Vladimir Ferreira

Arranques progressivos e cônicos.

194 posts neste tópico

Aproveitando que ultimamente temos comentado muito sobre arranques cônicos e progressivos, gostaria de fazer uma abordagem sobre estes assuntos e alguns outros que estão diretamente ligados a eles, principalmente sobre como fazer a união de linhas com bitolas diferentes utilizando o sistema de soldagem que também poderia ser chamado de fusão ou cola.

Para não ficar variando a terminologia vou adotar a palavra solda que é a que eu acho que seja a mais apropriada, ela é obtido através de um processo químico, que resulta na união entre duas linhas de monofilamento, com exceção das linhas de fluorocarbon, apesar de já ter visto comentários que já existam produtos específicos para este tipo de linha, mas que eu desconheço.

Há muito tempo existem produtos manufaturados industrialmente para este fim, mas eu até agora só utilizei os produzidos artesanalmente, sendo que as minhas primeiras soldas foram feitas com uma pequena quantidade que recebi de presente do Sr. Rolando Felizardo (O Professor) uma lenda, mas exclusivamente para as provas de lançamento (casting limitado), isto por volta de 1988.

Mas realmente na pesca eu só passei a utilizá-la por volta de 2005 e praticamente nunca mais utilizei os nós para união de linhas de monofilamento. Como já citei acima para este fim só utilizei produtos que são feitos artesanalmente, pelo Sr. Armando do Clube Arpão do RS, mas temos outras pessoas que também o fazem. Este produto é a base de ácido fênico, água destilada e pequenos pedaços de linha de nylon. Portanto não posso fazer nenhum comentário sobre a qualidade e eficiências dos produtos industrializados (15 minutos e 24 hrs) que são vendidos nas lojas de pesca, até porque já fiz diversos posts sobre este assunto e este nunca se interessou em fazer um contato ou um trabalho diretamente com os consumidores, pescadores de praia em especial.

Comprovadamente elas (soldas) resolveram alguns problemas que atrapalhavam muito as minhas pescarias, como por exemplo, laçadas e cabeleiras.

Para tentar exemplificar o processo utilizei uma linha 0,16, mas que na realidade mede um pouco mais que 0,17mm, que já estava em um carretel de teflon de um molinete utilizado para arremessos longos.

linhamestra017.jpg

Utilizando gabaritos deste fabricante, que é muito prático e eficiente, fiz a primeira solda da linha mestra (0,17mm) com uma linha 0,23mm, que a meu ver é a mais difícil, importante e crítico no processo, tanto na confecção do progressivo como para o cônico, principalmente na hora do corte, pois as linhas são mito finas e precisam ser cortadas bem rentes e em um diagonal, para não haver atrito com os passadores e também não abrir, que é o único risco para que a solda seja desfeita.

1solda.jpg

Normalmente depois de montar e aplicar o produto na primeira ponte, monto todas as outras de forma progressiva, somente depois eu aplico o produto de uma vez em todas elas. Depois da 0,23mm (2m) vem uma 0,28mm (2m) e finalmente o arranque principal que foi uma 0,40mm. Acho importante destacar que gosto de utilizar linhas de boa qualidade, dentre elas a Super Raiglon, que para alguns não é apropriada, dizem que ela recebe um banho de fluorocarbon, se isto é verdadeiro eu não sei, pois as utilizo frequentemente e ela sempre fica muito boa e resistente neste processo de solda.

Montado as pontes aplico o produto, com o próprio recipiente, de forma uniforme e sem excessos. Caso fique algum excesso ou pequenas pelotas eu rapidamente faço a uniformização com um pequeno pedaço de plástico flexível. Também gosto de abrir um pouco as duas linhas que devem estar esticadas, mas sem estarem tencionadas e bem encostadas uma na outra, para que o produto penetre entre elas.

