Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 28-02-2020 in all areas

  1. 6 points
    Olá amigos, Sou Gerson Kavamoto e um dos organizadores da Fishing Expo BR Depois que pararam com a FEIPESCA aqui no Brasil, alguns amigos e eu criamos coragem para "dar a cara a tapa" e organizar uma feira direcionada ao pescador consumidor final. Estamos tentando fazer no formato das feiras americanas que eu venho expondo meus produtos e serviços a vários anos, ou seja, nada de stands sofisticados e caros como um concurso de beleza, mas sim, stands simples e acessíveis com MUITO CONTEÚDO para o pescador. Os fabricantes/importadores americanos, em seus stands simples, mostram ao consumidor o porque seus produtos são bons e ficam sabendo direto do consumidor o porque eles preferem equipamentos do concorrente, acho que por essa razão estão sempre na frente com produtos que nos agradam kkkk Quem vende na feira são os lojistas, os fabricantes apenas demonstram seus produtos... Essa será nossa primeira edição brasileira será nos dias 20, 21 e 22 de Março e estamos apostando que não somos apenas nos que desejamos feiras neste formato.
  2. 4 points
    Em tudo tem limites..e enche!!. Pesqueiro cheio, muvuqueiros, sai de madrugada e volta tbm de madrugada..caro, cansado... Quando isso acontece voltamos a origem. Quem começou com os lambaris sabem a delicia dessa pescaria¹¹ Nada melhor que voltarmos a pescar lambari, numa tranquilidade, não importando com os baguas, mas divertindo o dia todo com peixinhos em companhia de um bom amigo.e papos.. Ultimamente estou indo em Salesópolis em busca de lambaris para divertir e por que não degustar bem fritinho..uma delicia Para não desperdiçar as miçangas, vejam o que fiz com varas para lambaris: A represa é em Biritiba Açu em Mogi das Cruzes, caminho do Mogi\Bertioga.
  3. 4 points
    Boa tarde, meus amigos! Com todo esse alarde acerca do COVID-19, o novo e famoso Coronavirus, foi decretada a condição de Pandemia, fazendo com que a maioria dos Centros de pesquisa encerrassem suas atividades por tempo indeterminado, até que a condição seja revertida, ou, pelo menos melhorada. Não foi diferente também no Hospital onde faço minha especialização. Tal situação deixou uma certa brecha para que eu tivesse um tempinho de folga e colocasse a linha na água. Aproveitando que as atividades têm volta prevista para o mês seguinte, me dei ao luxo de ir a um lugar um pouco mais longe, lugar este que sempre ia quando pequeno, pois lá, a diversão é garantida!: o hotel fazenda Campo dos Sonhos, localizado na charmosa e aconchegante cidade de Socorro, pertinho de Minas Gerais (terra da patroa), assim uniríamos o útil ao agradável, e dessa maneira todos saem felizes. O hotel tem uma estrutura fantástica, bem raiz! Inclusive é engraçado, porquê toda vez que vou lá, fico totalmente mergulhado no ambiente rural e me sinto em uma missão de sobrevivência daquelas memoráveis. Mas, para que a pescaria renda, precisamos começar com o famoso café da manhã dos campeões A estrutura do hotel conta com 26 lagos, sendo 10 para a prática da pesca esportiva e os demais para a criação, aquicultura e ornamentação dos peixes. Comecei o dia no lago 3: povoado pelas tilápais e pacus, porém infelizmente, os dentuços não deram o ar da graça o dia todo. Após alguns arremessos com uma cigarrinha que comprei da china, consigo um exemplar razoável de "larápia" Para os Pacus, tentei de tudo: goiabas, coquinho, acerola, massa, "xalxixa", peixinhos menores e nada... O jeito então, foi alimentar os patos com a ração P40, e aproveitar para uma dar uma cevada no lago. Pato aqui, pato acolá e nada de peixe na IA. então, como bom linguiceiro que sou, fiz