Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 19-01-2018 in all areas

  1. 5 points
    Ah, mas que coisa tão especial é a Pesca Esportiva! Não conheço outra atividade que consiga reunir amigos de forma tão especial e duradoura! Cerca de um ano depois que começamos com o Pescaki, tínhamos uma seção bastante movimentada, que era a seção de Basses (ainda a temos!) onde, em razão de ainda existirem mais verdinhos para pescar, então, tínhamos mais gente na atividade. A seção começou de forma modesta, mas em pouco tempo reuniu um bocado de pescadores de Bass, de sorte a chamar a atenção até de brasileiros que viviam no Japão. E foi assim que um grande amigo, @Marc-T, Marcelo Maeda me conheceu e eu o conheci, ou seja, apenas virtualmente. Ele estava lá no Japão! Mesmo mais tarde, quando já residindo no Brasil, não perdemos o contato, mas nunca deu certo para que fizéssemos uma jornada conjunta, até que um elo, melhor Elo, nosso amigo @Shigue, conseguiu fazer isso! E, de lambuja ainda trouxe também outro amigo, Onivaldo e também seu sobrinho, Leonardo, além de seu irmão Hamilton, a quem eu já conhecia! Daí, nos reunimos na rampa da Represa de Santa Branca para aquela que seria uma jornada fora de série, vez que naquele dia, dois amigos que já se conheciam pela internet há mais de doze anos, puderam se conhecer pessoalmente e, ainda melhor, pescar no mesmo barco! Com isso, passei o dia embarcado com dois grandes amigos. Dois Irmãos lá da Terra do Sol Nascente. E durante o dia todo, pude desfrutar e assistir à presteza, empenho e reverência do povo daquela Terra! Nossa jornada começou com a descida dos barcos à água e algumas fotos do grupo: Do centro para a direita, na foto acima, Marcelo, Shigue, Onivaldo, Leo e Hamilton. Abaixo, Bome, Marcelo e Shigue Apesar do empenho de todos, tivemos de parar para almoçar "sem pagar a conta", porque até então, nada tivemos em termos de ações, trazendo alguma preocupação para este servidor, vez que meu gosto era ver os amigos acertarem uma boa jornada. Para piorar, ainda pudemos notar alguma mudança no tempo. Então, mesmo "sem pagar a conta" almoçamos sem descermos dos barcos, já que não podíamos perder tempo porque as coisas conluiavam para resultado muito fraco. Assim, logo em seguida saímos a dar cana nos amarelinhos e, logo começaram a aparecer. Diante de tanta perseverança e confiança, acabamos com uma bela jornada, com muitos peixes de pequeno porte, mas alguns de porte mais significativo e até um já no porte mais acentuado, capturado por Hamilton. Entre os peixes de pequeno porte, teve até saicanga: E, assim, passamos um dia de maravilha, estreitando laços de amizade e demonstrando o quanto a Pesca Esportiva pode fazer pelas pessoas. Quero, então, deixar meus agradecimentos aos especiais amigos que ontem abrilhantaram meu dia e fico muito feliz por saber que teremos muitas outras jornadas pela frente! Ao final do dia, voltando para casa, vim pensando em escrever algo para o desfecho deste relato. Achei várias ideias, mas preferi escolher encerrar com a recomendação de que devemos pescar mais e ter mais amigos japoneses! Só se tem a ganhar com isso! Valeu, cambada! Foi muito legal!
  2. 5 points
    De folga no fim de semana convidei o compadre Vitinho para ir pra lagoa, dar uns pinchos e estreiar o novo conjunto. Saímos cedo, a lagoa ainda muito cheia, mas ainda sim fomos tentar. Uma anta descansava tranquilamente. Resolvi aproveitar e dar uns pinchos próximo a anta, fui contemplado com uma trairinha. Como resistir a uma Joãozinho pepino? Explorando as margens mais uma trairinha... Um tucuninha ... O compadre continuava sapateiro... 10:30 da manhã, ventando demais, ainda saiu mais um tucuninha. O compadre achou uma isca e ainda pegou um tucuninha com ela . Pegou mais um, mas antes de fotografar o tucuninha caiu na água. Ta começando a melhorar, mais um pouco que a água baixar vai ficar do geito que a gente gosta . Sobre o conjunto só elogios, molinete macio e torção zero, a varinha então casou certinho. Não vejo a hora de por o conjunto a prova com os amarelões.