separandolinhas.jpg

todasmontadas.jpg

Nesta época do ano depois de fazer a aplicação uniforme, gosto de utilizar um secador de cabelos por aproximadamente uns cinco minutos a uma distância de aproximadamente 15 cm e na temperatura média, para evitar a umidade, pois como escrevi acima na sua fórmula um dos seus componentes é água destilada e como a temperatura está baixa ela demoraria mais para secar e acabaria ficando esbranquiçada, que com o passar do tempo e pelas experiências, percebi que isto diminui a durabilidade e resistência da solda.

secador110810.jpg

Hj como o dia estava ensolarado, eu deixei os gabaritos umas quatro horas no sol, para acelerar ainda mais o processo de secagem e poder fazer os corte mais tarde, mas ainda hoje.

nosolacelerar.jpg

Posição da tesoura para o corte diagonal.

comocortar.jpg

A primeira solda e os cortes (linhas mais finas), que sem dúvida alguma, são os mais difíceis e importantes:

1soldaseca.jpg

1soldaaparada.jpg

Detalhe dos cortes em diagonal:

detalhecorterente1.jpg

detalhecorterente2.jpg

Uma ferramenta importante que eu utilizo para fazer o corte é uma pequena tesoura, fina e especial para cortar linhas de multifilamento, pois ela não deixa que a linha escorregue, devido os seus pequenos dentes, que prendem a mesma.

tesouramulti.jpg

Eu também utilizo a solda para dar acabamento aos nós entre os arranques de linhas de multi e mono (aplico somente na mono), pois percebo que ela aumenta a vida útil do nó, evitando que a multi desfie.

monomulti.jpg

posiocorte.jpg

posiocortetesoura.jpg

cortemonumulti.jpg

O carretel já com o arranque progressivo montado, aparado e somente aguardando a linha principal (mais grossa) ser cortada no tamanho apropriado, quando for fazer a próxima pescaria, já com o caniço montado.

janocarretel.jpg

Acho muito importante ter carretéis reservas, pois eles facilitam uma troca rápida, variação de bitolas de linhas, mas para isto é importante acondicioná-los de forma adequada, para isto eu utilizo algumas embalagens apropriadas (spool case).

case02.jpg

casefechado.jpg

case01.jpg

Acho importante destacar que este produto pode ser perigoso e nocivo a saúde, portanto recomendo cuidado ao manuseá-lo, principalmente com os olhos, contato com a pele e inalação.

Apesar da complexidade e do grande número de imagens, espero ter sido claro e também contribuído para soma de nossos conhecimentos.

Abçs,

Muito bom o tópico Vladimir, vc, como sempre, expondo o teu conhecimento técnico e prático da pesca de beira de praia, e fato que no vôlei e outras modalidades de esporte à beira mar com os pés na areia, existem os chamados "Reis da Praia", estou propondo incluí-lo neste rol. Eu, em 1988, estava com 47 anos, quando tomei conhecimento da cola de ácido fênico, diziam-me na época: "É um ácido que os dentistas usam no consultório..." Confesso que na época, eu nunca fiz fé na tal solda na pesca, embora tenha alguns conhecimentos de química, somente a usava nas provas de lançamento e com algum resguardo. Depois abandonei a modalidade, parei de vez com as competições e passei só a fazer pesca embarcada e continuei a não precisar do recurso da solda. Agora, estou morando há quatro meses na areia da praia e retornando à modalidade, por este motivo montei um material para longos lançamentos, incluindo um velho, mas muito conservado Esqualo e um molinete recém comprado de modelo top de uma marca Ching-Ling com um número inacreditável de rolamentos de aço inox e, lembrando os tiros fantasia, comecei com uma linha 0.18 e comecei a fazer um arranque cônico. Agora, vou precisar da experiência nesse quesito, passei a cola na linha .18 de procedência japonesa e numa linha .25 que continha no rótulo algo com uma composição de flúor ( que não é flúor carbono) a cola reagiu e colou, mas rompeu as pontas da linha mais fina da emenda. Será que a composição rejeita este elemento (flúor) e reage de forma diferente da esperada, vc já ouviu falar algo a respeito?

De qualquer modo eu colei novamente ontem, hoje mais tarde, vou ver o resultado.

