Entre para seguir isso  
Seguidores 0
Vladimir Ferreira

Identificação de Peixes na Pesca de Praia (Relação).

1 post neste tópico

Bagre

bagrebranco.jpg

imagem: arquivo pessoal (Melinger)

Arius grandicassis

Também conhecido por bagre-cabeçudo ou bagre branco, habita baías, praias e costões. Importante em algumas regiões pelo seu tamanho e abundância. Dá trabalho para o pescador amador, pois se alimenta de quase tudo que encontra. Deve-se tomar cuidado com os ferrões que causa dor e inflamação (um nas costas e dois nas laterais, próximo ao opérculo).

Tem certo valor comercial e conforme a região a carne é apreciada. Pode atingir 1 metro e mais de 5 Kg de peso.

Além de Bagre, também é chamado de bagre-beiçudo, bagre-do-mar, bagre-papai, bagre-urutu, cabeçudo, lurupiranga, papai entre outros.

Bagre-amarelo

bagreamarelo.jpg

imagem: arquivo pessoal (Melinger)

Cathorops spixii

É a espécie de bagre mais comum do litoral brasileiro, tendo como preferência águas estuarinas. Como o bagre branco, se alimenta de quase tudo que encontra. É o terror do pescador esportivo, muitas vezes atacando a isca antes de outras espécies. É dotado de um muco amarelo-dourado que recobre as áreas mais pálidas e nadadeiras do seu corpo. Deve-se tomar cuidado com os ferrões.

Sem importância comercial pelo seu tamanho reduzido (atinge cerca de 30 cm).

Além de Bagre-amarelo, também é chamado de bagre-de-areia, bagre-de-mangue, bagre-gonguito, bagrinho, gonguito, iriceca.

Betara ou Papa-terra

praia29-08-10001web.jpg

Menticirrhus littoralis

Tem um único barbilhão na maxila inferior.

E a borda da nadadeira caudal tem forma de S.

praia29-08-10001web1.jpg

Se diferencia da Menticirrhus americanus no tamanho das escamas peitorais. No Mewnticirrhus litoralis são bem menores do que as escamas do corpo.

pescaria16-05-2010014web1.jpg

Menticirrhus americanus

São pescadas em fundos arenosos em baías, próximo de ilhas litorâneas e praias.

Na praia ficam dentro dos canais ou na zona de arrebentação (especialmente quando pequenas).

Para sua captura prefiro anzois mais estreitos e alongados como akita. Para os grandes exemplares o maruseigo também é muito eficiente.

Presente no litoral durante todo o ano. E pouco seletiva em relação a iscas. Já capturei betaras com camarão morto, corrupto, sarnambi, tatuira, minhocas de praia.

Auro

Caicanha ou Saguá

pescaria16-05-2010012web1.jpg

Genyatremus luteus

Este peixe tem vários nomes.

A primeira coisa que chama a atenção é o seu grande olho e os espinhos nas costas.

Encontrado nos canais de praia, nas suas partes mais fundas.

Em algumas épocas é captura constante, em outras épocas some. Encontrado especialmente no outono e primavera no litoral do Pr.

Também não tem técnica específica de captura. Mas gosto de usar anzóis bem afiados e finos para sua pescaria.

Auro

Corvina

corvina64518.jpg

Micropogonias furnieri

Com certeza foi um dos peixes que despertaram em mim o prazer de capturar peixes maiores com linhas mais finas e também me incentivaram a aperfeiçoar os arremessos mais longos.

São encontrados em praticamente toda costa Brasileira, mas a sua maior incidência ocorrem nas regiões sul e sudeste, principalmente na época que a água está mais fria e o mar mais mexido.

Habitam tanto as praias de fundo arenoso como também os de lama.

Suas iscas preferidas são o corrupto, camarão, marisco branco e a tatuíra.

Anzol maruseigo 12, 13 e 14 são os mais indicados, costumam ser fisgada em anzóis com pernadas longas e presas em chicotes montado com rotor próximo a chumbada.

