Vladimir Ferreira

Moderador
  • Total de itens

    4086
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

322 Ótima

3 Seguidores

Sobre Vladimir Ferreira

  • Rank
    A PdP sempre será amor, prazer e dedicação!!!!
  • Data de Nascimento 09/17/58

Previous Fields

  • Nome Real
    Vladimir A. Ferreira
  • Estilo de Pesca
    Pesca de Praia

Informações Pessoais

  • Localização
    S. J. dos Campos - SP
  • Sexo
    Masculino
  • Interesses Pessoais
    Tudo que seja relacionado à Pesca de Praia. Objetivando somar conhecimento e também para divulgá-la.

Últimos Visitantes

18332 visualizações
  1. Bom dia Wladimir,

     

    Eu abri um topico no lugar errado. Tem como transferir?

    Obrigado

     

    Roberto

  2. Aí vc precisa de chumbadas mais pesadas, acredito que deve trabalhar com linhas entre 0,20 e 0,23mm e arranque de 0,45 até 0,50mm.
  3. Jaison, claro que a cor da água causa influência na PdP. Porém a influência está mais diretamente ligada as espécies, por exemplo, água clara é muito boa para peixes como o pampo, galo, robalo, baiacu, xaréu, e etc. Água mais esverdeada (caldo de cana), muito boa para espécies recifais, paru, (enxada), sargos, salemas, e etc. Também é muito boa para peixes que normalmente comem no fundo, como a betara, corvina, betara (pt's), miraguaia, grandes robalos (flexa), pescadas e etc. Já a água suja normalmente atrai os limbosos, branco, amarelo, bandeira e etc. Com relação a isca acho que devemos associá-las mais as espécies,vejo que o corrupto é sempre muito eficiente com qualquer tipo de água, para mim sem dúvida alguma a mais multifuncional de todas. O camarão também é eficiente em praticamente todas as situações, porem vejo restrições a tatuíra e o sarnambi, que normalmente são mais eficientes com a água clara e um pouco turva, exatamente em função das espécies. Devemos sempre nos adaptarmos as condições e nunca achar que os peixes é que devem se adaptar as nossas vontades. Me lembro de muitas situações, uma delas foi quando surgiu uma informação que peito de frango estava dando resultado, eu sinceramente nunca acreditei com exceção ao baiacu. Por coincidência estava aí em São Chico e uma pessoa que estava comigo passou o dia todo insistindo pescar com esta isca, resultado, no final do dia não havia pego nada e eu tinha arrebentado. Uma coisa é insistência e fazer alguns testes, outra é teimosia. Tanto que podemos sempre utilizar chicotes com dois anzóis, podendo variar, hora colocando uma isca em cima outra embaixo e avaliar o resultado. Na pesca de beira visando a captura de grandes exemplares, eu só utilizo um anzol, já na média e longa eu costumo fazer exatamente isso, utilizar dois anzóis, fazendo esta variação visando achar a mais eficiente. Por sinal já fizemos grandes pescarias juntos, com uma boa variação de iscas e a captura de belos exemplares. Abraços,
  4. Obrigado Lyra, aproveito para deseja para todos um Feliz Natal e um ótimo Ano Novo! Grande abraço.
  5. Dois grandes diferenciais, um deles eu utilizo, que são as pernadas longas, o outro é a utilização de flutuadores, que hj por lá é quase que uma unanimidade. Porém não utilizam anzóis tão grandes.
  6. ADC modelo 115. Cutting Point, resistente e durável! Imagem: ADC Sport Fishing (capa catálogo de anzóis). Muito semelhante ao marusseigo.
  7. Praia Vermelha, camarão, lula e tatuí!
  8. Sim Anderson, eu me lembro, mas não havia observado este detalhe! Como citou o Eliseu, o ideal é que vc faça uma pesquisa no google/vídeos, utilizando a palavra "Lance OTG". Vc irá encontrar uma infinidade de estilos. Inclusive alguns cursos práticos com grandes lendas do lançamento Europeu. Acredito que não haja referencias melhores que estas. Observe nestes dois videos abaixo que o grande segredo é fazer o caniço trabalhar, extraindo dele o máximo de sua potência! Este com um passo para traz, invertendo a base é o meu preferido, aprendi vendo alguns videos do Eliseu. Abraços,
  9. Parabéns meu amigo. Abordagem simples e muito útil!