Abraços e parabéns

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu comprei uma pequena tesoura, fina e especial para cortar linhas de multifilamento mais continuo apanhando para cortar as sobras!

Com a tesoura então já até desisti, não consigo!

Continuo usando o cortador de unha e dando acabamento final com lamina de bisturi.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bom o tópico Vladimir, vc, como sempre, expondo o teu conhecimento técnico e prático da pesca de beira de praia, e fato que no vôlei e outras modalidades de esporte à beira mar com os pés na areia, existem os chamados "Reis da Praia", estou propondo incluí-lo neste rol. Eu, em 1988, estava com 47 anos, quando tomei conhecimento da cola de ácido fênico, diziam-me na época: "É um ácido que os dentistas usam no consultório..." Confesso que na época, eu nunca fiz fé na tal solda na pesca, embora tenha alguns conhecimentos de química, somente a usava nas provas de lançamento e com algum resguardo. Depois abandonei a modalidade, parei de vez com as competições e passei só a fazer pesca embarcada e continuei a não precisar do recurso da solda. Agora, estou morando há quatro meses na areia da praia e retornando à modalidade, por este motivo montei um material para longos lançamentos, incluindo um velho, mas muito conservado Esqualo e um molinete recém comprado de modelo top de uma marca Ching-Ling com um número inacreditável de rolamentos de aço inox e, lembrando os tiros fantasia, comecei com uma linha 0.18 e comecei a fazer um arranque cônico. Agora, vou precisar da experiência nesse quesito, passei a cola na linha .18 de procedência japonesa e numa linha .25 que continha no rótulo algo com uma composição de flúor ( que não é flúor carbono) a cola reagiu e colou, mas rompeu as pontas da linha mais fina da emenda. Será que a composição rejeita este elemento (flúor) e reage de forma diferente da esperada, vc já ouviu falar algo a respeito?

De qualquer modo eu colei novamente ontem, hoje mais tarde, vou ver o resultado.

Abraços e parabéns

Obrigado Leonam, mas por aqui temos grandes pescadores e grandes especialistas e o legal é que cada um sempre acaba se interessando e consequentemente se desenvolvendo mais em determinadas "áreas" da PdP, mas todos somos importantes para o bom andamento do fórum, principalmente no que diz respeito a qualidade e o aprimoramento de todos.

Com relação a sua pergunta, já tive problemas sim com algumas linhas, mas nada com relação ao que vc mencionou, nunca tentei utilizá-la com linha de fluorcarbon ou fluorocarbon, como queiram, inclusive uma das minhas preferidas é a Super Raiglon que dizem receber um banho deste material.

Vou ficar aguardando o seu relato de como ficou a nova solda.

Um abraço,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu comprei uma pequena tesoura, fina e especial para cortar linhas de multifilamento mais continuo apanhando para cortar as sobras!

Com a tesoura então já até desisti, não consigo!

Continuo usando o cortador de unha e dando acabamento final com lamina de bisturi.

Alexandre o importante é que vc consiga fazer o corte mais rente possível e deixe as pontas com este acabamento, como vc já está acostumado a trabalhar com o bisturi, já que ele faz parte do contexto em sua área trabalho, então que seja com ele. :D:D:D

Abçs,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bom o tópico Vladimir, vc, como sempre, expondo o teu conhecimento técnico e prático da pesca de beira de praia, e fato que no vôlei e outras modalidades de esporte à beira mar com os pés na areia, existem os chamados "Reis da Praia", estou propondo incluí-lo neste rol. Eu, em 1988, estava com 47 anos, quando tomei conhecimento da cola de ácido fênico, diziam-me na época: "É um ácido que os dentistas usam no consultório..." Confesso que na época, eu nunca fiz fé na tal solda na pesca, embora tenha alguns conhecimentos de química, somente a usava nas provas de lançamento e com algum resguardo. Depois abandonei a modalidade, parei de vez com as competições e passei só a fazer pesca embarcada e continuei a não precisar do recurso da solda. Agora, estou morando há quatro meses na areia da praia e retornando à modalidade, por este motivo montei um material para longos lançamentos, incluindo um velho, mas muito conservado Esqualo e um molinete recém comprado de modelo top de uma marca Ching-Ling com um número inacreditável de rolamentos de aço inox e, lembrando os tiros fantasia, comecei com uma linha 0.18 e comecei a fazer um arranque cônico. Agora, vou precisar da experiência nesse quesito, passei a cola na linha .18 de procedência japonesa e numa linha .25 que continha no rótulo algo com uma composição de flúor ( que não é flúor carbono) a cola reagiu e colou, mas rompeu as pontas da linha mais fina da emenda. Será que a composição rejeita este elemento (flúor) e reage de forma diferente da esperada, vc já ouviu falar algo a respeito?