rapidamente um pacote da infalível massa do cola; que nunca me deixou na mão e me trouxe um dublê com a muié. E assim foi até mais ou menos a metade do dia, tilapinhas desse porte, com as maiores chegando a 1,5kg (pesadas no meu boga grip de 15 anos atrás). Aqui seguem as fotos das mesmas. Pausa para o almoço no restaurante caipira: (nessa hora, o céu estava escuro demais e o tempo fechando. Pensei que a pescaria acabava ali mesmo) Maaaaaaas, como diz uma tal "Banda de Pai dos anos 60", sempre tem coisa boa depois da chuva ( ou será que é ao contrário? ) Após comer e ouvir uma sequência de modas-de-viola, hora de retornar os trabalhos, mas dessa vez no lago 4, o maior e mais fundo do hotel (dizem que lá no meio a profundidade chega a 15 metros e já teve até menino sendo engolido pela água. Depois de um tempinho de caminhada para fazer o "quilo", sentei-me na beira do lago, armei a parafernalha toda e arremessei embaixo da ponte, onde há a ceva natural por conta das frutas que caem no lago; quando senti uma pancada na varinha de 12 libras com linha de mono 0,18. A fricção do molinete cantou e esquentou à la freios da fórmula indy (leia-se com um certo tomhiperbólico) Um bagrinho pra conta. (eu gosto muito da pescaria de bagres, apesar de muito controversa, acho um peixe que briga muito bem) E na caída do arremesso seguinte, mais uma pancada bonita, e quase que no visual, me rendeu mais uma captura de outro barbudo. A água estava muito barrenta, e talvez por isso que os redondos não apareceram, a chuva é um fator determinante nesse local, pois muda totalmente a cor e a suspensão de partículas na água E foram uns 15 ou 20 bagres ao longo do dia, todos nessa média de 3 a 4,5 kg E, para a minha surpresa, no último arremesso, percebo algum peixe "mamando" a isca como se fosse um corimba, que é muito presente nesse local, e ficou assim por uns 20 minutos, e, quando a boia parou de se movimentar, recolhi a linha e senti o peso, mas, para minha surpresa, acrescentei minha lista de espécies capturadas com esse carinha aí, ó! Já na hora de ir embora, uma mensagem no prédio central do hotel me faz lembrar que tenho que voltar ao trabáio É isso, meus amigos! Aos poucos estou voltando a pescar, espero que tenham gostado! Ah, e já ia me esquecendo, o equipamento que usei foi: Varinha caipira cedida pelo próprio local, Conjunto Maruri 12 libras e linha 0,18 de monofilamento, com líder em monofilamento 0,33. Um grande abraço e espero que gostem
  4. 4 points
    Este canivetinho me acompanha desde os anos 70. Fica sempre na gaveta, mas não tem uma semana que não uso alguma funcionalidade dele, principalmente as lâminas, que deixo sempre afiadinhas. Às vezes a pinça, para tirar alguma farpa dos dedos. Ou a tesourinha, para cortar coisas mais delicadas. A serrinha corta bem PVC, mas depois de algum teste não lembro de ter usado a serra ou aberto latas ou garrafas com ele, apesar da idade. Comprado no Paraguai quando ainda havia allure nesse tipo de viagem. Lembro que fui de ônibus e comprei em uma lojinha de Porto Stroessner. Victorinox autêntico. Tudo nele funciona perfeitamente, embora a mola da tesourinha tenha ido faz tempo. Poderia comprar outra como spare part, ou mesmo fazer uma, mas sempre dá aquela preguiça... Interessante como há sempre algum instrumento que nos acompanha praticamente por toda a vida.
  5. 3 points
    Interessante... Limpando o armário encontrei uma caixinha. O que será que tem dentro? Essas coisas às vezes ficam anos e anos sem serem abertas que a gente até esquece... Pútis.... Quanta coisa! É de se admirar o quanto se compra dessas coisas, para nunca usar...e fica aí, guardado.... Bom, vamos guardar de novo....
