentinho ....
  17. 3 points
    Foram inúmeros os colegas daqui do Fórum que conheci pessoalmente. Muitas pescarias organizei ou fui convidado a partir de conhecidos daqui, o Pescaki. Entre 2008 e 2010 fazíamos jantares, onde nos conhecíamos pessoalmente (os de SP, claro), e onde sempre havia distribuição de brindes pois muitos dos que iam eram da área de comércio da pesca esportiva. Era um monte de iscas artificiais, linhas, luvas pega peixe, lanterninhas.... Por isso também estranho as brigas. Talvez a falta de gentileza seja um sinal desses tempos bicudos que atravessamos. Mas também acho que Daiwa e Shimano nem chegam aos pés das Alvey...
  18. 2 points
    Acabei de almoçar, mas aceito todas!
  19. 2 points
    Na verdade, penso que não passa nada... kkkkkkk
  20. 2 points
    Eu nunca faria só por isso. Tinha de ser a paisagem + umas taças de vinho + truta defumada com tábua de queijos.
  21. 2 points
    Isso acontece e muito por aqui, pesco corvina de caiaque e com jig e quando acho elas os barcos ficam todos do meu lado ... já chegaram uma chumbada na popa do caiaque ... na hora dá vontade de ir e dar uma remada num individuo desse, mas apenas saia de onde estava pescando e ia pra outro lugar ... complicado viu ... mas, fazer o que, existem pescadores e pescadores ...
  22. 2 points
    Como moro no centro de sp, frequento bastante pesqueiros da regiao! realmente tem muitos que sao artificiais... mas sinceramente... outro dia fui pescar na represa billings... tudo sujo, rede armada... barracao de invasao la no meio da represa... tirando que as margens tudo suja de lixo, aonde tem acesso varios daqueles galhos com linha.... tripas de peixe no chao... Ja em ALGUNS pesqueiros, posso ir sosegado ( pesco de sexta) , costuma ser vazio, me sinto mais seguro, com muito mais acesso as facilidades do dia dia... Porem concordo que ver o sol nascer de dentro da lancha indo pro meio do mar eh muito mais prazeroso... como o forista ja comentou em cima, em pesqueiros praticamente so pesco de ultralight... hoje em dia minha alegria eh fisgar uma melosa =).
  23. 2 points
    Concordo 100%, nos pesqueiros vc não tem a natureza exuberante, lá é um ambiente artificial, não chega nem aos pés. Concordo tb nesse aspecto, a natureza perto das grandes cidades está tão esgotada, tão sofrida que é bem comum irmos aos rios, lagos e represas e voltarmos sapateiros, ou quando muito pegarmos micro traíras, micro tucunarés, tilapinhas pequenas, micro robalinhos, etc...ou seja, aquele peixe empolgante, aquele troféu é lembrança distante, tão difícil quanto ganhar na megasena. Então para quem não tem como fazer grandes viagens para buscar os peixes (cada vez mais distantes) os pesqueiros, mesmo com todos os contras que existe, é uma solução para continuar praticando a pesca. Somente os grandes pesqueiros, famosos e que tem peixes realmente gigantes é que ocorre esses fatos (brigas, filas, etc), existem muitos outros menos famosos e que tem peixes um pouco menores onde o ambiente familiar ainda é preservado. A saída que encontrei, para continuar praticando a pesca, é sair para alto mar (poucos pescadores tem coragem e muitos que tem coragem enjoam e não voltam mais) onde ainda encontramos bons peixes (mesmo que numa frequência bem menor que no passado), é buscar as lagoas particulares onde somente os amigos dos donos podem pescar e os pesqueiros menos famosos, onde adequando o material ao tamanho dos peixes consigo encontrar uma esportividade empolgante. É uma tristeza para mim que tenho 51 anos de idade e conheci como era no passado, ver como a natureza está sendo dizimada pelo Homem, a continuar assim, acho que só restará pesqueiros ou ir para outros países...