De qualquer modo eu colei novamente ontem, hoje mais tarde, vou ver o resultado.

Abraços e parabéns

Leonam sou Dentista e posso te dizer que não usamos ácido fênico não rsrsrsrs.

Eu uso vários tipos de ácidos fosfórico, clorídrico, fluorídrico, mas fenico não.

Sobre estar rompendo a linha mais fina na soldagem, isso é devido a concentração do ácido estar muito grande na tua solda.

Pode ser por que ela foi feita a pouco tempo (não maturou totalmente) ou por que foi feita mais concentrada mesmo.

Você pode tentar diminuir a concentração adicionando pequenos pedaços de nylon picados na solda e esquentar ate uns 70-80 graus. Isso vai ativar mais o ácido e ele vai diluir a linha, fazendo com que o ácido fique menos concentrado.

O problema é que é tudo feito no olhometro... e se errar a concentração ou a temperatura pode estragar a cola.

Para a cola agir, ela deve derreter superficialmente a linha a ser colada e depositar sobre ela uma nova camada de nylon. No teu caso ao derreter a linha a concetração da cola faz cortar ela.

Auro

1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ao adicionar os pedacinhos de linha á mistura,

não esqueça que pra aquecer deve ser em em "banho-maria".

E melhor esperar "maturar" uns 2 meses depois.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Leonam sou Dentista e posso te dizer que não usamos ácido fênico não rsrsrsrs.

Eu uso vários tipos de ácidos fosfórico, clorídrico, fluorídrico, mas fenico não.

Sobre estar rompendo a linha mais fina na soldagem, isso é devido a concentração do ácido estar muito grande na tua solda.

Pode ser por que ela foi feita a pouco tempo (não maturou totalmente) ou por que foi feita mais concentrada mesmo.

Você pode tentar diminuir a concentração adicionando pequenos pedaços de nylon picados na solda e esquentar ate uns 70-80 graus. Isso vai ativar mais o ácido e ele vai diluir a linha, fazendo com que o ácido fique menos concentrado.

O problema é que é tudo feito no olhometro... e se errar a concentração ou a temperatura pode estragar a cola.

Para a cola agir, ela deve derreter superficialmente a linha a ser colada e depositar sobre ela uma nova camada de nylon. No teu caso ao derreter a linha a concetração da cola faz cortar ela.

Auro

Ok...A minha cola já está comigo há uns dois anos, acredito estar pra lá de maturada, o que deve ter acontecido, como eu somente hoje li o tópico inteiro, as pontas romperam por tratar-se de linha fina e eu devo ter passado aquela cola que fica junto a tampa da agulha, segundo alguns pescadores aqui neste tópico, o resultado é a diluição da linha. Fiz nova colagem e ficou boa, depois, vou verificar que tipo de linha eu usei e vou postar em resposta ao companheiro Vladimir. De resto, ainda bem que vc, um dentista pescador, aquem, desde já agradeço, elucidou-me e quanto ao uso do tal ácido pelos profissionais da área, doravante, ao fazer referência àquele ácido será, apenas, o usamos para colar linhas de nylon.

ABçs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Aproveitando o embalo do topico,qual a marca de cola,ou caseira,que vcs costumao usar?

Pois ja tendo uso de alguns usuarios e comprovada a qualidade,ajuda muito a nao comprar gato por lebre :D

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Parabéns pela matéria e pelos porta bobinas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Aproveitando o embalo do topico,qual a marca de cola,ou caseira,que vcs costumao usar?

