Vladimir Ferreira

Arranques progressivos e cônicos.

193 posts neste tópico

Valeu Fábio, isto é uma demonstração que a nossa participação vem crescendo dentro do Pescaki e mais do que nunca a responsabilidade irá aumentar com esta mudança.

Fico feliz em saber que está utilizando linha 0,18mm, pois com certeza irá lhe trazer mais sensibilidade nas pescarias, mas lembre-se os cuidados e a tranquilidade também terão que ser maiores.

Um grande abraço,

É verdade.

Mas na praia, sem enroscos e correnteza contra, dá para trabalhar o peixe bem mesmo!

Engraçado é que quando iniciei na PDP pensava justamente o contrário. Acho que as ondas e principalmente o tamanho da chumbada (que é muito maior) davam a falsa impressão que a linha deveria ser mais grossa que as utilizadas em outras modalidades.

Hoje vejo que não é bem assim...

Um arranque pode resolver o problema da chumbada e as ondas, com o tempo, até ajudam a empurrar o peixe para fora d'água!

Vivendo, ouvindo, lendo e aprendendo!

PS.: A linha 0,18 comecei a usar aquele dia lá em regência! E já rendeu bem... heheh

Abraçoooo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É verdade.

Mas na praia, sem enroscos e correnteza contra, dá para trabalhar o peixe bem mesmo!

Engraçado é que quando iniciei na PDP pensava justamente o contrário. Acho que as ondas e principalmente o tamanho da chumbada (que é muito maior) davam a falsa impressão que a linha deveria ser mais grossa que as utilizadas em outras modalidades.

Hoje vejo que não é bem assim...

Um arranque pode resolver o problema da chumbada e as ondas, com o tempo, até ajudam a empurrar o peixe para fora d'água!

Vivendo, ouvindo, lendo e aprendendo!

PS.: A linha 0,18 comecei a usar aquele dia lá em regência! E já rendeu bem... heheh

Abraçoooo

Fábio havia me esquecido deste detalhe, inclusive foi com ela que vc capturou aquela bocudona roncadora!!!!

:D :D :D

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

PS.: A linha 0,18 comecei a usar aquele dia lá em regência! E já rendeu bem... heheh

Fabio, em Regencia não uso menos que 0,25, por que quando o chumbo enterra é barra pesada para desenterrar ..... quantos arranques perdi antes de aprender

Um abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fabio, em Regencia não uso menos que 0,25, por que quando o chumbo enterra é barra pesada para desenterrar ..... quantos arranques perdi antes de aprender

Um abraço

Renato, o fato das chumbadas estarem enterrando pode estar relacionado ao local onde os arremessos estão sendo realizados e também pelo formato e peso das chumbadas, neste caso dois aspectos também merecem ser destacados, diâmetro das linhas e peso das chumbadas, sendo que uma está diretamente relacionada a outra, linha mais grossa, chumbada mais pesada, chumbada mais pesada = chumbada enterrada.

Existe dois modelos de chumbada que eu utilizo bastante em praias de tombo, que são excelentes e pouco conhecidas, uma que nós chamamos de pião e a outra de pirâmide entalhada, tenho elas nos pesos, 75, 90 e 115 grs, sendo que as que eu mais utilizo são os de 75 e 90grs, já a de 115 grs é muito raro, pois ela se deixada por muito tempo estacionada se enterram, ai só mesmo com multi para desenterrá-las.

chumbadapio.jpg

Vejo muitos pescadores em condições normais neste tipo de praia, equivocadamente logo após o arremesso já esticam a linha, sem ao menos deixar que a chumbada se posicione de forma natural e corretamente, pois cada modelo em baixo d'água irá trabalhar de uma forma. Somente depois de algum tempinho é que eu lentamente vou esticando a linha até sentir o peso da chumbada sem fazer com que ela saia de sua posição, isto faz com que ela atraque ou vá trabalhando lentamente, que é o que mais gosto que aconteça e também vejo que é a mais eficiente e produtiva.

Em Regência e Comboios existe um tipo de pescaria que só pode ser realizada com a chumbada atracada, que é a dos grandes baiacus, senão eles acabam cortando tudo, pernada, anzol e chicote, todos de aço encapado e também as linhas (arranque e principal). Pois a chumbada deve ficar atracada e com a linha bem esticada e ao mínimo sinal o pescador terá que fisgar e rebocar, um tipo de pescaria que particularmente não gosto de fazer.