  24. 2 points
    Boa hahaha, Até em Aquário, Realmente mar é top de pescar porém a distância e o financeiro não ajuda , aí uma opção perto e barato foi o Jaguari menos de 20 km da minha casa
  25. 2 points
    Preferencia é pelo mar, sempre ! Porém os pesqueiros são uma ótima opção para quem não tem mar, rios e lagos à disposição, como no meu caso A ideia que em pesqueiro os peixes estão confinados e é fácil pegar nem sempre é real, já sai sapateiro muitas vezes, e vi muitos pescadores saírem sapateiros também. Todo tipo de pescaria requer um minimo de conhecimento, não tenho nenhum tipo de restrição, me chamou para pescar até em aquário eu pesco
  26. 2 points
  27. 2 points
    Na verdade, Mauricio, o que estamos buscando é um consenso de cota zero para transporte, mas não para o consumo de um ou dois peixes por dia na barranca. Considero ideal este método, vez que contrastando com a falta de fiscalização lá no rio, há sempre a fiscalização em locais estratégicos para evitar o transporte. Como pode ver, o problema maior está sempre na falta de fiscalização e má conduta do pescador brasileiro, bem como dos pescadores profissionais, que muitas vezes sequer são assim qualificados. Contudo, a ideia não é bem aceita pelo empresariado da área de hotelaria por entender que haverá perda de clientela, o que não ocorre em alguns locais onde este sistema já funciona. E, obviamente, onde houver alguma perda será apenas questão de tempo para uma rápida adaptação.
  28. 2 points
    Eu sou adepto da ideia de que se proibido para um, proibido para todos! O problema da instituição "Cota Zero" é a questão social, que sempre acaba prejudicando os andamentos dos projetos e legislação pertinentes, de sorte que o tempo vem nos informando que não basta apenas legislar criando a chamada "Cota Zero" sem que a mesma legislação já cuide também de uma fase de transição e reaproveitamento do potencial de mão-de-obra dos ribeirinhos envolvidos, trocando a fonte de uma renda (pesca intensiva) por outra fonte (turismo ou criação em cativeiro) de renda para que afinal, tudo funcione adequadamente. Assim, de plano, parece fácil, mas enquanto se buscam as soluções vão se percebendo as dificuldades. Faço parte da diretoria da ANEPE - Associação Nacional de Ecologia e Pesca Esportiva e nas discussões aparecem as mais diversas opiniões, às vezes até conflitantes, mas que podem, ao consenso permitir que se chegue a bons resultados. Contudo, afirmo, isso leva tempo!
  29. 2 points
    Tem um casal desta belas aves que eu alimento no meu quintal. Pego bananas já muito maduras na quitanda de um conhecido meu e é a festa das sabiás, sanhaços, saíra 7 cores, gaturamo, bem-te-vi, guaxo preto e outras mais. Até tucano do bico verde já deu o ar da graça.
  30. 2 points
  31. 2 points
    Fato! Penso que o maior mérito dele foi quebrar o conceito da música "normatizada", assumiu a pseudo-insanidade (era muito inteligente, opções políticas à parte) e criou uma obra que é referência até hoje. Apesar de não curtir o trabalho dele, uma ou outra música realmente se destaca. Mas certamente ele está entre os mais significativos e influentes músicos brasileiros de todos os tempos. Boa lembrança, grande @Roque Moraes!
  32. 2 points
  33. 2 points
    Para quem tá morrendo afogado, jacaré vira tronco! Se agarre como, e onde der!
  34. 2 points
  35. 2 points
    Tal como muito bem comenta nosso amigo Alexandre, que os motivos sejam passageiros e que possam retornar prontamente à atividade que tanto apreciam!
  36. 2 points
  37. 2 points
  38. 2 points
    Me lembrou essa piada horrível O Gringo, Vai na loja de animais do carioca e fica abismado com um papagaio. - Como esse seu bicho fala bem? Você não tem nenhum para me vender não? O carioca muito esperto, responde que sim, e vende uma coruja para o gringo. E lhe dá a seguinte instrução: Você precisa conversar bastante com ela para que ela aprenda e comesse a falar. Dias depois, o gringo volta até a loja e o carioca pergunta: - E então? O seu Papagaio está falando muito? o gringo responde: - Olha falar, não fala, mas presta uma atenção!