Pois ja tendo uso de alguns usuarios e comprovada a qualidade,ajuda muito a nao comprar gato por lebre :D

Irineu eu utilizo as confeccionadas pelo Armando do Clube Arpão do RS e a Aruanã do Nelson de Mello, aqui de SP, ambas são produzidas artesanalmente.

Abçs,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Senhores salvo engano essas "soldas" são feitas a base de cloroformio. Também conhecido como triclorometano é a substância que os mal feitores dos filmes usam em seus terríveis lenços para apagar suas vítimas instantaneamente. No passado foi utilizado como anestésico, mas deixou de ser usado devido a sua alta toxicidade. Estive lendo na internet e vi que ele afeta o sistema nervoso central, rins, sistema cardiovascular e fígado e pode causar câncer dependendo do nível e duração de exposição. Há bastante tempo, eu utilizava este produto para soldar placas grossas de acrílico e sofria demais de com ardência nos olhos, pele e garganta.

Portanto senhores, cuidado com o que vocês levam para dentro de suas casas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boa noite Vladimir, Parabens pelo tópico.

Uso a solda a um bom tempo, mas estou tendo problemas com o gabarito. Ele não está mais "segurando as linhas", e quando tento deixa las esticadas, elas ficam frouxas.....

Alguem teria um esquema de como montar um gabarito ou mesmo aonde venda?

Abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Senhores salvo engano essas "soldas" são feitas a base de cloroformio. Também conhecido como triclorometano é a substância que os mal feitores dos filmes usam em seus terríveis lenços para apagar suas vítimas instantaneamente. No passado foi utilizado como anestésico, mas deixou de ser usado devido a sua alta toxicidade. Estive lendo na internet e vi que ele afeta o sistema nervoso central, rins, sistema cardiovascular e fígado e pode causar câncer dependendo do nível e duração de exposição. Há bastante tempo, eu utilizava este produto para soldar placas grossas de acrílico e sofria demais de com ardência nos olhos, pele e garganta.

Portanto senhores, cuidado com o que vocês levam para dentro de suas casas.

Beto vc está enganado com relação ao produto que faz parte da fórmula da solda, que também contém pedaços de linha de nylon e água destilada. Ele não é o clorofórmio ou triclorometano.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boa noite Vladimir, Parabens pelo tópico.

Uso a solda a um bom tempo, mas estou tendo problemas com o gabarito. Ele não está mais "segurando as linhas", e quando tento deixa las esticadas, elas ficam frouxas.....

Alguem teria um esquema de como montar um gabarito ou mesmo aonde venda?

Abraços

Obrigado Leonardo,

Muitas vezes eu mesmo gosto de confeccionar os meus arranques, de forma progressiva, que exige vários pontos de solda. Para não ter que utilizar vários gabaritos eu fiz um onde posso realizar até seis soldas simultaneamente. Para isto eu utilizei duas tiras de chinelo do tipo Havaianas coladas em um pedaço de chapa de Duratex, fiz os cortes com um estilete, com profundidade de aproximadamente 50% da espessura da borracha.

Abçs,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vladimir bom dia,

Você conhece a cola Super Strong para Nylon? Estou apanhando com ela apesar das dicas do fornecedor.... tem algum macete para trabalhar com ela?

Antecipadamente grato,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vladimir bom dia,

Você conhece a cola Super Strong para Nylon? Estou apanhando com ela apesar das dicas do fornecedor.... tem algum macete para trabalhar com ela?

Antecipadamente grato,

Sérgio eu nunca utilizei esta solda, que é muito conhecida e recomendada no RJ. Pelo que pude apurar ela também é feita artesanalmente pelo Luiz Oswaldo e o processo de soldagem é o mesmo desta que eu utilizo. Mas uma recomendação me chamou a atenção: a diferença entre as linhas não pode ultrapassar 0,10 mm, ou seja, se vc tiver utilizando uma linha mestra 0,20mm e quiser utilizar um arranque 0,50mm, terá que fazê-la de forma progressiva, inicialmente com uma 0,30mm, depois com 0,40mm e finalmente a 0,50mm.

