Entre para seguir isso  
Seguidores 0
Mauricio.

O Bagre Africano

56 posts neste tópico

bagre_africano.jpg

É um siluriforme originário das bacias do nilo e de algumas regiões tropicais da África (Clarias gariepinus) . Introduzido no Brasil na década de 80 na aqüicultura comercial sob os argumentos de boa conversão alimentar, rusticidade, e precocidade.

De fato o peixe não escolhe comida, agüenta altos índices de poluentes, baixos níveis de oxigênio dissolvido, cresce rápido (conversão de 3:1). Como se tudo isso não fosse o suficiente ainda consegue "andar" (arrasta-se com ajuda das nadadeiras peitorais) e "respirar" (tem a capacidade de usar ar atmosférico para complementar uma oxigenação deficiente) fora da água, fazendo uso dessa capacidade para mudar de endereço toda vez que o córrego ou lago em que está não é satisfatório.

Esse predador noturno causou uma invasão silenciosa em rios e lagos do Sudeste. Rios como o Guandu, Tinguá, Iguaçu, Macaé, assim como suas bacias hidrográficas estão infestadas de bagres africanos em diversas fases de crescimento, prova irrefutável de sua capacidade reprodutiva fora de suas águas nativas.

Nestas bacias hidrográficas é considerado a 2ª causa da acentuada diminuição das populações nativas de crustáceos, peixes e moluscos.

capa.jpg

Assim como vários organismos equivalentes, não houve um estudo de impacto ambiental adequado antes do início da importação de matrizes, assim o lobby importador foi mais forte. O problema começou quando se iniciou o processo de venda do produto final, já que sua aparência, um peixe branco pálido e cujo sabor ninguém conhecia, fazia os apreciadores de peixe escolherem outras espécies.

O resultado não tardou a aparecer e centenas de criadores frustrados com a experiência resolveram esvaziar os tanques para voltarem a engordar os pacus, tambacus, tilápias, e outros. Os peixes foram para os córregos, vivos e com alta capacidade reprodutiva.

f4.jpg

A reprodução ocorre em pequenos rios temporários e alagadiços que se formam no início da estação chuvosa. Essa é outra característica indesejável, já que muitas espécies nativas se reproduzem nesse tipo de ambiente e as larvas e alevinos das espécies nacionais poderiam ser predadas, ainda na fase inicial do desenvolvimento, pelos jovens do Bagre Africano, que permanecem nessas áreas por cerca de seis meses antes de decidir retornar ao corpo d'água principal.

Costuma ocupar a região marginal e rasa dos rios, lagos e pântanos. É capaz de sobreviver à seca se enterrando no lodo, desde que esse permaneça úmido e não seque totalmente.

O bagre africano é considerado um grande destruidor da ictiofauna, competindo diretamente com os peixes nativos. Ainda não se sabe a extensão dos estragos que já causou em diversos rios.

:eek:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O MARTELO ADORA ENROSKAR AS ARTIFICIAIS NELE PELAS COSTAS!! KKKKKK

MAS INTERESSANTE A MATÉRIA MAURÍCIO!!!

ABRAAAXXX

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
O MARTELO ADORA ENROSKAR AS ARTIFICIAIS NELE PELAS COSTAS!! KKKKKK

MAS INTERESSANTE A MATÉRIA MAURÍCIO!!!

ABRAAAXXX

Realmente, quando isso acontece fico bem triste !!!!!! o bicho feio danado !!!!

Agora quando tu enrosca um Jurupecem e ele te da uma ferroada, é pior ainda !!!! :simsim:

Eu ja tive um Clarias em meu aquario, daquela variedade albina com alguns pontos marrons ... piedbald !

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Realmente, quando isso acontece fico bem triste !!!!!! o bicho feio danado !!!!

Agora quando tu enrosca um Jurupénsem e ele te da uma ferroada, é pior ainda !!!! :simsim:

Eu ja tive um Clarias em meu aquario, daquela variedade albina com alguns pontos marrons ... piedbald !

AHUAHUAUHAHU ÉH... ESSA FERROADA DESSE JURUPÉNSEM DÓI MESMO.... EU NUNCA TOMEI... MAS A CARA QUE O MARTELLO FEZ... É PQ DEVE DOER MESMO!!