Abçs,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom saber

A turma aqui ta usando uma esfera e tambem o pião, fiquei surpreso quando meu piramide corria e estes citados não.

Valeu Vladimir

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom saber

A turma aqui ta usando uma esfera e tambem o pião, fiquei surpreso quando meu piramide corria e estes citados não.

Valeu Vladimir

Existe um efeito que afeta e atua sobre chumbadas que nós pouco conhecemos, que é o hidrodinâmico.

Eu mesmo percebo algumas coisas que acontecem, até me beneficio delas, mas não tenho conclusões concretas para explicar o porquê exatamente elas acontecem.

Uma delas é com as chumbadas com hastes longas, que para muitos serve para estabilizar a chumbada durante os arremessos. Aerodinamicamente não creio que isto seja verdadeiro. Este conceito aplicado em diversos modelos de chumbadas veio da Europa, sendo que a sua principal característica é o de também ajudar na ancoragem.

Eu mesmo possuo diversos modelos de chumbadas que seguem o mesmo principio aerodinâmico, com formatos diferentes e são todos excelentes na hora do arremesso, mas que dentro da água agem de forma completamente diferente um do outro.

Veja na imagem abaixo, eles são os que estão marcados:

chumbadafundidas-1.jpg

Observem o que possui haste longa "B", ele é fundido na mesma forma do que está na parte inferior "D", apenas na hora da fundição eu apenas retiro o pino que prende a argola no modelo comum e coloco a haste de solda inox de 2mm de diâmetro.

Quando o mar está extremamente calmo eu utilizo o "C" para tentar fazer com que ele se movimente um pouco, mais mexido o "A", um pouco pior o "D" e quando está bem agitado utilizo o "B", e é impressionante a diferença de comportamento deles dentro d’água.

Vale destacar que estes modelos destacados são utilizados basicamente em pescarias que exijam arremessos mais longos.

Um abraço,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fábio havia me esquecido deste detalhe, inclusive foi com ela que vc capturou aquela bocudona roncadora!!!!

:D :D :D

:assobiando:

Não foi a do maradona, mas teve uma "mãozinha" ajudando na captura daquela corvina... kkkk

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fabio, em Regencia não uso menos que 0,25, por que quando o chumbo enterra é barra pesada para desenterrar ..... quantos arranques perdi antes de aprender

Um abraço

Fala Parceiro, blz?

Então cara, lá em Regência eu ainda não tive problemas com o chumbo enterrando não. Isso acontece mais no Degredo...

Mas, sem dúvidas, se enterar, com a linha 0.18, vai ficar por lá mesmo!

Abraçãooo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

:assobiando:

Não foi a do maradona, mas teve uma "mãozinha" ajudando na captura daquela corvina... kkkk

A minha contribuição foi pequena, apenas de observação, vc fez a parte mais importante, iscou, arremessou e a colocou com segurança na areia.

Fala Parceiro, blz?

Então cara, lá em Regência eu ainda não tive problemas com o chumbo enterrando não. Isso acontece mais no Degredo...

Mas, sem dúvidas, se enterar, com a linha 0.18, vai ficar por lá mesmo!

Abraçãooo

Não creio que haja problema se vc se mantiver atento e sempre dar uma conferida. O que não se deve fazer é o que fazem alguns pescadores que pescam por lá, montam um monte de caniços, um distante do outro, com chumbada pirâmide cravada e a cada meia hora uma visita. Assim fica impossível a utilização de linhas finas e também deixa de ser uma pescaria esportiva. :unsure: :unsure: :unsure:

Abçs,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tive uma dúvida aqui agora...

A demonstração do início do tópico foi feita com um arranque progressivo com 3 bitolas de linhas.

Esse é o ideal/padrão ou pode-se usar mais (ou, quem sabe, menos)?

Existe algum fator que exija uma quantidade maior (ou menor) de fusões?

Quais as vatagens e desvantagens de mais fusões?

Abraçooooooooo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tive uma dúvida aqui agora...

A demonstração do início do tópico foi feita com um arranque progressivo com 3 bitolas de linhas.

Esse é o ideal/padrão ou pode-se usar mais (ou, quem sabe, menos)?

