Leo Verhalen

Pescadores
  • Total de itens

    217
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

81 Ótima

1 Seguidor

Sobre Leo Verhalen

  • Rank
    Já estou me enturmando!

Previous Fields

  • Nome Real
    Leonardo A. Verhalen
  • Estilo de Pesca
    agua doce (rios e represas)

Informações Pessoais

  • Localização
    Sao Paulo
  1. Fala amigos, Essa represa já saiu há mais de 10 anos em uma matéria de tabaranas em brotas em uma revista de pesca (não me lembro qual era). Na época mostraram a pesca de Bass nessa represa. Pelo jeito já foram extintos pelo tucunaré. Não entendo essa mania de soltar tucunaré em tudo que é represa, vai chegar o dia que só vai sobrar esse peixe pra pescar. Ainda mais com tanta barragem afogando nosso rios...é o que resta mesmo. O Bass não é páreo para o tucunaré, muito mais agressivo, adaptado e prolífico. abs
  2. Esse local é sensacional! E as tilápias no fly, dá pra fazer uma boa pescaria? abs
  3. Fala pessoal, Minha namorada tem uma casa no Sertão da Barra do Una, litoral norte de São Paulo. Lá passa um riacho raso de águas cristalinas onde já vi uns robalinhos seguindo as iscas. Porém são absurdamente ariscos e manhosos. Alguém já pescou nessas situações e pode indicar o tipo de trabalho adequado e as moscas mais eficientes?
  4. Isso que desanima totalmente!
  5. Só sei de uma coisa: São 45.000.000 de habitantes no estado de São Paulo. Se 2% destes habitantes pescarem, e 80% destes que pescam abaterem uns 5 peixes cada /ano, são 3.600.000 peixes mortos todo ano no estado de são paulo. Isso sem contar o pescador profissional que ainda é permitido nas represas próximas de centros urbanos. Portanto a única saída para Guarapiranga, Igaratá, Mairiporã, Atibainha, Cachoeira do França, Fumaça, Paraibuna, Santa Branca, Piracaia, e tantas outras que temos próximas, seria a proibição da pesca profissional e a redução dessa tal de "cota" de 5kg por pescador, totalmente desatualizada e fora dos padrões ambientais do nosso Estado. Deveriam ser transformadas em parques de pesca-esportiva: para abater peixe tem que pagar uma taxa extra que será utilizada para soltar um exemplar juvenil da mesma espécie e programas de inclusão da população local no turismo da pesca. Não temos compensação ambiental por árvore cortada? e por que não algo parecido para a pesca? A pesca esportiva ainda não é uma realidade no Brasil. Pesca por aqui é relacionada a extrativismo.
  6. Fala Tanikawa, Já ouvi falar desse produto, parece que foi isso que acabou com eles em Paraibuna também, mais a introdução do tucunaré, aí é questão de tempo pro Bass sumir. Frequentei muito lá na infância pois nasci na ZN. Mairiporã está na lista das cidades que cresceram mais de 100% nos últimos 20 anos, e consequentemente a pressão de pesca. Por isso imagino que muita coisa tenha mudado por lá. Mas já anima saber que eles ainda estão por lá. Valeu! abs
  7. Valeu mestre!
  8. Olá amigos!, Da última vez que fui pra Mairiporã já faz mais de 15 anos e saíram alguns Bass. Na época só podia motor elétrico, continua assim? Alguém sabe se ainda tá pegando algum Bass por lá? Quem tiver alguma informação de local para alugar barco agradeço. Quando eu ia alugava barco num restaurante num braço da represa. abs
  9. Parabéns! Escutei esses dias que aquela fartura de tucunarés em Serra da Mesa havia acabado, mas pelo seu relato percebo que ainda tem bastante peixe de qualidade. abs
  10. Fala Guilherme, Infelizmente é a triste realidade em todos os locais. Nosso país está a anos luz de distância de outros países mais sérios que percebem que um peixe vivo gera muito mais valor agregado em toda cadeia turística do que um peixe morto na panela. Aqui nosso baixo nível social da maior parcela da população que pesca para comer não permite ações específicas para o desenvolvimento da pesca esportiva. Pesca por no Brasil ainda é extrativista. É uma questão cultural. Esses dias fui pescar na represa que costumo frequentar e o pescador local tirou sarro de mim sabendo que soltei os peixes. O mesmo deu risada e disse que leva até alevino pra casa. É revoltante e nos faz perder a esperança.
  11. Vai pegar peixe com certeza! Para as pernas tem um elástico de borracha que encontra em lojas de costura que fica bom tbém. Eu faria as asas com as pontas de pena de galo, mas vai do gosto de cada um. Parabéns pelo início no vício! (já era, não tem mais volta).
  12. valeu mestre! pelo menos percebo uma populacao de piabanhas estavel, nem muitas e nem poucas. Diferente dos tucunares de bom tamanho. Esses sim estao sumindo. abs!
  13. Olás, Segue um relatinho de minha última pescaria. Peço desculpas pela baixa qualidade das fotos de meu celular. Primeiramente gostaria de perguntar se alguém sabe se é permitido o abate da piabanha no estado de São Paulo. Elas começaram a aparecer e tenho visto muita matança deste peixe. Gostaria de orientar o camarada do rancho que pesco sobre a legislação. A ideia era ir atrás das tilápias (no fly) e só levei iscas específicas para elas. Mas só deu piabanha e tucuna pequeno. Perdi algumas piabanhas enormes. To pensando nelas até hoje. Mas saíram alguns peixes: Nova modalidade de pesca: Tucunaré na mosca seca/terrestrial. É cada pancada na superfície!
  14. Olá, Morei nessa cidade de 99 a 2005 época da faculdade, e quando lembro desse período bate aquela saudades. Foram muitas pescarias e lá que fisguei meu primeiro dourado. O rio Piracicaba é minha escola de pesca e é u rio que me impressionou muito pela sua capacidade de sobrevivência. Mas infelizmente ele está no limite da vida, quase no final de sua capacidade de oxigenação. Posso dizer seguramente que comer peixe do Piracicaba é suicídio. Fiz disciplinas que analisavam a qualidade da água e tbm dos peixes e é puro metal pesado, com com efeito cumulativo no organismo. Chegamos a fritar umas sardelas e o cheiro que sai do peixe é o mesmo que sai do esgoto da cidade. Fora isso, parece-me que o abate do dourado é proibido, mas acho que nem os florestais levam isso a sério, mas não vale a pena arriscar. Infelizmente está sendo construída uma barragem em Santa Maria da Serra, que vai acabar com 90% da agua corrente, e consequentemente com os dourados. Acabando com a correnteza, o nível de oxienação vai cair drasticamente acabando de vez com boa parte do rio. A dica que eu daria seria experimentar afluentes do piracicaba, como o rio corumbatai, menos poluído (mas já com níveis preocupantes) e com dourados mais saudáveis. abs.
  15. Já aprendi muita coisa com esse site. Ótima dica mesmo!