Também me parece que o tempo para a soldagem completa é um pouco maior, de seis a doze horas.

Qual é o problema que vc está enfrentrando?

imagem20_15_8_39.jpg

Abçs,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Como já havia anunciado acima, principalmente por ter recebido algumas perguntas, percebi que ficaram algumas dúvidas e também com o objetivo de enriquecer ainda mais o tópico, abaixo estarei postando mais algumas imagens e fazendo alguns comentários.

No texto inicial do tópico procurei utilizar o termo "solda", por achar que este seria o mais adequado, sendo que muitos gostam e até fazem uma apologia de que este processo na realidade seja uma fusão, o que não é verdadeiro.

Não querendo ser didático, mas com o intuito de esclarecer, "fusão" neste caso, seria transformar duas linhas com diâmetros iguais ou não em uma só, com a ajuda de um produto químico.Isto na realidade não ocorre, pois as linhas não se fundem, somente se unem, com um alto poder de resistência a trações inversas.

Ontem fiz uma soldagem no período da manhã, entre duas linhas, uma 0,33mm e outra 0,43mm, quando o dia estava ensolarado e com a temperatura em torno de 27º, somente hj passados mais de 24 hrs é que as retirei do gabarito e também fiz os cortes, tempo mais que suficiente para elas completarem todo o seu ciclo de reação e secagem.

soldalinhasgrossa.jpg

detalhegrossas.jpg

Com as linhas enroladas nas mãos, forcei no sentido contrário uma da outra, fazendo bastante força, mas não sei dizer se maior, menor ou igual que a resistência máxima da linha mais fina (Super Raiglon) 0,33mm, que é de 11,37 kg, conforme informação do fabricante contida no carretel, por cerca de 20 segundos, tempo este que foi o que eu suportei, a uma distância aproximada de 20 cm entre as mãos, que aumenta ainda mais a pressão exercida, já que a elásticidade das linhas praticamente deixa de existir.

traolateral.jpg

Vejam as marcas que ficaram na minha mão pelo grande esforço.

marcasdeixadas.jpg

O resultado final foi uma excelente resistência, nada aconteceu com as linhas (0,43mm e 0,33mm) e muito menos no ponto onde foi feito a solda.

Como escrevi no texto do tópico, já havia utilizado este processo por algum tempo em provas de lançamento limitado (casting) em competições oficiais nas décadas de 80 e 90, onde a união era feita entre linhas 0,40 mm e 0,60mm, e desde 2005 também venho utilizando-o quase que exclusivamente nas minhas pescarias, o que com certeza me deram bastante experiência na sua utilização.

Mas sempre soube que por má utilização ou por erro na hora do corte, ela poderia deixar alguma pequena ponta em uma das suas extremidades, o que provocaria a sua separação, ou seja, novamente apenas para reforçar, elas não se transformam em uma só (fusão).

Com a ajuda das unhas separei uma das pontas.

separaosolda.jpg

E forçando em sentidos contrários elas se abriram.

uniodesfeita.jpg

Isto já aconteceu em uma pescaria comigo? Sim, que eu me lembre em três ocasiões. Que se levarmos em conta, estatisticamente não representaria quase nada, lembrando que no passado, antes da utilização deste processo, acabava perdendo isto por pescaria. :eek::eek::eek:

Uma das dúvidas levantadas seria como fazer a união do arranque cônico industrializado com a linha principal. Ela é feita exatamente como no primeiro passo apresentado na montagem do arranque progressivo. Neste caso também utilizei uma linha 0,17mm e um arranque cônico (Gosen) de 15 metros, que por ser japonês é identificado por uma numeração (2 < 8), que corresponde a 0,23mm e vai até 0,47mm.

linhacarretelconico.jpg

soldaconicogosen.jpg

Ambas as soldas realizadas ontem antes e depois do corte.

antesdoscortes1407.jpg

linhasaparadas1408.jpg

Outra dúvida seria como proceder caso o arranque se rompa e não tivermos um carretel reserva para o molinete. A união seria feita utilizando um nó de sangue, por isto é importante termos ou arranques cônicos ou progressivos de reserva.

ndesangueaberto.jpg

ndesanguefechado.jpg

Para aqueles que ainda não utilizam os arranques cônicos/progressivos, façam um teste, pois acho que vale a pena, principalmente pela sua eficiência e consequentemente na confiança que eles nos trazem, tanto no momento dos arremessos como na hora de travar uma briga com um peixe bom.

