Mauricio.

Super VIP
  • Total de itens

    20.777
  • Registro em

  • Última visita

  • Days Won

    573

Tudo que Mauricio. postou

  1. Mauricio.

    Nunca desista

  2. Uma das melhores marcas do mercado nacional. De fato, bem cuidado, você terá um motor para mais de 10 anos, mesmo que o use constantemente. O segredo está sempre no final da pescaria, onde no adoçamento o carburador precisa ser sempre totalmente esgotado, usando-se para isso uma técnica muito simples e conhecida . Com isso e gasolina aditivada corretamente misturada ao óleo de boa qualidade, o danado sempre pega na segunda puxada, mesmo depois de mais de seis meses parado.
  3. Mauricio.

    Arrumei

  4. Mauricio.

    Dica de sobremesa

  5. Mauricio.

    Um conto de pescador

    Quem conta um conto ganha um ponto.
  6. Mauricio.

    Pescaki FM

    Essa música acabou de ser proibida nos EUA por ser "machista".
  7. Mauricio.

    Tranqueirada

    Espera aumentar mais.
  8. Mauricio.

    Natureza morta

  9. Mauricio.

    Pescaria de lambaris ao pé da barragem!

    Muito 10!!
  10. Mauricio.

    Peixe grande

  11. Mauricio.

    Uma brasa

  12. Mauricio.

    Homenagem

  13. Mauricio.

    Dia quente de pesca

  14. Mauricio.

    Pode vir

  15. Mauricio.

    É de morrer

  16. Mauricio.

    Tudo ok

  17. Mauricio.

    A melhor isca

  18. Mauricio.

    orgulho

    Estou velho....
  19. Mauricio.

    Onde é que compra?

    Vai vender que nem pãozinho quente...
  20. É um siluriforme originário das bacias do nilo e de algumas regiões tropicais da África (Clarias gariepinus) . Introduzido no Brasil na década de 80 na aqüicultura comercial sob os argumentos de boa conversão alimentar, rusticidade, e precocidade. De fato o peixe não escolhe comida, agüenta altos índices de poluentes, baixos níveis de oxigênio dissolvido, cresce rápido (conversão de 3:1). Como se tudo isso não fosse o suficiente ainda consegue "andar" (arrasta-se com ajuda das nadadeiras peitorais) e "respirar" (tem a capacidade de usar ar atmosférico para complementar uma oxigenação deficiente) fora da água, fazendo uso dessa capacidade para mudar de endereço toda vez que o córrego ou lago em que está não é satisfatório. Esse predador noturno causou uma invasão silenciosa em rios e lagos do Sudeste. Rios como o Guandu, Tinguá, Iguaçu, Macaé, assim como suas bacias hidrográficas estão infestadas de bagres africanos em diversas fases de crescimento, prova irrefutável de sua capacidade reprodutiva fora de suas águas nativas. Nestas bacias hidrográficas é considerado a 2ª causa da acentuada diminuição das populações nativas de crustáceos, peixes e moluscos. Assim como vários organismos equivalentes, não houve um estudo de impacto ambiental adequado antes do início da importação de matrizes, assim o lobby importador foi mais forte. O problema começou quando se iniciou o processo de venda do produto final, já que sua aparência, um peixe branco pálido e cujo sabor ninguém conhecia, fazia os apreciadores de peixe escolherem outras espécies. O resultado não tardou a aparecer e centenas de criadores frustrados com a experiência resolveram esvaziar os tanques para voltarem a engordar os pacus, tambacus, tilápias, e outros. Os peixes foram para os córregos, vivos e com alta capacidade reprodutiva. A reprodução ocorre em pequenos rios temporários e alagadiços que se formam no início da estação chuvosa. Essa é outra característica indesejável, já que muitas espécies nativas se reproduzem nesse tipo de ambiente e as larvas e alevinos das espécies nacionais poderiam ser predadas, ainda na fase inicial do desenvolvimento, pelos jovens do Bagre Africano, que permanecem nessas áreas por cerca de seis meses antes de decidir retornar ao corpo d'água principal. Costuma ocupar a região marginal e rasa dos rios, lagos e pântanos. É capaz de sobreviver à seca se enterrando no lodo, desde que esse permaneça úmido e não seque totalmente. O bagre africano é considerado um grande destruidor da ictiofauna, competindo diretamente com os peixes nativos. Ainda não se sabe a extensão dos estragos que já causou em diversos rios.
  21. Deve ser a quantidade de nitratos que a chuva leva para o rio. Tristeza.
  22. Mais uma da famosa South Bend. Essa, mais simples que a anterior, pois não possui quaisquer recursos de anti backlash (exceto o dedo ). Manopla com pegadores em Bakelite Marble, imitação de mármore, eram comuns à época e item bem querido pelos pescadores, pois emprestava um ar mais "chic" ao equipamento. Pequena, de fato é até menor que a impressão que se tem nas fotos. Direct Drive como a grande maioria em sua época. Mas isso não impedia o bom pescador de capturar bons peixes, principalmente o Black Bass, provavelmente o peixe que permitiu o desenvolvimento desse e de outros equipamentos que hoje achamos comuns. Era considerado do modelo mais simples e barato que se poderia comprar, coisa na faixa dos cinco a dez dólares, equipamento de entrada ao proponente a pescador. Antes da Segunda Guerra Mundial ainda se usavam linhas de algodão, linho ou seda (essas, as mais caras). Comprava-se quantidades pequenas como 25, 50 ou 75 jardas. Para corretamente encher o carretel com quantidades menores era comum comprar-se nas lojas um preenchedor de cortiça, item semelhante a uma rolha com a largura interna do carretel, com um furo no meio de ponta a ponta e mais um corte na lateral de forma que se podia vestir o carretel com ele. O mesmo era instalado e colado no corte (ou não, a pressão da linha o mantinha bem preso), e assim se tinha um carretel beeem mais largo. Algumas carretilhas já vinham com essa cortiça na caixa, para uso à escolha do dono. Se estragasse ou não fosse mais querido era fácil retirar com uma faca, sem dor no coração pois era coisa barata. Essa está em perfeito estado. Poderia ser usada sem problemas. Mas acho que, por enquanto, ficará gozando de uma calma aposentadoria. Pelo menos enquanto o Bolsonaro não mexe nela...

Parceiros: www.petsEXPERT.pt