Existe algum fator que exija uma quantidade maior (ou menor) de fusões?

Quais as vatagens e desvantagens de mais fusões?

Abraçooooooooo

Fábio não existe um padrão ou regra, eu particularmente gosto de fazê-lo de forma progressiva, onde a diferença de diâmetro de uma para outra não seja muito grande, mas sei de pescadores que fazem a solda direto, sem utilizar ponte, por exemplo, unir uma linha 0,20 mm direto a uma 0,45 mm.

Já fiz alguns testes desta forma, não apresentou problemas de resistência, mas vejo que o arranque principal (0,45mm) sendo soldado diretamente na linha mestra (0,20mm) mesmo muito bem cortado, rente e em diagonal, acaba ficando um degrau, que sempre provoca certo atrito com os passadores/ponteira, que fatalmente irá provocar um desgaste maior neste ponto, que com o passar do tempo poderá acabar se rompendo exatamente neste ponto.

Abçs,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ja gastei quase 100mts de linha 0,18 tentando soldar com a 0,31 e não consigo está arrebentando a toa mesmo colocando só uma gotinha de cola, então coloco pouca cola so de uma lado , continua arrebentando facil, coloco menos cola ainda ai ela acaba abrindo com pouco esforço, sempre usei solda mais com linha mais grassa tipo 0,23 ou 0,26 mais não tão fina, esta complicado!!!!!!!!!!!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ja gastei quase 100mts de linha 0,18 tentando soldar com a 0,31 e não consigo está arrebentando a toa mesmo colocando só uma gotinha de cola, então coloco pouca cola so de uma lado , continua arrebentando facil, coloco menos cola ainda ai ela acaba abrindo com pouco esforço, sempre usei solda mais com linha mais grassa tipo 0,23 ou 0,26 mais não tão fina, esta complicado!!!!!!!!!!!!!

Alexandre o produto que vc está utilizando é feito artesanalmente ou é industrializada.

Tente fazer uma ponte intermediária com uma linha 0,25mm (2m) e depois a 0,31mm.

Realmente procure passar pouca solda, mantenha as linhas bem encostadas, esticadas, mas sem estarem tencionadas e procure aquecê-la um pouco com um secador, apesar de o clima estar seco e a temperatura elevada.

Está arrebentando antes ou depois de cortada?

Se for possível coloque uma imagem dela antes e depois de retirada do gabarito, para visualizáramos.

Abçs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

E a distância entre as soldas?

Alguma precaução especial ou podem ser seguidas/próximas?

Abraçooo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Senhores, bom dia.

Sou novo por aqui, porém, visitando o fórum, observei a seriedade com que os senhores abordam os temas e resolvi me cadastrar.

Quanto à solda, faço semelhante ao Vladimir, porém, com o comprimento das linhas intermediárias em torno de 60 a 70 cm, e, a parte com cola. com no máximo, 1 cm. Tem funcionado muito bem.

Abraços,

Sergio

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

E a distância entre as soldas?

Alguma precaução especial ou podem ser seguidas/próximas?

Abraçooo

Fábio eu costumo fazer as soldas há uma distância de aproximadamente dois metros de distância uma das outras. Isto até para que estas pontes tenham um pouco mais de elasticidade.

Já com relação ao tamanho das soldas eu costumo fazê-la com mais ou menos 2,5 cm, lembrando que o grande segredo nestes pontos serão os cortes das pontas, sempre rentes e diagonais.

Abçs,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fábio eu costumo fazer as soldas há uma distância de aproximadamente dois metros de distância uma das outras. Isto até para que estas pontes tenham um pouco mais de elasticidade.

Vladimir, lembrando que é interessante não haver solda no "trecho" entre o molinete e o chicote, que seria a parte mais exigida no arremesso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Senhores, bom dia.

Sou novo por aqui, porém, visitando o fórum, observei a seriedade com que os senhores abordam os temas e resolvi me cadastrar.

Quanto à solda, faço semelhante ao Vladimir, porém, com o comprimento das linhas intermediárias em torno de 60 a 70 cm, e, a parte com cola. com no máximo, 1 cm. Tem funcionado muito bem.