  6. 3 points
  7. 3 points
  8. 3 points
  9. 3 points
    Não acredito que a Pdp esteja morrendo, acredito mais em algo cíclico, quem pratica a Pdp pode dar uma parada, mas acaba voltando, é boa demais ! Me recordo até hoje nos tempos de solteiro, chegava sexta feira, colocava as tralhas no carro, era 5 da manhã estava na Tamoios....parava no Vaca Preta, tomava aquele café dos campeões ( pão com linguiça e queijo , sim , as 5 da manhã hahaha ) e ia para a praia....por lá ficava o dia todo e não parava nem para almoço. Muitas recordações boas de pescar na Massaguaçú, fazendo trilha com meus tios e acampando em Castelhanos e pescando os valentes pampos por lá. Um dia, em outro momento quando estiver um pouco mais de tempo certamente voltarei a praticar a Pdp sem sombra de dúvidas !! Quanto aos fóruns acredito que de fato estão cada vez mais raros, muito por conta de grupos de wattsapp, facebook e afins, porém também muito por brigas, ego......e como tem ego envolvido na pesca hein?!?! chegamos a um ponto de que quando se lança vara, carretilha (principalmente), linha, isca determinada o pessoal defenda e brigue por divergir de opinião como se fossem os fabricantes brigando por milhões de reais de seu produto mas não....muitas vezes sequer conhecem o produto, só tomam partido para polemizar. Até a participação no fórum diminui por conta disso, começa a ficar desagradável, sempre mais do mesmo ( brigas e discussões ), falta companheirismo. Me lembro que o Tamaki ( e não Temaki como a turma as vezes chamava hahahaha ) fazia sempre um encontro de pesca natalina, encontro em pesqueiros...sem mesmo pescar em pesqueiros era bom ver a confraternização de todos, todas aquelas fotos, uma bela recordação que dificilmente um dia irão voltar. Brigas por times de pesca, por modelos de carretilhas, por querer mostrar que sabe mais sem saber, pelo simples fato de "humilhar" ou se sentir o "fodão" da pesca....tudo isso faz o pessoal esquecer do principal, do motivo que todos vieram a ser membros do fórum, aprender e pesca...cada vez mais.
  10. 3 points
    Primeiramente gostaria de deixar bem claro que não tenho nada contra cevadeira e ração de superfície, pois faço uso de tal técnica/isca. Porém, sinto falta de pescar como antigamente, quando até se usava cevadeira, mas os copos eram bem pequenos e mal cabia ração, ou seja, muito menos ração na água. Gostaria que alguns pesqueiros "enxergassem isso" (embora a maioria das pessoas hoje em dia pesque apenas com cevadeira, principalmente pela influencia dos youtuber, q tambem nao tenho nada contra kkkk), e tivessem sempre 1 ou 2 lagos que fosse proibido CEVAR. Assim quem gosta de pescar com isca natural, fundo, ultralight, teria muito mais prazer na pescaria e acredito muito mais ações. Mas acho que não passa de um sonho, afinal até aonde eu sei só o Novo Anhanguera não permite o uso de ceva. Há mais algum pesqueiro assim?
  11. 2 points
    Há tempos que venho enfatizando o privilégio de poder pescar em Areado, no Sul de Minas Gerais. De mesmo modo há várias matérias minhas já publicadas aqui no Pescaki sobre a pesca naquela região. Isso já ocorre por cerca de 18 anos, desde a introdução do tucunaré-azul naquelas águas. Caracterizo como privilégio não só a pesca, mas sobretudo poder conjugar isso com coisas como a espetacular amizade que fiz por lá e o desfrute de poder estar em um lugar simplesmente sensacional em termos de paisagens e beleza natural. Já vinha sem ir para lá há mais de ano e a última vez que lá estive, só pude desfrutar das amizades e das paisagens, porque a pesca foi totalmente aniquilada em razão da enorme seca que assolava o lago de Furnas naquela época. O pior é que a seca perdurou (e perdura, de certa forma!) até recentemente porque apenas há poucos dias é que o lago começou a acumular água novamente. Sabemos que assim não vai permanecer em razão das muitas e injustas particularidades políticas que envolvem o lago. No entanto, com o nível da represa subindo, ficou fácil perceber o quanto a Natureza pode ser generosa em termos de recuperação, pois já se percebe uma recuperação na pesca e na reprodução das espécies. Estive lá na semana passada, com apenas dois dias e meio de pesca. A exemplo de outros anos passados, a jornada foi muito boa apesar de algumas dificuldades para descobrir o peixe, sempre muito longe de onde saíamos, que é a Colônia da Férias da AFPESP! A ver se estarão ao gosto dos amigos as fotos (de celular) que fizemos na jornada, a começar por algumas paisagens do lugar: Esta área só conseguiu ter água há poucos dias, mesmo tendo havido tanta chuva e fica em frente ao prédio da pousada da Colônia. Peixes de pequeno porte estão sempre presentes, o que denuncia a capacidade de recuperação das espécies quando igual recuperação vem por parte dos lagos. Notem