  3. 4 points
    Amigos, agora nesta semana que passou, voltei ao meu amado Rio Manso. Com um voo noturno de Campinas SP para Cuiabá, fica fácil de chegar no Rio Manso. Para embalar o sono...  O rio Manso nasce na Chapada dos Guimaraes, e junto com o Rio Cuiabazinho formam o Rio Cuiaba, por estar a 600mts do nível do mar é um rio forrado de corredeiras e de águas cristalinas. É na minha opinião o "best point" de dourados para pescaria de fly e baitcasting no Brasil. Abriga nas suas águas uma infinidade de peixes, jaus, pintados, cacharas, pacus, curimbas, piraputangas, piaus e muitos outros, mas sua estrela é dourado. O Rio Manso Noticias eram de pescaria difícil, pois o rio estava forrado de dourados, mas haviam muitas iscas brancas no rio, principalmente piraputangas, e eles estavam só pegando nelas. Mas o importante é ir pescar. Dormida de 1hora e cair na água. Raiar do dia No primeiro dia subimos bem pouco, e no segundo arremesso um douradinho fisgado, mas devido a boca óssea, no baitcasting, de cada 10 fisgadas só embarca um. Este na não foi diferente e fugiu. Passa mais 5minutos e nova ação de dourado, só que este não fisgou. Penso será que esta tão difícil assim??? Logo em seguida vejo uma capim na superfície, jogo um popper e explosão, dourado gigante com quinze minutos de jogo, 17lbs. Uma barra de ouro. Assim correu o diia, muitas fisgadas e tb muitos peixes escapados. O período da tarde foi de menos ações. Como sempre o diferencial foi a isca, impressionante mas a antiga, Araçatubinha de madeira, é fatal para o dourado. Pode colocar qualquer isca, mas só ela pega. Não é mentira. Acho q é devido seu trabalho errático, mas principalmente a falta do ratlin. Ainda gostaria de testar uma isca twich bait sem ratlin e ver se funciona. Foram seis dias espetaculares, é impressionante a quantidade de dourados neste rio. No meio da pescaria sempre entram tb piraputangas. Foram uma media de 20dourados fisgados por dia, obvio que a maioria escapa no pulo. Vamos as fotos: Tipico local de pesca. algas do rio escondem dourados Cada corredeira a chance de um monstro estar escondido Minha esposa que não me ouça, mas arranjei uma amante As guerreiras A vitoria 19lbs Como os pontos são próximos a pousada é possivel voltar todo dia para almoçar e recuperar as forças... Dourado noturno, esse pegou em um lambari O pantaneiro Preocupado com os problemas... os ipês começando a florir O motivos de tantos dourados, preservação e as centenas de corredeiras, impressionante. Uma pescaria que vale fazer, é com material leve e soja. muito peixe. Piaus, piaparas, piraputangas e com sorte pacus. Sera que vai dar????kkkk Uma surpresa no plug... Duro de resistir nas manhas, frio de 14 graus joguei a isca, enroscou em um curimba, douradão não deixou a chance passar... Duro manter o peso Mais um monstro mato grossense 16lbs Pausa da cerveja Fima da pescaria Essa Sofreu Equipamentos utilizados: Varas: -Saint Croix SC III 17 e 20lbs 5'7" by waka Custom Carretilhas -AldebaramMg7, Core 51mg e scorpion 51 Linha Multi PP 40lbs Leader-Line System 50lbs Snap capella G Isca-quase que 100% usando a antiga Araçatubinha de madeira(nada haver com a nova de plastico), lá não tem para outra isca, e o popper Vulcan da marine Isca Araçatubinha de madeira 9cm, fatal no rio manso A estrutura da Pousada Rio Manso é fantástica, recomendadíssima, comida caseira, cerveja gelada, bons barcos e excelentes guias. Dista somente 