Abçs,

Vladimir cara com certeza esse seu topico ficou show de bola ,tenho 50 anos e pesco na praia,costões e embarcado e agora tb de caiaque,ficou muito bom,vou procurar por aqui essa cola e farei o mesmo,ok um grande abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vladimir cara com certeza esse seu topico ficou show de bola ,tenho 50 anos e pesco na praia,costões e embarcado e agora tb de caiaque,ficou muito bom,vou procurar por aqui essa cola e farei o mesmo,ok um grande abraço

Obrigado Ney, o principal objetivo aqui noi fórum é este mesmo, procurar trocar as nossas experiências e aumentar os nossos conhecimentos!!! :ok:

Aí no RJ vc irá encontrar facilmente esta solda do Luiz Oswaldo (Super Strong), que é bastante conhecida e recomendada pelos pescadores de praia. Qualquer dificuldade procure na Boa Isca, inclusive diretamente pela loja virtual.

Abçs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sérgio eu nunca utilizei esta solda, que é muito conhecida e recomendada no RJ. Pelo que pude apurar ela também é feita artesanalmente pelo Luiz Oswaldo e o processo de soldagem é o mesmo desta que eu utilizo. Mas uma recomendação me chamou a atenção: a diferença entre as linhas não pode ultrapassar 0,10 mm, ou seja, se vc tiver utilizando uma linha mestra 0,20mm e quiser utilizar um arranque 0,50mm, terá que fazê-la de forma progressiva, inicialmente com uma 0,30mm, depois com 0,40mm e finalmente a 0,50mm.

Também me parece que o tempo para a soldagem completa é um pouco maior, de seis a doze horas.

Qual é o problema que vc está enfrentrando?

imagem20_15_8_39.jpg

Abçs,

Vladimir desculpe somente hoje observei sua resposta... então.... tenho dois amigos que tem uma loja de acessórios para pesca de praia aqui em Pinda e deixei o kit com eles que fizeram algumas experiências e todas romperam. Observando sua resposta, preciso checar com eles as bitolas utilizadas e se foi respeitado este limite que você comentou e depois te escrevo. Se me permite quero aproveitar e registrar que o Sr. Henrique da loja Boa Isca no RJ, além de extremamente atencioso (já me ligou cinco vezes pra saber se consegui colar além de me dar algumas dicas acredita???? esse é pescador e não vendedor) afirmou que usa a cola do Osvaldo a mais de 30 anos e não tem problemas, então, estou tomando goleada dela....

Grato Vladimir...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vladimir os testes foram feitos com linhas 0,28 e 0,37mm e as ultimas colagens respeitaram 12h para secagem.

Na parte inferior do cavalete foi colocada a linha maior e sobreposta a menor para garantir um escalhamento melhor da cola com um alfinete (conforme recomendado pelo fornecedor). Resultado "não colou em nenhum dos testes" o que lamento muito.

Vamos fazer mais alguns ensaios e fotografar os resultados para que você e nossos companheiros possam melhor avaliar o processo.

Grato,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vladimir os testes foram feitos com linhas 0,28 e 0,37mm e as ultimas colagens respeitaram 12h para secagem.

Na parte inferior do cavalete foi colocada a linha maior e sobreposta a menor para garantir um escalhamento melhor da cola com um alfinete (conforme recomendado pelo fornecedor). Resultado "não colou em nenhum dos testes" o que lamento muito.

Vamos fazer mais alguns ensaios e fotografar os resultados para que você e nossos companheiros possam melhor avaliar o processo.