nesta foto acima, um dos grandes problemas que os tucunarés-azuis do Lago de Furnas enfrentam. No canto superior esquerdo se pode ver um pescador praticando a forma mais comum de pesca por lá, que consiste em entrar na água, sempre em locais de estruturas, até uma profundidade de até a cintura. Até aí, tudo bem, mas é assim que pescam em cima de cardumes de peixes geralmente pequenos, cujo desfecho é sempre de morte para o peixe, não importando seu tamanho, até porque nesta modalidade o que mais se consegue capturar são mesmo peixes do porte destes das fotos acima, muito embora, também consigam matar peixes bem maiores. Lamentável! No primeiro dia, só ficamos em pequenos peixes, porque tardamos em perceber o padrão de ataques, bem como pescamos por perto da pousada, enquanto que os melhores peixes estavam bem mais longe. Cheguei a fisgar dois peixes muito bons, grandes mesmo, mas não dei sorte para embarcar, porque o primeiro simplesmente levou minha isca (uma emblemática Sammy, velha na minha caixa rsss) água abaixo até se enroscar por lá, resultando na perda do peixe e da isca; o segundo apesar de ter brigado no limpo, me escapou logo na hora de colocar-lhe as mãos. Meu genro, Fábio pegou o maiorzinho neste primeiro dia e que já rendeu muita alegria. No segundo dia, saí em companhia de meus amigos João Paulo e Valter Moraes, grandes companheiros de há muitos anos para matarmos a saudade de uma jornada comum e andamos capturando alguns peixes bons. O maior do dia foi de João Paulo. Valter andou perdendo peixe fisgado e acabou não embarcando nenhum. Nem mesmo enquanto se posa para a foto, não se deixa de tentar ver onde foi a pancada de outro peixe na água... rssss O Grande João Paulo com seu peixe, que mediu 55 cm. Aqui, mais uma belo azul Outra do mesmo peixe E outro No último dia saímos, Fábio, eu e meu irmão Mário Para finalizar, seguem meus agradecimentos a todo o pessoal que trabalha na formidável Colônia da AFPESP Unidade de Areado, Douglas, Celinho, José, Fábio, Gilmar, Rose, Renata, Débora e tantos outros, todos muito bem preparados e empenhados em proporcionar estada privilegiada. Especial agradecimento aos meus dois grandes amigos João Paulo e Valter Moraes, além de outros como Kilder e Lurdinha. Igualmente especial o agradecimento ao meu Irmão Mário, minha cunhada Helena, minha mulher Lúcia, meu genro Fábio e minha Filha Lívia, porque estivemos todos hospedados lá, onde também pude reencontrar o amigo Geraldo e mulher. Depois de ter passado três dias de maravilha naquele lugar retornamos para aqui encontrarmos esta situação de ter de ficar confinado em casa por conta desta pandemia. Mas como sabemos, dias melhores virão e aí, lá estaremos de volta, novamente motivados pela atividade que move minha vida, a pesca esportiva! PS. Para quem não conhece ou tem interesse de conhecer, a AFPESP é uma entidade que reúne associados funcionários públicos, muito embora de qualquer nível administrativo, podendo ser federal, estadual e municipal mas atuante no estado de São Paulo. Possui diversas unidades de lazer e turismo à disposição dos associados. Quem tiver interesse, basta consultar a página web da instituição clicando aqui: AFPESP
  12. 2 points
    Em época de quarentena ...segue o vídeo relato de uma pescaria bacana que realizei com amigos antes desse pesadelo chegar por aqui.... Que Deus no ajude a superar mais essa...
  13. 2 points
    Com poucas pessoas circulando está faltando as migalhas de pão deles.
  14. 2 points
    Boa noite pescadores...... Resolvi fazer em relato com minhas três últimas pescarias, fevereiro e março foram meses atípicos aqui em Curitiba, marcados por um frio fora de época dificultando um pouco a pesca da traíra. 1ª pescaria Um amigo me convidou para conhecer a represa do Passauna, o peixe alvo: black Bass e traíra. represa baixa peixe inativo parte da manhã apenas uma ação de um bom black mas não consegui embarcar. logo após o meio dia o primeiro peixe: Após essa, tivemos ação apenas final da tarde. Fazia tempo que não pescava black, o peixinho manhoso, mas......muito top de pescar. Assim foi a pescaria desse dia material Usado: vara major craft first cast 6,6 16 lbs e carretilha black window. Segunda pescaria: fomos num grupo numa chácara com uns amigos, dia muito difícil, o lugar era top, mas muito vento, frio saiu 4 traíras pequenas, tirei foto de duas, segue: 3 Pescaria. Lugar é uma chácara particular, tem três tanques pequenos, dou um troco pro dono ele deixa pescar, o problema é que quando pegam as traíras matam tudo, já diminuiu bastante. Apesar do frio, bastante ação na superfície, esse popper surpreendeu! É Isso ai, até a próxima
  15. 2 points
    Já fiz também 2 spread bar's para teaser's, vamos ver se consigo atrair alguma coisa melhor nas pescarias de corrico no mar.
  16. 2 points
    Eu já inventava moda antes da quarentena, fazendo snap's com girador.
  17. 2 points
    Show João Paulo, parabéns pelas pescarias!! Legal que o tempo livre está estimulando que mais participantes do fórum coloquem seus relatos aqui...
  18. 2 points
    Pescaria 10!! Fazia tempo que não via um Bass por aqui. Parabéns!!!
  19. 2 points
    hoje também aproveitei para fazer uns empates de aço, pois ficar perdendo iscas para as traías não da né ...
  20. 2 points
    O enterro dele foi quando mesmo? Se chegou em casa assim...!
  21. 2 points
    Já que as mascaras cirurgicas andam em falta, seguem sugestões quebra-galho para pescadores:
  22. 2 points
    Absurdo o que está acontecendo, estão cancelando a possibilidade de pescarmos com a desculpa de excesso de contato humano que facilitaria o contágio...veja na foto abaixo como isso é totalmente injustificado...
  23. 2 points
    Nesses momentos em que temos de ficar em casa, começamos a explorar o famoso terreno caseiro. Itens à muito abandonados e esquecidos, coisas estranhas ganhando poeira há anos, coisas que nem sabíamos que tínhamos guardado. O que será que iremos encontrar? Começo a andar pela casa. Nessas horas percebemos cantos e coisas que nunca tínhamos dado atenção antes. Hummm.... vejo que há uma mala antiga aqui. Bem velha, couro antigo e manchado, coisa do meio do século passado, acho. De quem seria? Escondida embaixo de uma planta. Quem será que deixou isso aí? E a chave está nela! Que sorte! Acho que vai dar para abrir. O dono nem vai saber. Fechadura antiga... Nossa! Quanta coisa. O que haverá nessas caixinhas todas decoradas com peixes ? Acho melhor abrir uma e ver o que é que tem dentro... Mitchell, o que será isso? O nome do dono? Hummm....dentro tem uns aparelhinhos pretos com alavanca e carretel de linha.....interessante.... Todos acondicionadinhos nas caixas, com um monte de documentos junto. Que bonitinho. E tem de vários tamanhos. Alguns são grandes e pesados. Outros, pequenininhos. Alguns são de tamanho médio. E a maioria pintado de preto, brilhante. Cacilda! Então era isso que estava escondido aqui. Interessante....Deixa eu guardar tudo direitinho de novo, então, para o dono nem saber que eu mexi... Mas.... espera... parece que tem mais uma caixa aqui ...e parece antiga também. O que será que tem dentro?........................
  24. 2 points
    São aquelas fotos do campeonato de pesca nudista categoria feminino que eu nunca mostrei aqui...
  25. 2 points
    Chegar em casa e dar de cara com os novos brinquedos eh bom demais ... Em breve review, ja que estamos em casa por conta do corona virus ... Abçxxxx
  26. 2 points
    Essa foto foi tirada em San-Andrés, Colômbia, em 2017, e me inspirou em um breve texto Esse lugar é conhecido como a "praça da barracuda", que tem uma estátua de uma barracuda chorando, e segundo os nativos, o choro da barracuda está na mesma metáfora das nossas "lágrimas de crocodilo" Aqui vai o texto: O choro das Barracudas. A metáfora de hoje é contada pelo choro das barracudas. Você certamente já viu um peixe chorar, gritar, e pedir por socorro. E não o ajudou. Mas quão fortes, são os peixes, que só misturam suas lágrimas com a água, porque sabem que o seu choro não será percebido. Quão fortes são as barracudas, que, mesmo vivendo na superfície, podem chorar à vontade, que nunca terão suas salgadas lágrimas diferenciadas da salgada água do mar. Não é facil se manter longe dos holofotes. Para nós, é preciso imergir às profundezas, para emergir os sentimentos. Mas não confunda solidão com as profundezas. Nas profundezas, poucos seres habitam, e é por isso que, estes são solitários. Abissal é viver na superfície, onde a lágrima é banal e o abismo não é real. Há quem diga que o salgado oceano é um compêndio... ...de salgadas lágrimas... Do choro. Das barracudas.
  27. 2 points
  28. 2 points
    Realmente Leandro meu hd cerebral está obsoleto e corrompido!... vagueio no tempo e vagamente lembro dos títulos das revistas, todavia nada que tenha eu adquirida ou até mesmo lidas, quanto aos equipamentos foram a época a minha graduação no aprendizado e ficava com os olhos mais cintilantes que as estrelas no infinito quando realizei essas conquistas...a velha caiçara era o máximo , creio que a todos nós aprendizes. Escapou nada!... já questionei ao amigo Leandro se foi na sua arca de memória que ele encontrou essas relíquias.
  29. 2 points
    Itanhaém, 15 de janeiro de 2018 (Texto autoral, e verídico) Sereia: Esta não é mais uma história de pescador Breves dias, curtas tardes e longas noites na praia me trouxeram ao mar. Era o fim de mais um dia de pescaria, um dia incomum, diria eu. O sol já estava se pondo e o meu corpo moído pedia descanso, meus antebraços doloridos por causa das brigas com os peixes estavam sem força, até que decidi entrar no mar para me banhar; deixei minha vara na areia, pedi licença à natureza como de costume e fui de encontro às ondas... ... mas não estava sozinho. Já era lá pelas 7 horas da noite e o último vestígio de luz se despedia do céu, abrindo alas para toda a majestade de uma noite de Lua Cheia. O mar estava calmo, até demais. Os ventos não sopravam com força e eu estava quase em estado de transe, quando fui subitamente interrompido por um Sussurro, seguido de um frio na espinha. -"Vinicius... Venha, você está muito cansado..." "...Vinicius... Vinici... Vini... V..." Tentei resistir, mas quando me dei conta, já estava à deriva, como um navio sem direção àlgumas léguas de casa, entregue ao seu canto, nadando nas ondas de seus cabelos. Pouco a pouco me sentia seduzido pelo seu canto, derrapando em suas curvas, naquele seu olhar de deboche, distante tal qual os barcos no horizonte, perdido, naufragado no seu sorriso (quem dera estivesse sonhando) Era metade mulher, e metade peixe. Metade Divina, a outra também. Sirena, Mermaid, Sereia, Sirène. Entregue à correnteza, senti seu corpo molhado deslizar nos meus dedos. Não lembro ao certo de seu rosto, nem de seu nome, mas aquela noite parecia não ter fim, eu estava extasiado no paraíso, com sombra e água fresca onde nós dois éramos protagonistas de um espetáculo no meio do mar. Longe da terra firme, longe de tudo, longe de todos. Éramos nós, as estrelas e toda a imensidão azul do mar; o seu Reino. Realmente eu estava muito cansado e poderia estar apenas tendo devaneios... ...mas não desta vez, não nesta noite de verão Quem vive no mar tem sorte por ter uma Sereia todos os dias consigo. Até um próximo dia, ou melhor, até uma próxima noite, Sereia...
  30. 2 points
    Opa! Valeu Fred! Cara, eu gosto muito de paralamas. Tenho gravada essa e uma versão de "romance ideal" que é outra música fantástica. Amo tocar também, se tivesse mais tempo, com certeza tocaria em mais lugares. Nessa versão tivemos que dar uma encurtada no final do solo, senão não iria acabar junto com os outros instrumentos
  31. 2 points
    Ouvindo agora um dos melhores álbuns (Ok...mais fácil identificar os "menos bons") do Rush: "Power windows". Brilhante! Fuçando na web achei essa página com uma abordagem interessante sobre o álbum: https://www.consultoriadorock.com/2018/08/18/rush-power-windows-1985 Concordo com boa parte do que está escrito sobre o album e vale a pena dar uma lida, caso se interessem em entender um pouco do trabalho desse trio fantástico. O álbum na íntegra: Editando: olhando com alguma boa vontade, essa capa é um tanto profética, não acham?
  32. 2 points
    Molinetes Paoli... Recebi dois de herança do meu tio Arnaldo. nunca os usei e estão de recordação na casa da praia. Hoje em dia enxergo a pesca como algo tão saudosista, que, mesmo com 21 anos, me sinto como um tiozinho na pescaria. Acho que é porquê ainda gosto do mais simples o possível... Pescaria sempre foi pra mim algo como ir a um jogo do time do coração: planejado por dias, calculado e aproveitado cada momento. Às vezes vejo a molecada não aproveitando tanto assim. Graças a Deus a pescaria foi, em muitas vezes o refúgio para a ansiedade e depressão. A começar pelas amizades feitas aqui no fórum.