  10. Anderson de uma olhada nestes vídeos feitos recentemente, quando participei do lançamento oficial do caniço Challenge da Saint. Caniço este, que trabalhei no seu desenvolvimento desde 2012, inclusive com a grande colaboração do amigo Eliseu Cherene. E este que é bem básico, ideal para iniciantes. Pratique bastante, com segurança em locais desertos. Bons arremessos.
  11. Brincadeira, só mesmo para fazer de conta, tiveram duas semanas para fazer um plano, agora já era. Basta ler isto: http://agazeta.redegazeta.com.br/_conteudo/2015/11/noticias/politica/3915143-vale-doou-para-metade-da-comissao-do-rio-doce.html Diferentemente da grande maioria, quando vou a Regência, costumo ficar por lá no mínimo 10 dias. Tenho bastante conhecimento dos problemas, da sensibilidade ambiental da região, dos mandos e desmandos das entidades que atuam por lá e também rio acima. A verdade é uma só, o Rio Doce como muitos outros, tais como, São Francisco, Paraiba do Sul, Jequitinhonha e muitos outros que nascem na região sudeste do país estão agonizando. Não bastasse a crise hídrica, a maior da história, que atinge a nossa região, a intervenção humana há mais de um século, está sendo um desastre. O desmatamento, falta de tratamento de efluentes, construção de barragens, falta de legislação e/ou descumprimento das poucas e frágeis que já existem, pesca ilegal, omissão dos governos e etc. Portanto este acidente foi a pá de cal, sobre a bacia do Rio Doce. Ontem assistindo ao Jornal Nacional, após ver a matéria sobre com Sebastião Salgado, a esperança ressurgiu, pois talvez tal fato pode ter servido para não só chamar a atenção, mas também servir de modelo para a recuperação. Mas e o mar? Para o mar
  12. Não compraria nenhum dos dois, ficaria com um dos Okumas, Distance Surf 60, Blue Hawk 760A ou o novo Distance Carp INTR 60. Abçs, PS: Orion 5000 fora de linha.
  13. Diferentemente da grande maioria, quando vou à Regência, que está localizada exatamente na foz do Rio Doce, como a deste ano, costumo ficar por lá no mínimo 10 dias. Tenho bastante conhecimento dos problemas, da sensibilidade ambiental da região, dos mandos e desmandos das entidades que atuam por lá e também rio acima. De 2008 para cá foram cerca de 13 viagens até lá. Aproximadamente 150 dias, vivendo, conhecendo e experimentando um pouco do dia a dia da sofrida comunidade local. Sempre trago muita alegria, mas também um pouco de tristeza e descontentamento. A verdade é uma só, o Rio Doce como muitos outros, tais como, São Francisco, Paraíba do Sul, Jequitinhonha e muitos outros que nascem na região sudeste do país estão agonizando. Não bastasse a crise hídrica, a maior da história, que atinge a nossa região, a intervenção humana há mais de um século, está sendo um desastre. O desmatamento, falta de tratamento de efluentes, construção de barragens, falta de legislação e/ou descumprimento das poucas e frágeis que já existem, pesca ilegal, omissão dos governos e etc. Portanto este acidente foi a pá de cal, sobre a bacia do Rio Doce. Ontem assistindo ao Jornal Nacional, após ver a matéria do Ernesto Paglia com Sebastião Salgado, a esperança ressurgiu, pois talvez tal fato pode ter servido não só para chamar a atenção, mas também servir de modelo e trazer recursos, para a sua recuperação. http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2015/11/fotografo-cria-projeto-de-revitalizacao-do-rio-doce-depois-de-tragedia.html Mas e o mar? Porém para o mar eu ainda estou a cada dia mais preocupado, na sua vastidão não temos muito que fazer, ou talvez seja apenas mais um pouquinho de veneno, acrescentado ao que nele lançamos todos os dias. Temos que ter esperança, quem sabe novamente não seja mais uma obra do Divino, "Escrevendo o certo por linhas tortas".
  14. Acima eu escrevi que a análise da água em Governador Valadares era de mil vezes acima do aceitável, agora já se fala em 80 mil vezes. http://abelhaonoticias.blogspot.com.br/2015/11/bahia-lama-de-residuos-vinda-de-mariana.html?m=1
  15. Marcelo a cada dia a coisa vai ficando mais preocupante, já está se falando que até Abrolhos pode ser atingido. http://abelhaonoticias.blogspot.com.br/2015/11/bahia-lama-de-residuos-vinda-de-mariana.html?m=1 Estou muito preocupado e estarrecido com a inércia.