100km de Cuiaba. O dono Julivam não medem esforços no atendimento e na preservação do ambiente. Ele não permite abate de nenhum peixe, todo peixe consumido vem de cativeiros, e auxilia a fiscalização que é constante no rio. Refletindo em um aumento nítido na população de dourados a cada ano. Tal que é impressionante o numero de bichos que avistamos: tamanduá, capivara, coelhos, tatu, pássaros. Contatos: 65 98472-4003 https://www.facebook.com/pousadariomansocba/ OBS-Fica claro que não preciso e não recebo nenhuma gratificação para falar da pousada, falo bem porque realmente gostei. Agradeço a Deus e a minha amada esposa e filhos pela vida maravilhosa. Família acima de tudo!!! Boa semana e pescaria a todos Carlos Dini Para quem quiser acompanhar minhas pescarias: facebook https://www.facebook.com/dini.dini.90260 Instagram @pescadini #pesca_dini
  4. 4 points
    Esse domingo realizei mais uma pescaria de fly, dessa vez no Rio Paranaíta. Logo que cheguei percebi que a agua estava muito mais clara que o normal, e isso dificultou muito as capturas. Sem nenhuma ação nos paliteiros, fui tentar na pedreira. Logo nos primeiros arremessos sai um tucuninha: Mais algumas tentativas e nada de ações, até que consegui filmar um ataque bem bonito: Após isso tive mais alguns ataques, uns rebojos lindos na superfície, porém sem nenhuma captura. A partir daqui a câmera acabou a bateria e não consegui registrar mais nada. Na hora de ir embora escorreguei no lodo e cortei o pé numa ponta de pedra, e pra completar estourei o pneu do carro na volta pra casa (Isso me atrasou muito e não pude comparecer no festival com o amigo Alexandre. Bom, fim do dia posso dizer que o saldo foi positivo, por mais que eu tenha passado uma raiva na volta essa filmagem valeu a pena. É isso, obrigado!
  5. 4 points
    Pescaria com apenas 3 ações, mas valeu a pena. 49 cm a bocuda, muito linda.
  6. 4 points
    Fala galerinha! Esse final de semana abriu um espaço aqui na minha cidade que é tipo uma fazenda aberta para visitação ... com restaurante, mini golf, cavalgada ... lugar bem bacana para se passar a tarde com a família e dentre as atrações existe um lago que é possível se fazer pesca esportiva. Sábado a tarde resolvi ir com a família e aproveitei para iniciar as atividades no Fly (aqui deixo meu alerta aos amigos que queiram iniciar no fly, não comecem ... é um mundo sem volta ... rsrs ...), apesar de estar com um pouco de vento, resolvi encarar e brincar com as tilapias que tem no lago. Fui com o auxilio de um amigo que já pesca a um tempo e ele foi me dando dicas de como arremessar fazendo false cast e roll cast ... que são os arremessos que vão ser mais utilizados por mim nas pescarias aqui na região ... depois com mais afinidade com a modalidade quem sabe não aprendo outros tipos de arremesso. No começo apanhei bastante pois a angulação da vara é diferente para o arremesso e também a questão da munheca que no fly usa-se mais o braço para o arremesso ... mas aos poucos os arremessos foram saindo e consegui pescar um pouco. Confesso que apanhei bastante também na questão da fisgada do peixe, mas isso aos poucos vou aprendendo, nada que mais alguns treinos não me ajudem a acertar isso. Pra minha felicidade, consegui pegar umas tilapias e achei fantástico a briga com o peixe ... segue abaixo a estreia no fly. Eqiupamento: Next FSB #8, linha Scientific Anglers Tucunaré #8, líder cônico e eva como isca. Abraços!