ABRAAAXXX

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Aguenta altos níveis de poluentes? Podia soltar alguns no rio Pinheiros e no trecho urbano do Tietê...será que o bagre aguenta?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Aguenta altos níveis de poluentes? Podia soltar alguns no rio Pinheiros e no trecho urbano do Tietê...será que o bagre aguenta?

TALVEZ UNS 40 MINUTOS SENDO BEM OTIMISTA?

RS

ABRAAAXXX

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Recordo-me de quando tremendamente surpreso, ao mesmo tempo que muito preocupado, há uns vinte anos, pescando piavas, fisguei o primeiro deles no meu Paraíba-do-Sul. :wacko::bravo: Todavia, ao contrário do que esperava, não houve a concretização do funesto futuro que esta façanha prenunciava e hoje, felizmente, é até bastante difícil fisgar-se um por aqui. :coolio:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Não sou Biólogo, nem um aquarista muito experiente, porém, acredito que as condições de vida para algum peixe nestes rios sejam severas demais, existem relatos de pequenos peixes que vivem as margens desses rios, conforme matérias que eu li, mas não me lembro a fonte, me perdoem ! Esses pequenos peixes se não me engano são os Guarus e lebistes, mas confesso que não acredito muito !

Concordo com o Romano ... uns quarenta minutos no máximo, sendo bem otimista !

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Lembrando que são severas a qualidade de água nos trechos urbanos !!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
TALVEZ UNS 40 MINUTOS SENDO BEM OTIMISTA?

RS

ABRAAAXXX

KKKKKKK...eu lembro de uma reportagem há uns 10 anos de uma cara (acho que era da revista Aruanã) pescando de tarrafa no Pinheiros e Tietê, e não é que ele tarrafeou uns cascudos perto de uma ponte ? Acho que se o bicho não fizer muita questão de oxigênio dissolvido, deve até sobreviver, comida é o que não falta...ughhh

Outra coisa que não me esqueço foi uma vez que inundou o túnel do Anhangabaú, e quando a água baixou, acharam uns carazinhos mortos...vai entender...

A natureza é f....

abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
KKKKKKK...eu lembro de uma reportagem há uns 10 anos de uma cara (acho que era da revista Aruanã) pescando de tarrafa no Pinheiros e Tietê, e não é que ele tarrafeou uns cascudos perto de uma ponte ? Acho que se o bicho não fizer muita questão de oxigênio dissolvido, deve até sobreviver, comida é o que não falta...ughhh

Outra coisa que não me esqueço foi uma vez que inundou o túnel do Anhangabaú, e quando a água baixou, acharam uns carazinhos mortos...vai entender...

A natureza é f....

abraços

A NATUREZA REALMENTE É FANTÁSTICA, PEIXES EXTREMAMENTES SENSÍVEIS A AMÔNIA QUE É O CASO DESSE POR VC CITADO E SENSÍVEIS A OUTROS POLUENTES COM CERTEZA ENCONTRADOS NESSES 2 RIOS VIVOS NA NATUREZA...... ISSO É REALMENTE FANTÁSTICO!! :coolio::coolio::coolio:

SERÁ QUE C FIZER UMA CEVA DA PRA PEGAR? :eek::eek::assobiando::assobiando:

ABRAAXXXXX

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Aqui no lago Paranoá soltaram algums no início do lago. Nunca pesquei um, mas já vi outros pescadores pegarem. É muito feio, heheheh!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
A NATUREZA REALMENTE É FANTÁSTICA, PEIXES EXTREMAMENTES SENSÍVEIS A AMÔNIA QUE É O CASO DESSE POR VC CITADO E SENSÍVEIS A OUTROS POLUENTES COM CERTEZA ENCONTRADOS NESSES 2 RIOS VIVOS NA NATUREZA...... ISSO É REALMENTE FANTÁSTICO!! :coolio::coolio::coolio:

SERÁ QUE C FIZER UMA CEVA DA PRA PEGAR? :eek::eek::assobiando::assobiando:

ABRAAXXXXX

Creio que se a poluição do Tietê e Pinheiros diminuísse apenas 50% na zona metropolitana, muitas espécies conseguiriam se reproduzir e prosperar por lá. :simsim: Meu pai me contava que pescava nas águas do Tietê quando jovem, e a quantidade de lambaris, mandis e carás era considerável. Ele também tinha um sandolim e remava, saindo do clube, que tinha a parte náutica ativa na época.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Creio que se a poluição do Tietê e Pinheiros diminuísse apenas 50% na zona metropolitana, muitas espécies conseguiriam se reproduzir e prosperar por lá. :simsim: Meu pai me contava que pescava nas águas do Tietê quando jovem, e a quantidade de lambaris, mandis e carás era considerável. Ele também tinha um sandolim e remava, saindo do clube, que tinha a parte náutica ativa na época.