Quando capturada com arremessos mais longos não oferecem muita resistência, mas quando são capturadas nos canais mais próximos, elas costumam brigar bastante.

Linguado-de-praia

linguado.jpg

imagem: arquivo pessoal (Melinger)

Paralichthys brasiliensis

Tem comportamento costeiro, com ocorrências até 40 metros de profundidade. Muito comuns em praias, baías, próximos à ilhas, em locais com fundo de areia ou lodo, formando pequenos grupos de 3 a 15 indivíduos, sendo que os maiores são solitários.

Alimentam-se de invertebrados e peixes e sua reprodução acontece entre o inverno e a primavera.

Muitíssimo apreciado pelo sabor e de alto valor comercial.

Na pesca esportiva, pode ser pescado com camarão vivo ou com artificiais de fundo, como camarões de silicone com jig head, shads e iscas de penas e pêlos.

Melhor momento é na enchente da maré.

Esta espécie atinge até 1 metro e pode passar dos 12 Kg de peso.

Além de Linguado-de-praia, também é chamado de catraio e rodovalho.

Parati-barbudo

paratibarbudo.jpg

Polydactylus virginicus

É um peixe costeiro, de águas rasas, junto a praias, costões e ilhas, habitando locais com fundo de areia, cascalho ou lodo. Pode ser encontrado em profundidades que variam entre 1 a 40 metros. São muito abundantes e vivem em grupos, raramente cardumes. De hábitos diurnos e muito ativos nos meses mais quentes. A característica deste peixe é o focinho translucente.

É um peixe interessante para a pesca esportiva e apesar da carne ser boa, é pouco encontrado em peixarias.

Além de Parati-barbudo, também é chamado de parati-gato, nariz-de-vidro, barbudo, piraguá, tainha-barbuda, threadfin, barbu.

Paru

035web1.jpg

Chaetodipterus faber

Peixe normalmente encontrado em locais com fundo de pedra. Eu achava que a captura de peixes jovens em praias era algo incomum. Nos últimos anos tenho capturado com frequencia este peixe nas praias, o que me leva a acreditar que os parus jovens se alimentem nas praias.

Peixe muito brigador e esportivo.

Capturado no meio do canal ou nas partes mais fundas da praia.

Gosto de usar anzol pequeno com formato mais aberto (sode, hansure)para sua captura.

Auro

Peixe-agulha ou Agulhão

praia18-04-10003web1.jpg

Strongylura marina

O peixe-agulha se diferencia do farnanguaio pela posição da boca e pelos dentes afiados.

No Paraná é encontrado nas baías onde é possível pescá-lo com iscas artificiais ou nas praias.

A sua captura nas praias não é comum.

Encontrado na parte mais rasa da praia ou na superfície da água é um predador agressivo e voraz.

As únicas oportunidades que capturei este peixe na praia foi no verão com água límpa.

Sua boca estreita e cheia de dentes dificulta muito a fisgada. Gosto de usar pernadas longas e anzóis pequenos, embora este que esteja na foto tenha se suicidado num wide gap 1/0 rsrsrs.

Auro

Ubarana-rato

ubaranarato.jpg

imagem: arquivo pessoal (Melinger)

Albula vulpes

Preferem locais de águas rasas, geralmente em ambientes com fundo de areia ou lodo. Formam grandes cardumes e os indivíduos maiores podem ser solitários. Pode atingir 1 metro e pesar 9 Kg.

Alimentam-se de crustáceos, moluscos e pequenos invertebrados. São peixes bastante nervosos e ariscos, fugindo quando percebem algum perigo.

Sua carne não é muito apreciada provavelmente por possuir muitos espinhos.

Além do nome Ubarana-rato, também é conhecido por bonefish, raton, focinho-de-rato, juruna, ubarana-boca-de-rato, ubarana-do-norte, banana, grubber, macabi, sanducha e outros.

1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Visitante
Este tópico está impedido de receber novos posts.
Entre para seguir isso  
Seguidores 0