  7. 4 points
    Passada a moda de todo mundo querer ser chef de cozinha, acho que dá pra escrever as mal digitadas palavras que seguem sem o risco de incomodar alguém ou ser mal interpretado. Desde muito novo sempre gostei de cozinhar. Alguns poucos amigos sabem, mas meu interesse pela culinária vai muito além do churrasco (que amo e julgo ser a técnica mais fantástica de preparo de alimentos), o que me levou ao curso de cozinheiro profissional no SENAC em 2009 (que infelizmente não pude completar por conta de compromissos profissionais que me forçaram a viajar na época, seguido de uma mudança). O fato é que muito se ouve e lê por aí que "cozinhar é um ato de amor", "é um dom", "é solidário" e etc... Não que não seja um bocado isso tudo; sim, é; mas acho que vai muito além. Tenho no argentino Francis Mallmann a minha referência gastronômica, obviamente e principalmente pelo seu pleno domínio do churrasco mas muito pela visão do que é cozinhar e preparar alimentos por meio de qualquer técnica. No seu livro "Sete fogos", tem um pequeno texto antes da introdução do livro que julgo sublime: "O fogo tem seu próprio idioma, que se fala no reino do calor, da fome e do desejo. Fala de alquimia, de mistério e, acima de tudo, de possibilidades. É uma voz sonolenta dentro de mim. A fera onipresente em minha alma. Vai além das palavras e da memória, vem de um tempo muito anterior às minhas lembranças". E é exatamente isso: o dom, a arte, a solidariedade e o amor de cozinhar estão entranhados na alma, emaranhados nos cabelos, injetados no DNA de quem cozinha. Vem de antes de nossa consciência. E não estou falando só de quem é expert no preparo mas de todos aqueles que compartilham do mesmo sentimento pela culinária. Desde novo sempre me vi atuando em trabalhos distintos, mais tarde me formei na área de TI mas a única atividade que sempre permeou minha existência foi a culinária. Aos 15~16 anos comecei a me arriscar a fazer churrasco, orientado pelo meu pai, capixaba e exímio cozinheiro de frutos do mar e churrasco. Minha mãe, de criação tradicional dos anos 40, era absolutamente genial preparando o que fosse, desde pães e bolos aos melhores pratos com massa e carnes dos quais me lembro. Eu anotava os ingredientes e o modo de preparo do que ela fazia sem que fosse notado, pois àquela época não havia esse glamour todo pelas profissões relacionadas a culinária e gastronomia. Meus pais não me forçavam a formar em algo da escolha deles, apenas me orientavam a fazer algo de que eu gostasse realmente. Unindo esse quebra-cabeças, noto que a inexistência de cursos superiores de gastronomia nos anos 80 me levaram ao caminho das novidades da tecnologia. Quem sabe...? Voltando à "vaca fria", penso que quando preparamos um prato qualquer, somos conduzidos a um nível diferente de concentração - é totalmente diferente de estar terminando um projeto, uma homologação, uma apresentação. O foco é só um: preparar o prato da melhor maneira possível, e não há nesse mundo evento que distraia a gente naquele momento. E se, porventura, ocorrer uma hecatombe que nos tire do rumo, o preparo se perde porque já não tem mais a mesma pegada. Até sai, mas o cozinheiro certamente vai reclamar que foi interrompido, que foi isso, aquilo... É impressionante o nível de concentração alcançado nesses momentos. Diante disto e posto o que já escrevi, vejo o dia a dia se desenvolver com a marcação silenciosa da comida: café da manhã, almoço, lanche ou cafezinho da tarde, jantar, ceia, assalto à geladeira... Isso sem falar no expresso com clientes ou aquele bolo da padaria que se coloca diante de você no trajeto entre o escritório e o caixa 24h. E ansiosamente esperamos pelo churrasco no fim de semana - este sim, o auge! Nossa vida gira em torno disso sem que nos demos conta! E para quem prepara, a sensação é a de estar tornando o mundo melhor, tentamos agradar ao amor com o qual divide-se a vida, fazer os filhos comerem mais, um modo de dar afeto aos familiares e