JA PENSOU Q LINDO? EU TENDO Q ANDAR APENAS 8 KM PRA PESCAR?

RS

IRIA AMAR!

ABRAAXXX

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

por esta razao que devemos MATAR TODOS OS PEIXES EXOTICOS QUE ENCONTRAMOS NOS LAGOS E RIO NATURAIS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! :simsim::simsim::chair::chair:

SEM PENA NEM DISCRIMINAÇÃO POR TAMANHO! NAO EXISTE FISCALIZAÇÃO ENTAO NÓ TEMOS QUE A FAZE-LA. NAO IMPORTA O PEIXE NEM O TAMANHO, SENDO EXOTICO DEVE SER MORTO!!!!

SE TU NAO GOSTA MATA E JOGA FORA. MAS NAO DEIXE ELE ALI NO MEIO AMBIENTE COMPETINDO,PREDANDO E EXTINGUINDO ESPECIES NATIVAS E NOSSAS DE VERDADEIRO VALOR ECOLOGICO!

Valeu pessoal.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Este Bagre é "peste" !!! Um pesqueiro no Espírito Santo QUASE ACABOU devido ao aparecimento "inesperado" deste peixe, ... segundo os donos, não introduziram a espécie, ... ou "alguém" levou escondido ou "caiu do céu" !!! Aliás, este peixe até parece mesmo "extraterrestre" !!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Aqui no lago Paranoá soltaram algums no início do lago. Nunca pesquei um, mas já vi outros pescadores pegarem. É muito feio, heheheh!

É verdade. Também já vi um peixe dessa espécie pego no lago, mas parece que a espécie não prosperou a ponto de ameaçar as outras. Pelo menos não aqui no lago Paranoá...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
por esta razao que devemos MATAR TODOS OS PEIXES EXOTICOS QUE ENCONTRAMOS NOS LAGOS E RIO NATURAIS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! :simsim::simsim::chair::chair:

SEM PENA NEM DISCRIMINAÇÃO POR TAMANHO! NAO EXISTE FISCALIZAÇÃO ENTAO NÓ TEMOS QUE A FAZE-LA. NAO IMPORTA O PEIXE NEM O TAMANHO, SENDO EXOTICO DEVE SER MORTO!!!!

SE TU NAO GOSTA MATA E JOGA FORA. MAS NAO DEIXE ELE ALI NO MEIO AMBIENTE COMPETINDO,PREDANDO E EXTINGUINDO ESPECIES NATIVAS E NOSSAS DE VERDADEIRO VALOR ECOLOGICO!

Valeu pessoal.

Nelson, ok, exceto o Bass, né? abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Infelizmente isto é uma realidade. Aqui na região, alguns riachos e córregos até pouco tempo ricos em traíras, bagres comuns, lambarís e outras espécies, estão hoje infestados de bagre africano. O que acontece é que muita gente, talvez com os melhores propósitos, mas sem nenhum conhecimento, sem nenhum critério se sente no direito de introduzir não só espécies de peixes, mas plantas e outros animais que acabam por produzir danos ireverssíveis e que muitas vezes passam despercebidos. Querem alguns exemplos? A brachiária do brejo(tanner grass), uma das especies mais eficientes no processo de assoreamento de cursos dágua. Uma espécie de caramujo gigante que está se tornando caso de calamidade pública próximo a Belo Horizonte. Os javalís no sul do Brasil, a introdução de piranhas, tucunarés e outros peixes no sistema lacustre do Parque Estadual do Vale do Rio Doce(uma biodiversidade única no mundo), o mexilhão dourado e etc e etc...

Se querem contribuir realmente para preservar o meio ambinete, nunca mas nunca mesmo, tentem introduzir uma espécie seja ela qual for, mesmo com a mais divina das intenções, sem ter a absoluta certeza das consequências deste ato.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Naquele lago do meu sogro, de 2,5 hectares,

Havia sido solto 25 bagres africanos com mais de 2 kg cada (retirado do outro lago que é menor),

Foram soltos a 4 anos nesse lago grande, até agora não tive NENHUMA NOTÍCIA deles,

Pesco lá, quase todo mês e nunca peguei eles...