Abraços,

Sergio

Sérgio primeiramente quero desejar boas vindas ao Pescaki e ao espaço da Pesca de Praia. :plus::plus::plus:

O Fórum como um todo é administrado com muita seriedade e responsabilidade, conta com muitos pescadores capacitados, sempre dispostos a colaborar e esclarecer possíveis dúvidas.

Não vejo problemas nos seus procedimentos, acho que tudo vai muito da confiança que vc já adquiriu, se desta forma vc vem obtendo o resultado esperado, não tem porque mudá-los, mais importante que criar regras, estamos aqui para tentarmos passar as nossas experiências e também para aprender com os tópicos e debates postados, que estão sempre contribuindo para somarmos conhecimentos.

Um grande abraço,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Senhores, bom dia.

Sou novo por aqui, porém, visitando o fórum, observei a seriedade com que os senhores abordam os temas e resolvi me cadastrar.

Quanto à solda, faço semelhante ao Vladimir, porém, com o comprimento das linhas intermediárias em torno de 60 a 70 cm, e, a parte com cola. com no máximo, 1 cm. Tem funcionado muito bem.

Abraços,

Sergio

Seja bem-vindo Sérgio!

O forum é muito legal e ficará ainda melhor com sua contribuição...

Abraçooo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Depois de muita tentativa consegui pescadores acabei de cortar as pontas e ficou bem resistente foi direto 0,31 mesmo.

Estou usando a solda aruana e gostando muito!

Valeu pescadores!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vladimir sempre arrebentava depois que eu cortava, depois eu ja pasei a testar antes de cortar para não perder tempo e mesmo assim arrebentava facil!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Barbirato, você tem que tomar cuidado com o líquido que fica impregnado na tampa da solda aruanâ, pois se trata de condensação do ácido fênico utilizado na manipulação da solda. Este ácido simplesmente corroe a linha que tentamos soldar.

Obs. No kit da solda aruanã vem uma agulha que serve para aplicar o produto nas linhas a serem soldadas, e nessa agulha, quando vamos tirar a solda do pote é que vem grudado o ácido fênico condensado.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Depois de muita tentativa consegui pescadores acabei de cortar as pontas e ficou bem resistente foi direto 0,31 mesmo.

Estou usando a solda aruana e gostando muito!

Valeu pescadores!

A solda Aruanã é feita artesanalmente pelo Nelson de Mello há muito tempo e é muito boa.

Abçs,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vladimir sempre arrebentava depois que eu cortava, depois eu ja pasei a testar antes de cortar para não perder tempo e mesmo assim arrebentava facil!

:unsure::unsure::unsure:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Existe um efeito que afeta e atua sobre chumbadas que nós pouco conhecemos, que é o hidrodinâmico.

Eu mesmo percebo algumas coisas que acontecem, até me beneficio delas, mas não tenho conclusões concretas para explicar o porquê exatamente elas acontecem.

Uma delas é com as chumbadas com hastes longas, que para muitos serve para estabilizar a chumbada durante os arremessos. Aerodinamicamente não creio que isto seja verdadeiro. Este conceito aplicado em diversos modelos de chumbadas veio da Europa, sendo que a sua principal característica é o de também ajudar na ancoragem.

Eu mesmo possuo diversos modelos de chumbadas que seguem o mesmo principio aerodinâmico, com formatos diferentes e são todos excelentes na hora do arremesso, mas que dentro da água agem de forma completamente diferente um do outro.

Veja na imagem abaixo, eles são os que estão marcados:

chumbadafundidas-1.jpg

Observem o que possui haste longa "B", ele é fundido na mesma forma do que está na parte inferior "D", apenas na hora da fundição eu apenas retiro o pino que prende a argola no modelo comum e coloco a haste de solda inox de 2mm de diâmetro.

Quando o mar está extremamente calmo eu utilizo o "C" para tentar fazer com que ele se movimente um pouco, mais mexido o "A", um pouco pior o "D" e quando está bem agitado utilizo o "B", e é impressionante a diferença de comportamento deles dentro d’água.

Vale destacar que estes modelos destacados são utilizados basicamente em pescarias que exijam arremessos mais longos.

Um abraço,

Vladimir,

O tamanho da haste influencia em chumbadas de formato igual? Pelo que entendi a chumbada com a haste comprida prende melhor nos dias que a correnteza está puxando muito?

Abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora