Pepe Mélega

Moderador
  • Total de itens

    990
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

16 Boa

Sobre Pepe Mélega

  • Rank
    Revista Pesca e Cia
  • Data de Nascimento 12/15/53

Previous Fields

  • Nome Real
    Pepe
  • Sobrenome
    Mélega
  • Estilo de Pesca
    Bait Casting e Fly

Informações Pessoais

  • Localização
    São Paulo
  • UF
    SP
  • Sexo
    Masculino
  • Interesses Pessoais
    Pesca esportiva e fotografia

Contatos

  • Skype
    pmelega
  • Website URL
    http://www.pepemelega.com

Últimos Visitantes

7425 visualizações
  1. Parte de um trabalho que está sendo finalizado, com imagens captadas no Pantanal entre 2010 e 2012, esse ano não consegui ir para finalizar o projeto, mas em breve será concluido. O que vocês acham de imagens em PB? Estou devendo um pots sobre ISO/ASA e vou providenciar antes de viajar novamente. Abs
  2. Vou preparar um post sobre ISO ou ASA e abro um novo tópico em breve, estou em transito e fico sem internet, por isso as vezes pode demorar meus post e respostas. Mas ISO tem a ver com sensibilidade a luz e vou tentar simplicar a explicação no tópico a ser aberto. Abs
  3. Percebeu né. Só alterou a forma de fechar mais a imagem, encher o quadro na linguagem de fotografia. Conduzimos o observador a olhar mais a situação de forma mais direta, mas as informações são as mesma.
  4. Mais fácil mostrar, a foto possui uns galhos que ao meu ver chamam atenção, desviam o olhar. Essa é a numero 1, a numero 2 é ele corrigida por mim e a ultima mostra uma regra conhecida como Razão Áurea que pode definir muito bem com a foto se equilibra para o observador.
  5. Mas não há nenhum troque, elas estão como saíram da câmera e uma questão de lente e plano em que a fotografia está sendo feita. Perceba que o tamanho em relação ao Lester Scalon permanece o mesmo dentro da escala. O peixe é grande e nota-se em todas as fotos.
  6. Ok, chega o dia a dia, a foto mais equilibrada é a primeira a meu ver, mas a terceira é muito forte como impacto Armando. Na primeira eu trabalharia o mencionado galhinhos a esquerda. Outro exemplo, pescaria de caiaque duas fotos, mas ambas têm a mesma quantidade de informação e há uma que está mais direta a mensagem? Lembramos que o debate é para todos, vamos participar, vamos nós ajudar... Fotos: © Pepe Mélega.
  7. Hummmm, sim me agrada muito, rsssss. A foto é do Lester Scalon na realidade, eu estou sentado com o peixe no colo e a foto está fechada em mim , não há interferências direta , mas isso pode acontecer com corte a plano americano ou de corpo inteiro. Vamos analisar três exemplos a baixo e ver qual é o mais impactante. 1 - Corpo inteiro para a situação dele estar dentro d'água Foto: © Pepe Mélega 2 - Horizontal no meio próximo ao ambiente de captura Foto: © Pepe Mélega 3 - Vertical, plano americano Foto: © Pepe Mélega São três fotos diferentes do mesmo tema no mesmo local, esqueça o gosto pessoal e me aponte a mais impactante Armando Ito e voltamos ao debate. Isso está sendo bom como forma de falar de fotografia...
  8. De maneira nenhuma Armando, uma foto de corpo inteiro e com o peixe pode ser fechada e sem interferências, por acha acha que não? Foto: © Pepe Mélega No exemplo temos o Lester Scalon de "corpo inteiro" dentro do contexto, só não aparece o que a água já esconde por estar nela inserido. Mas o entorno não desvia a atenção do observador, salvo uns galhos a esquerda meio perdidos no quadro. Abs
  9. Sutil seu comentário, mas obrigado. Mas me explica as são fotos são belas por que parecem montagem ou você acha que são montagens? :-)
  10. Se for para escolher uma a escolha é para a horizontal com a asas abertas, a luz se portou maravilhosamente e a sensação de movimento é mágica. Se for para escolher duas fica difícil para mim, pois minha leitura é trabalhar com as quatro imagens juntas, um seja um políptipo. Mas vou ariscar que vc escolheria a última, na vertical com a posição dela se mostrando aos observadores. Grande abraço
  11. Nada errado Armado, é sua forma de ver, é o que vc deseja, mas pense de outra forma, exemplo. Se o seu desejo é ter a recordação de um peixe a ti importante, por que não fechar nela evitando interferências que desviam a atenção. Seu estilo pode continuar a ser de uma foto mais aberta a transmitir mais informação ao observador, mas um objetivo, aplicação especifica pode ser mais adequado - na mensagem, deixando-a mais direta ao observador, se for fechada e sem interferência. Fotógrafos comercias (profissionais) que vivem do que ganham com esse atividade precisam entender essas necessidades para fotografar melhor a seus clientes. Há pedidos que precisamos fazer, mesmo sendo fora do estilo por nós criados, mas estamos falando de um prestador de serviço. Aqui, entre pescadores, a mensagem mais comum é: Olha o peixe que peguei, independente do estilo, a tendência é valorizar o peixe. E aqui é a minha opinião, uma foto mais fechada, sem distrações de interferências comunica melhor essa ideia do que uma mais aberta com vários planos e informação. Mas insisto, é a minha opinião e não uma regra, é a minha vivencia se manifestando e não meu estilo de fotografar. Abração
  12. Mikio eu generalizei quando falei que hoje mais gente querendo ser artista do que fotógrafo, por que e fato e quem esta no meio vive isso todo dia - Eu sou do meio, abs
  13. Não ThiagoBG, o processo de conversão que faço funciona da seguinte forma, há duas etapas a captura que é feito pensando em PB, ou seja, já conheço como algumas cores vão se comportar no momento da conversão, se as quero mais claro ou mais escuro decido antes do clique procedendo uma fotometria pontual onde entendo ser o ponto chave. Uma vez feito o clique (sempre o faço em RAW) vamos ao LR, foto aberta ajust0 a densidade, ou seja ajuste o limite do branco e do preto, nos ajustes básicos. Depois vejo se preciso ajustar as altas luzes - normalmente sacrifico nesse ponto, e uso a ferramenta de realces para isso. Se for necessário abro um pouco as baixas luzes - ferramenta sombras, mas muito pouco quando há necessidade, aqui reside o perigo, pode surgir ruído indesejável nesse momento. Feito isso o próximo passo é ir ao HSL/COR/PB e clicar em P&B, surge o comando de misturas de cor, esse atua na luminância da imagem e ai afino os detalhes como vi e ou imaginei no momento do click. Pronto a imagem está convertida. Nada diferente do que fazíamos ao captar, escolhendo o filme mais adequado entre os monocromáticos existentes, depois revelar com os truques da química para mais preto ou branco e contraste e finalmente ampliar usando técnicas de expor mais ou menos o papel para ajustar a luminância desejada. Sim ficou mais rápido fazer na era digital e menos prejudicial a saúde, mas o principio é o mesmo. Abs
  14. Obrigado pelos comentários, se trata de uma ideia que sigo trabalhando a muito tempo, espero poder concluir o projeto em breve e ter o livro lançando. Alexandre você mencionou que as imagens vão além de uma boa câmera, nessa caso a boa câmera ajudou muito, ou melhor a distancia focal que estava disponível foi quem ajudou muito. Mas na verdade as fotos surgem pelo que você vê antes do click, esse é o ponto chave, e que se vê antes é fruto de um conjunto de coisas que estão lá na cabeça de faz o Click. Houve um excelente fotógrafo, com imagens de paisagens maravilhosas em seu acervo que dizia o seguinte: “Não fazemos uma foto apenas com uma câmera; ao ato de fotografar trazemos todos os livros que lemos, os filmes que vimos, a música que ouvimos, as pessoas que amamos.” - Ansel Adams Abraços
  15. As vezes encontramos uma bela luz sem estar atrás dela, lembro quando fiz as imagens abaixo e da grande oportunidade que surgiu. Era uma sexta feira e aqui em São Paulo é o dia de meu rodízio (Chapa final 0), a caminho de casa percebi que não ia conseguir chegar a tempo e por volta das 16:58 optei por parar o carro no parque do Ibirapuera. Duas alternativas, fazer meu exercício e tomar uma água de coco antes de seguir para casa. Porém reparei que a luz estava se transformando, ficando aquele algo a mais que todo fotografo adora encontrar e optei antes por montar o equipamento e realizar algumas capturas de imagens. Acredito que foi uma decisão acertada, pois me permitiu uma sequencia de fotos que muito me agrada e que divido com vocês abaixo para seus comentários, criticas e ou perguntas. Usei uma câmera Canon EOS 5D Mk II, lente Canon 70~200mm L 4 USM e um converter da Canon modelo TC 1.4x II Exif da imagem: Abertura F 5,6, Velocidade 1/2000, ISO setado em 1250 e flash de preenchimento. Foto: © Pepe Mélega Exif da imagem: Abertura F 8, Velocidade 1/2500, ISO setado em 1250 e flash de preenchimento. Foto © Pepe Mélega Exif da imagem: Abertura F 8, Velocidade 1/2500, ISO setado em 1250 e flash de preenchimento. Foto © Pepe Mélega Exif da imagem: Abertura F 8, Velocidade 1/2500, ISO setado em 1250 e flash de preenchimento. Foto © Pepe Mélega A ideia é mostrar uma sequencia de imagens que se combinam, falam entre si e mostram como a natureza se comporta e como podemos capturar o que é oferecido com uma boa luz. As imagens foram convertidas para PB, opção do autor, pós captação usando um software da Adobe, o Lightroom 4.4 e fazem parte de um projeto de livro com captações de animais da fauna brasileiro em monocromático (PB). Abraços