Grato,

Sergio a recomendação é colocar a linha mais fina em baixo e fazer o travamento com a mais grossa por cima. Elas devem ficar naturalmente alinhadas, sem estar tencionadas.

Veja foto abaixo:

detalhegrossas.jpg

A solda não está muito líquida, ou seja, muito fina?

A soldagem deve ser resistente quando a força aplicada e longitudinal, conforme explicado no tópico, ela não se funde como alguns apregoam, portanto se ficar alguma ponta e vc puxá-la, elas irão abrir.

Abçs,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

bom dia!!!

amigos,

Para cortar as linhas após colar, eu utilizo um cortador de unha, mais fácil e seguro!

Fte abraço a todos

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom dia Xara,

Eu tambem uso essa cola ha anos e nao tenho nenhum problema com ela, exceto a preguica em colar arranques... :D Voce esta tomando o cuidado de nao deixar formar gotas na linha? Isso e particularmente cruel em linhas finas pois arrebenta mesmo! Eu conheco muita gente boa, bem rodada, que dizia que nao era possivel colar linhas com bitolas abaixo de 0,18 porque arrebentavam. Eu ja colei ate 0,15... Depois que termino de aplicar com um alfinete, eu pego um papel toalha (higienico tambem serve, desde que nao usado... :D) e passo a pontinha nos lugares onde ha gotas e removo o excesso. Com esses cuidados e as dicas do Vladimir (como colocar a mais fina em baixo e nao ao contrario), acho que voce nao tera mais problemas.

Sergio

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sergio a recomendação é colocar a linha mais fina em baixo e fazer o travamento com a mais grossa por cima. Elas devem ficar naturalmente alinhadas, sem estar tencionadas.

Veja foto abaixo:

detalhegrossas.jpg

A solda não está muito líquida, ou seja, muito fina?

A soldagem deve ser resistente quando a força aplicada e longitudinal, conforme explicado no tópico, ela não se funde como alguns apregoam, portanto se ficar alguma ponta e vc puxá-la, elas irão abrir.

Abçs,

Vladimir fizemos novos testes com ela respeitando todas as recomendações citadas quanto limite das bitolas, sobreposição e secagem e infelizmente o resultado foi o mesmo.... Romperam. Falei com o Sr. Henrique pois recebi um lote diferente do original (veio num frasquinho de vidro como aqueles de amostras de perfumes) e ele deu as mesmas orientações que você sem nenhum detalhe adicional o que estamos concluindo se tratar do lote (A embalagem é provisória por falta da original) que realmente apresenta uma condição liquida muito fina. Bom, como precisamos dos arranques, partimos para os nós e por precaução adquirimos a cola Aruanã.

Não sei de devo seguir sua sugestão acima e diluir pedaços de linha para tentar dar mais concistência a ela e não perder a cola, não pelo preço mais pela experiência e aprendizado.

Grato, Abraços....

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom dia Xara,

Eu tambem uso essa cola ha anos e nao tenho nenhum problema com ela, exceto a preguica em colar arranques... :D Voce esta tomando o cuidado de nao deixar formar gotas na linha? Isso e particularmente cruel em linhas finas pois arrebenta mesmo! Eu conheco muita gente boa, bem rodada, que dizia que nao era possivel colar linhas com bitolas abaixo de 0,18 porque arrebentavam. Eu ja colei ate 0,15... Depois que termino de aplicar com um alfinete, eu pego um papel toalha (higienico tambem serve, desde que nao usado... :D) e passo a pontinha nos lugares onde ha gotas e removo o excesso. Com esses cuidados e as dicas do Vladimir (como colocar a mais fina em baixo e nao ao contrario), acho que voce nao tera mais problemas.

Sergio

Então, estou dando um retorno para o Vladimir pois continuo com problemas xara... (Comprei um rolo novo de ph rsrsrsrs) e você poderá conferir logo abaixo. Te agradeço muito as dicas e não vou desistir não e ainda vou postar o resultado aqui....

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar Agora