amigos, dar alento àquele amigo que está procurando emprego, de efetivamente estar restaurando os convivas com o que melhor pudemos preparar naquele momento. Daí vem o nome restaurante, cuja origem veio da França em meados do século XVIII na ideia de Boulanger que abriu uma casa de sopas, anunciando aos que tinham fome que ele poderia os restaurar com uma boa refeição. Portanto, no meu parco entendimento, cozinhar é muito maior do que qualquer frase de efeito; cozinhar é viver e dar vida. É partilhar conhecimentos, é conviver e apreciar a convivência. É preciso respeito pelo que se come, sobretudo. Uma porção de caviar e um jiló frito podem ter impacto semelhante se cada um for apreciado no momento certo - e no momento errado, ambos podem parecer ruins. Novamente, recorro ao Francis Mallmann e à sua citação de que o luxo e o simples dependem um do outro, pois "dormir em uma confortável cama não quer dizer que uma boa soneca embaixo de uma árvore seja ruim" (adaptado): um evidencia as qualidades do outro. Portanto, ao respeitar o que se come, se respeita quem preparou, quem cultivou ou criou o que se cozinhou, cultivamos o respeito mútuo; completando um dos ciclos da vida. E vamos ao café da tarde, porque saco vazio não pára em pé. P.S.: Para os amantes de cinema, tem um filme que traduz muito bem esses sentimentos. Chama-se "O tempero da vida", filme grego e turco de meados dos anos 2000. Recomendo.
  8. 3 points
    Minha mulher disse que vai entregar tudo para o Exército da Salvação. Acabo de declarar guerra.
  9. 3 points
    Hoje o tempo amanheceu nublado, logo pensei na possibilida de fisgar uns tucuninhas. Convidei o amigo Márcio pra passar a tarde na lagoa, de pronto aceitou o convite. Boa oportunidade pra experimentar as iscas recém chegadas. Partimos então... Logo nos primeiros arremessos já saiu o primeiro. Em seguida um dublê E mais capturas Uma trairinha na stick Olha o tamanho disso! O Márcio não tava pegando peixe mas tava se divertindo igual desenroscando as iscas . O tempo fechou, o geito é ir embora Até a próxima .
  10. 3 points
    Uma família amiga nossa possui uma modesta mas ampla área à beira da represa de Camargos, grande represa que banha algumas cidades, entre elas Madre de Deus de Minas, cidade que abriga o distrito de Brasilinha, minúscula vila junto a vastas áreas de plantio de milho e soja, além de pequenos criadores de gado. A propriedade é simples, mas muito agradável de se estar, contando com uma rampa privada para descer barcos, onde podemos pescar algumas espécias mais comuns na região: traíras, lambaris, tabaranas, tilápias e de uns tempos pra cá, tucunarés. Pode parecer fácil mas na verdade a pesca por ali é complicada, havendo alguns pontos melhores pra tentar tirar alguns desses espécimes da água, sendo que a melhor época vai de meados de setembro ao início da piracema, época que sempre se mostrou muito promissora, com traíras de bom tamanho mordendo tudo literalmente na beira da propriedade. O único peixe que sempre tem com fartura é o lambari, facilmente pego com miçanguinha. Dessa vez o irmão de meu compadre pegou algumas traíras no balaio, às margens de alguns pontos conhecidos. Algumas de bom tamanho. Foram poucas, o suficiente para o consumo, sem exageros. Neste fim de semana estivemos lá em família, junto com a família de meu compadre. Uma boa ocasião para forjar minha filhota na arte, já que ela adora pescar os briguentinhos lambaris... Seguem algumas fotos. Local modesto mas cuidado com muito carinho e zelo. O bom, velho e incomparável fogão a lenha, onde preparamos torresmo, couve e angu (já devidamente consumidos com cachaça e cerveja). Essa é a vista da cozinha: Nada mau ter essa vista aos pés... É muito lambari! Minha pequena pescadora, orgulho do pai babão! E assim vencemos o fim de semana, com muito trabalho na beira da represa, do fogão a lenha e da churrasqueira. Eu já avisei a todos que eu só vou tolerar mais uns 112 anos dessa vida, mais que isso eu tô fora.
  11. 3 points
    Venho compartilhar com os amigos uma pescaria, que já há algum tempo desejava fazer. Acredito que quase todo pescador, começou a pescar com vara de bambu e nesse vídeo eu retornei as minhas origens, sentado no barranco com uma vara de bambu, como fazia meu quando pequeno na companhia do meu pai e meu avô. Um abraço e até a parte 2!
  12. 3 points
    Pessoal, segue o vídeorelato de mais uma pescaria muito bacana. Essa foi especial, pois depois de um ano pude retornar ao meu Estado e fazer outra pescaria memorável no Rio Doce, mesmo após o desastre ambiental. Abraço!
  13. 3 points
    Amigos, só quem é viciado nos tucunares amazônicos sabe o que é a ansiedade de esperar as águas baixarem. Os afluentes da bacia do Rio Madeira, são um dos primeiros a dar as primeiras secas (Marmelos, Sucunduri, Abacaxis, Canuma, Aripuana, Acari), agora em junho ainda em sua maioria estão um pouco cheio ( o Aripuana e Marmelos já dão pescaria), mas as cabeceiras por estarem em locais elevados secam antes, este motivo nos motivou a voltar mais uma vez ao lendário Rio Camaiu, rio dos Pinimas gigantes. O rio Camaiu nasce no sul da Amazônia, logo em seu inicio cruza a famosa Transamazonica, tem em seu leito diversas corredeiras, principalmente na região das cabeceiras. Ele é o principal afluente do Rio Sucunduri. Sua margem é composta por mata alta(muito pés de Jauari), e gdes barrancos o que faz com que no inicio da temporada já esteja na caixa. Em suas águas habitam os valentes tucunarés pinimas (os maiores pinimas da Amazônia), tucunarés popocas, matrinchas(gdes), trairás, pacus, bicudas(em maioria pequenas), cacharas e com alguma sorte pirararas. O tucunaré pinima, é um dos três maiores tucunarés, junto com seu irmãos os Açus e os vazzoleris, podendo romper, de forma rara, a casa dos 10kgs. Sua gde característica é seu amarelo ouro e a quantidade de peças capturadas em uma pescaria. A escolha como sempre foi pela empresa do já amigo Victor Villanova, empresario já consolidado no ramo, com muitos anos de experiencia. Toda logística perfeita para esta operação, desde o transfer nos Hidroaviões, como no Camp na floresta. Abrindo os trabalhos no lobby do hotel Agora no fim de junho fomos rumo ao Rio Camaiu, a pescaria começa já no tradicional almoço em manaus, que não pode faltar o Tambaqui e o Pato no Tucupi. E tb a passada na loja da Sucuri dos nossos amigo Jorge e Turiano. Noite boa de Sono. Pato no Tucupi Gde amigo e mestre Magal A gelada da noite p embalar o sono Dia seguinte já estávamos no famoso "Eduardão" para pegar o Hidroavião rumo a cabeceira do Rio Camaiu, voo muito agradável, da janela ainda vemos muito igapó(normal para época). Rio Negro ainda muito cheio Apesar de já ter ido lá 3x, é sempre impressionante a destreza do piloto em pousar o Hidroavião entre as arvores deste afluente. https://photos.google.com/album/AF1QipMayBbUa_I1EE5ZKHqkVnvMQEGBdkC-gdV6FZBz/photo/AF1QipPOcZN9f8xihVIsJaxKvH5CLjdh4LwrEi6ilPoF Recepção na chegada Nossa varanda A bem estrutura pousada de selva do Rio Camaiu- o Camaiu Camp Chegando, vimos que seria um pouco mais difícil do que a pescaria do ano anterior(pegávamos mais de 100 peixes ao dia), pois apesar da localização geográfica , ainda estava 1mt acima, devido a gde cheia que este ano o Rio Sucunduri passou. Foi realmente uma pescaria bem mais difícil, pois alem da mata ainda alagada, encontramos um peixe reproduzindo(no choco) e pouco ativo, mas mesmo assim o rio Camaiu não decepcionou, rendendo inúmeras peças. E sempre boa comida, e muita cerveja. O belo Rio Camaiu Pausa do lanche O tradicional almoço farto estava levando para reciclagem Piranha barnca frita de aperitivo, muito bom igual pacu. A Cachoeira da Andorinha-nosso limite Brincando nas corredeira, foram, mais de 10, até vir um grandão, que arrebentou udo e acabou com a graça Imagina na Brasa como ficou bom Sede Espanta repiquete Bebado é uma m... Pego na frente do quarto Luar a noite, parecia até dia Dura rotina Alguns dos infinitos igarapés cristalinos que alimentam o Rio Cmaiu Piranha branca, tem muito Material utilizado: -Varas --Saint Croix SC III 20lbs 5'7" by Waka Custom --Saint Croix SC III 17lbs 5'7" by Waka Custom --Venator SE 5'6" 25lbs -Carretilhas --Shimano Scorpion HG 201 -Linha- Multi PP 4 fios 50lbs -Leader-Line System 50lbs -Snap capella G Amazonas -Iscas mais utilizadas-Jumping Minnow T20(osso), Zigzara, Jigs, Colheres(para as matrinchas) Eu só tenho a agradecer a turma que tão bem me recebeu. Ao operador Victor Villanova pela hospitalidade e atenção. E a toda equipe da pousada pelo fantástico atendimento OBS-Fica claro que não preciso e não recebo nenhuma gratificação para falar da pousada ou de qualquer pessoa, falo bem porque realmente gostei. O gde Amigo Victor Villanova, montou então o Camaiu Camp, localizado na cabeceira deste rio, local com pressão de pesca zero. O acampamento tem tudo que o pescador precisa, chales isolados por dupla, camas confortáveis, banheiros e chuveiros privativos, boa comida, internet via satélite, barcos e guias, e o principal, muita cerveja. O local é estratégico, fica em um divisor(uma cachoeira), explorando acima e abaixo dela. Contatos do operador-Victor Villanova https://www.facebook.com/victorvilanovamazon https://www.facebook.com/pages/Camaiú-Camp/1926317310973319?pnref=about.work https://www.facebook.com/vilanovamazon/?pnref=about.work (42) 99122-0016 http://www.vilanovamazon.com.br victorvilanova@me.com Contato para Transfer do amigo Magal- 92-001876840/981772050 Contato do amigo Jackson-agencia muito pacotes e passeios na Amazonia- 92-991953335 Agradeço a Deus e minha amada família por esta vida maravilhosa. Aguardando a temporada começar. Abs Boa semana e pescaria a todos Carlos Dini Para quem quiser acompanhar minhas pescarias: facebook https://www.facebook.com/dini.dini.90260 Instagram @pescadini #pesca_dini
  14. 3 points
  15. 3 points
    Alguém reconhece este antigo molinete? Qualquer um diria que é um antigo Paoli Super, não? Mas, na verdade, é o molinete original do qual a Paoli se baseou. Os primeiros eram praticamente idênticos, com alguma mais facilmente notada modificação apenas no carretel e seu fixador.
  16. 3 points
    Pescaria no final da tarde com o amigo Fernando.
  17. 3 points
    Bateu até uma fome aqui. Tbm sou desses que se sentem confortáveis quando estão na cozinha. Aprendi muito cedo, por necessidade mesmo. Como não tinha microondas em casa e os pais trabalhavam, minha irmã e eu tínhamos que nos virar desde pequenos. Comecei a cozinhar de verdade com uns 13 anos, quando minha irmã mais velha passou a estudar em período integral. E muito deste sentimento que aparece no texto é algo que sinto enquanto estou preparando qualquer coisa. Desde uma costelinha no barbecue (que é uma das minhas comidas prediletas), até o pão com queijo que meu pequeno me pede todas as noites antes que eu o mande escovar os dentes e dormir. Comer é bom demais, acho que por isso estou tão roliço. Mas cozinhar é algo que me relaxa e é extremamente prazeroso. Fora que eu comecei uma tradição na minha família, que é sempre cozinhar tomando uma geladinha. Em especial quando atendo o recorrente pedido da esposa e faço pizza. Fazer aquela massa dá uma exercitada e tanto, sem bebericar uma água de garrafa não dá...
  18. 2 points
    A ver se repetimos igual do ano passado!
  19. 2 points
    Bom dia Gustavo, Alguns barqueiros ali de Itanhaém fazem turmas avulsas (onde ele junta os pescadores que não podem fechar um barco sozinhos), entra em contato com meus amigos lá: Alex (13) 99757-6032 Guilherme (13) 99727-4956 Ambos possuem bons barcos e organizam semanalmente saídas avulsas, e ambos são barqueiros sacudidos, que acham o peixe, não tendo preguiça de mudar de lugar se não estiver bom de peixe lá. Minha turma de pesca está organizando uma saída para 17/09 e temos algumas vagas ainda para fechar o barco, interessa? Se sim, me manda msg inbox...
  20. 2 points
    Nó Pitzen, com uma forma diferente de fazer. Uso ele para quase tudo, com o detalhe de fazer um nó único para acabamento e travar mesmo.
  21. 2 points
    Vou até o Tocantins Roque ... e vou levar a tralha de fly ... chegando conto como foi a experiência.
  22. 2 points
    Sábado fomos convidados para um churrasco na casa do vizinho Como ele tem um baita de um açude, claro que levei um caniço junto né heheh Levei pouca coisa, saímos meios às pressas, foi só um molinete, uns anzóis, chumbada e boia. De artificiais uma zara, um plug e um spinner. A princípio a ideia era tentar as grandes carpas e tambacus que ele tem (o açude está fechado há 16 anos...), mas como o pessoal que já estava tentando desde cedo avisou que não deram nem uma puxada sequer, depois do churras fui bater uma artificial A água estava bem fria, não queriam nada na superfície ou meia água. A única que teve ação foi o spinner, então vai ele mesmo Foi pouco tempo de pescaria, coisa de meia horinha. Só vou ficar devendo fotos do local, pois só lembrei das fotos quando tava com o peixe na mão Só estava batendo as menores, pois no frio as bitelas não ficam muito ativas (segundo o dono) Primeira do dia Depois dessa mais duas fisgaram e soltaram na beira. Mas essa aqui não ia escapar de jeito nenhum Depois troquei de ponto e fui do lado de um bambuzal. Peguei um baita de um bamboo, que me rendeu uma bela briga pra não perder a isca Mas depois dele, continuei no ponto e teve uma ação, em cima da água, com a isca literalmente na minha frente. Vi ela dando o bote, mas como a isquinha trouxe capim junto não fisgou. Depois joguei de novo, a isca veio com mato junto, ela bateu e não ficou. Fiquei brincando com a isca na minha frente, ela bateu e não ficou Até que, finalmente, fisgo a danada. A maior do dia! Oh bichinha invocada ein! Depois disso ainda saiu uma do porte das menores, só não saiu pra foto... Da próxima mando umas fotos do lugar Até mais
  23. 2 points
    Huashuashuashuas É bem isso, mesmo, Grande Caffer!
  24. 2 points
    Já me convenceu, pode me convidar para o churras.
  25. 2 points
    Show de bola ... mas como diria o @Ricardo Valim isso não é do meu tempo ... vou ali e já volto ... rsrsrs ....

Parceiros: www.petsEXPERT.pt