  39. 2 points
    Eu também. A verdade é que ando pescando escondido e pegando peixes gigantescos, tão grandes que a foto fica tão grande que nenhum site de hospedagem aceita. Até o celular depois fica pesando vários quilos. Então...
  40. 2 points
    As guloseimas que esse rapaz faz até que são legais, mas cá entre nós, acho ele muito bobo... sempre com essa cara de par de valsa contratado pra festa de debutante...
  41. 2 points
  42. 2 points
    Creio que vai além disso nobre amigo, a evolução é inevitável, o Maurício tem apreço pelas carretilhas antigas, e ainda as usa pra matar a saudade dos velhos tempos. Os pescadores que não tem interesse em colecionar, que passam mais tempo pinchando pra pegar menos peixe que antes, esses preferem usar carretilhas, molinetes e varas mais modernas.
  43. 2 points
    Roque, Está com mais ou menos uns 15 dias fui pescar por aqui pela manhã. Estava um dia frio, com água bastante limpa e um ventinho chato que não me deixava nem pescar e nem remar (pesco de caiaque). Decidi, então, haja vista que tinha compromisso também tão logo, por ir embora mais cedo para organizar a tralha e descansar um pouco. Encostei na barranca do rio, e notei algo que me deixou profundamente chateado. Tinha MUITO lixo espalhado. Sacolas, isopor, garrafas plásticas e demais plásticos de toda a sorte possível. Sem exagero, enchi umas 6 sacolas plasticas que sempre tenho na tralha para recolher meu próprio lixo, para colocar roupa molhada etc. 6 sacolas. Cheias até a tampa. Além do estrago grave ao meio ambiente, fiquei pensando em duas situações. A primeira, por ser em meio às terras do plantio de cana-de-açúcar da usina de minha cidade não tem pastagens, e os pequenos sitiantes dessa área soltam seu gado para pastagens bem à beira do rio - com isso pensei na quantidade de sacolas que recolhi e o estrago que isso faria se os animais ingerissem. A segunda é que os fazendeiros e proprietários rurais acabam tendo certa razão (não generalizando) quando se referem aos pescadores como porcos e não os permitem descer em suas propriedades. Deixar descer pra quê? Para fazer o que fizeram? Para deixar uma imundície? Para acabar com tudo? Pagamos nós, que cuidamos e defendemos as margens de nossos rios, pelas atitudes ridículas destes que se dizem pescadores. E por fim, veio um pensamento aqui... imagino a porquice que deve ser a casa de pessoas assim. Mas como disse acima, é trabalho de formiguinha, façamos nossa parte e martelemos muito a cabeça de quem faz diferente para que uma hora mudem.
  44. 2 points
    Feliz em ver o pessoal se entender. Realmente, não vejo motivos para brigas. Para comemorar o armistício em breve vou postar uma apresentação de um tipo de carretilha que, creio, ninguém aqui ainda chegou a ver antes, quanto mais usar uma. Feita na África do Sul por uma fábrica já fechada a uns 20 anos atrás é realmente diferente e de formato instigante, feita para arremessos muuuuito longos, uma mistura de Alvey com... bom, depois eu mostro.
  45. 2 points
    Aaaah... agora ta explicado!
  46. 2 points
    É meu amigo, ultimamente só observo as tretas. Nem posto mais nada, vai que alguem me interprete errado ne. kkkk
  47. 2 points
    Eu penso que fórum de pescaria é lugar pra relaxar um pouco, fazer amigos, meu grande parceiro de pesca @Atilio Valnez eu só conheci graças a este fórum. Se o autor do post tivesse feito algo assim tão criminoso certamente algum adm teria se manifestado. Pessoal que fica brigando aqui no fórum, porquê não marcam uma pescaria juntos? Que mal poderia acontecer?
  48. 2 points
    tem uma meia duzia aqui que não tem a minima condição de frequentar um forum
  49. 2 points
    lambari frito ? ... ECAAA !! .... moooito ruim .... uma vez tive que fritar umas 5 gaiolas dessas pra poder sentir o gosto .... gostei não ...
  50. 2 points
    Povinho animado, sem dúvida.

Parceiros: www.petsEXPERT.pt