Foi passado rede, no lago, a 1 mês, para pegar algumas cabeçudas (que estão com aproximadamente 10 kg) e foi pego 1, com 11 kg...

Os outros SUMIRAM...

E olha que eu sempre isco lambarí, massa, minhoca e miúdos de frango (moela, coração, tripa, etc...)

Meu medo é que eles cheguem no Rio Uruguai...

Grande Abraço,

Diovani Sandin

:joia::assobiando::joia::assobiando::joia::assobiando::joia::assobiando::joia:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
...Se querem contribuir realmente para preservar o meio ambinete, nunca mas nunca mesmo, tentem introduzir uma espécie seja ela qual for, mesmo com a mais divina das intenções, sem ter a absoluta certeza das consequências deste ato.

Normando, concordo quase 100%...a questão é que NUNCA vai se ter certeza absoluta das consequências de uma soltura de espécies novas ou mesmo em se fazer reintrodução de espécies nativas. Veja o exemplo do Diovani, aparentemente o lago era seguro pra soltar o bagre. Entretanto...

Na maior parte das vezes a novidade é "expulsa" após algum tempo, pelo controle natural. A não ser que seja uma praga, como as tilápias, piranhas, etc. e nesse caso eu ainda apostaria numa grande chance de reversão natural da espécie exótica, mas de forma lenta e em um tempo muitíssimo maior, e raríssimas chances da espécie se firmar definitivamente no novo lugar (tem de ser uma praga com P maiusculo, hehehe).

Se é para "brincar de intenções divinas", como vc bem falou, pelo menos que se caprichem mais nestas intenções (caso do Bass, trutas, tucunas, etc.).

abrs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Waldir, o pior é que o bagre africano parece ser uma praga com P maisculo mesmo. A capacidade de sobrevivência da espécie é algo incrível, já tivemos a oportunidade de deparar com este peixe em lugares inimagináveis(águas paradas quase só barro, poluição no mais alto nível, tabuleiros de arroz, canal de irrigação...) e a voracidade também é algo que assusta, num lago de um conhecido meu atacavam até patinhos que se aventurassem dentro dágua. E como o Maurício disse, se as condições do local se tornam inadequadas o lazarento muda de lugar.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Waldir, o pior é que o bagre africano parece ser uma praga com P maisculo mesmo. A capacidade de sobrevivência da espécie é algo incrível, já tivemos a oportunidade de deparar com este peixe em lugares inimagináveis(águas paradas quase só barro, poluição no mais alto nível, tabuleiros de arroz, canal de irrigação...) e a voracidade também é algo que assusta, num lago de um conhecido meu atacavam até patinhos que se aventurassem dentro dágua. E como o Maurício disse, se as condições do local se tornam inadequadas o lazarento muda de lugar.

Então, Eu li numa revista de pesca muitos anos atrás, que esse bagre virou praga na Florida e as autoridades chegaram a colocar veneno nos lagos, mas nao adiantou nada, pois ele é pulmonado e saia de um lago pra outro se arrastando... è a versão "Duro de matar" do mundo dos peixes hehehe

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

peixe feio, carne ruim, naum briga nada e ainda eh predador...

o q q o povo tinha na cabeça?

iuhaiuhaiuhaiuha

grande abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Waldir, o pior é que o bagre africano parece ser uma praga com P maisculo mesmo. A capacidade de sobrevivência da espécie é algo incrível, já tivemos a oportunidade de deparar com este peixe em lugares inimagináveis(águas paradas quase só barro, poluição no mais alto nível, tabuleiros de arroz, canal de irrigação...) e a voracidade também é algo que assusta, num lago de um conhecido meu atacavam até patinhos que se aventurassem dentro dágua. E como o Maurício disse, se as condições do local se tornam inadequadas o lazarento muda de lugar.

Esta será mais uma das grandes pragas inseridas por nós na América do Sul. Já temos pardais do sul da Argentina até a Colômbia e abelhas africanizadas também do sul da Argentina ao sul dos EUA. Será que o bagre africano também se disseminará tanto?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora
Entre para seguir isso  
Seguidores 0