  33. 2 points
    Apesar de ter conhecido as duas publicações, nunca tive a oportunidade de ler qualquer delas, mas usei (muito!) molinetes Paoli e Tokyo, sempre munidos de linha Caiçara... rssss
  34. 2 points
    Pescar com linha Caiçara e molinete Tokyo, SIM!
  35. 2 points
    Depois de muito tempo sem pescar as dentuças, hoje deu certo de bater umas iscas no fim de tarde, saíram 3 delas: Infelizmente uma cavala de pelo menos 1,5 kg escapou no salto...
  36. 2 points
    Olá colega, infelizmente não posso lhe auxiliar, pois nunca fui pescar ai nessa região e nem na represa. abçs e boa sorte
  37. 2 points
    Muitos pescakianos ficariam vivamente interessados em saber como era um kit de sobrevivência dos pilotos Norte Americanos no Pacífico da Segunda Guerra Mundial, principalmente no que tange à necessidade de pescar para sobreviver. Pois esse vídeo mostra como era esse kit. A parte sobre pesca está entre os 34:27 minutos até os 44:25, onde é aberta uma lata com o kit maior e, após, um kit menor. Mas o vídeo inteiro é bem interessante. Há legendas disponíveis. Abra uma cerveja e boa diversão .
  38. 2 points
  39. 2 points
    Esse vai dar sorte E quem não ?
  40. 2 points
    Prezado Pescador, Uma linha #6 supostamente peso 160 grains (10,40gramas) e como no fly é a linha que carrega a isca, iscas muito pesadas compete e compromete este carregamento... Eu costumo testar a compatibilidade do volume/peso da mosca, fazendo roll cast, de acordo com retirada desta mosca da agua pela linha de fly, terei uma ideia de compatibilidade.... Não sei com exatidão um peso máximo de mosca para uma linha 6.... Quanto a seu terrestrial de EVA, o peso x volume oferece um certo favorecimento ou desfavorecimento na INERCIA do esticar do leader (Turn over) tenha em mente que a linha lança a isca segundo a INERCIA... Se sua mosca tem mais volume e pouco peso, sofrerá com o arrasto tipo efeito "paraquedas" Se sua mosca for pesada sem muito volume para sofrer o arrasto a INERCIA lancará sua mosca com maior velocidade.... Fly Fishing segue a lei da fisica, como cada pescador aplica essa matematica, chamamos de estilo...
  41. 2 points
    Para quem curte conhecer mais sobre essa importante fabricante de material de pesca, segue abaixo o link para visualização: https://storage.westernbass.com/brochures/2019_abugarcia/page1/index.html
  42. 2 points
    Que bar, não me lembro de nada, só lembro de acordar dentro da água!
  43. 2 points
    Aquela do lado do bar.
  44. 2 points
    Não gostei! Vai que eu tome umas a mais, nem a pé eu me arrisco, quanto mais de bicicleta!
  45. 2 points
    Boa tarde Leandro! Então, eu pesco de caiaque e participo de alguns grupos daqui da minha região, o pessoal tem um atenção legal com a fiscalização e licenciamentos. Vi que esse tópico tbm foi abordado lá, alguém respondeu nos comentários e eu acabei batendo uma print (pelo celular mesmo) para caso acontecesse cmg tbm, minha licença provisória desse ano vai até segunda semana de março. Alguns falaram que entraram em contato e deu certo, fico no seu aguardo e espero ter ajudado. Segue a print:
  46. 2 points
    Qual casa é sua, Mauricio ?
  47. 2 points
    De ontem, tbm pescando tucunaré! Peguei outra praticamente do mesmo tamanho, pouca coisa mais magra, mas meu celular acabou a bateria e não consegui fotografar - essa, pega na xuxinha.
  48. 2 points
    me recordo de ver em algum canal da tv a cabo a fabricação destes, de fato um produto de extrema qualidade. tenho um que era do meu sogro e minha esposa me deu que se não me falha a memória tem até um palito de dente hahaha vou ver se acho e posto foto dele aqui
  49. 2 points
  50. 1 point
    KKkkkkk....não sei de onde você viu isso, nunca aconteceu...

Parceiros: www.petsEXPERT.pt