Ir para conteúdo

Leaderboard

Popular Content

Showing content with the highest reputation since 10/26/20 in all areas

  1. Essa Playlist do YouTube vai apresentar uma sequência de vídeos da época do VHS, que motivou muitos aqui no Brasil a tomar conhecimento e iniciar na modalidade.
    6 points
  2. Que seja um facilitador para quem um dia quiser fazer o mesmo.
    6 points
  3. Não tem como voltar no tempo. Ainda. Pode ser que em algum ponto futuro de nossa existência, possamos ter um mecanismo que o permita, mas hoje, não dá. Seria bom ou ruim? Tal e qual aquela dúvida de criança que, tremendo de insegurança, deixa de escorregar no tobogã do parque de diversões, de pular no lago, de arriscar o primeiro beijo, tenho calafrios de pensar nessa improvável decisão a tomar. Já pensou? Passar o resto da vida lamentando não ter ido com tudo! Sim, a dúvida permanece, a gente só não treme mais as pernas - essas tremem o tempo todo, cansadas pelo passar dos anos. Creio que seria muito bom, o mais difícil seria voltar. Como deixar pra trás no tempo a mãe, o pai, os avós, os amigos que se foram, aquele momento passado que sabemos que não dura pra sempre? Um dia desses um amigo me perguntou qual foi a melhor pescaria da minha vida e eu falei pra ele que tinha sido uma com meu pai na baía de Guanabara em meados dos anos 80. Ele emendou com outra pergunta: " - Pegaram muitos peixes?" Ao que respondi: " - Não lembro". Mudamos de assunto, estava entendido. Nos despedimos em seguida. Ele foi andando, disfarçando um sorriso e eu, uma lágrima. Como seria bom voltar no tempo! Se pudesse, voltaria ao ano de 1978, aquele da Copa do mundo na Argentina (e do vendido time do Peru). Mas não voltaria por causa da copa... Voltaria pra dar um prato de comida àquele morador de rua que eu vi na porta do mercadinho vizinho, comendo uma cebola crua achada no lixo, tarde da noite na véspera de Natal. Eu, então com oito anos, nunca mais esqueci aquela (vinte vezes) maldita cena. Voltaria àquela primeira entrevista de emprego em inglês. I could have been hired. Usaria todas as iscas artificiais que tínhamos em todas as pescarias que fui com meu pai. Ia descer aquele ladeirão de perto de casa freando menos e pedalando mais. Os cabelos ao vento iam agradecer. Teria dado o primeiro passo. Teria aprendido a tocar violão, guitarra, bateria ou cuíca, tanto faz. Teria ficado mais tempo me extasiando com aqueles pores-do-sol em Arraial do Cabo, Ipanema, praia da Bica ou qualquer outra praia que estive. Não ia forçar o equipamento como fiz naquelas brigas com peixes perdidos por um nó que arrebentou ou um anzol que abriu. Andaria de mãos dadas com minha mãe mais algumas centenas de vezes e ouviria mais conselhos. Mas, não dá. Tal e qual Drummond, sigo de mãos pensas, avaliando o que perdi com o tempo.
    6 points
  4. Descobri que sou tão bom em passar roupa quanto sou bom no churrasco: sai quase tudo mal passado.
    6 points
  5. Sempre achei interessante o conceito interline para varas de pesca. Afinal, se as varas podem ser tubulares, por que não a linha passar por dentro delas e assim evitar os passadores? Bom, em minha mente achei que não era feito devido ao conceito de abrasão que as linhas de pesca possuem e vendo inúmeros passadores simplesmente sulcarem feio com o uso pensei na época que isso poderia estragar uma vara de dentro para fora. Mas o fato é que elas foram desenvolvidas e tiveram algum sucesso no mercado no final do século passado. E, claro, acabei comprando algumas com o tempo. Não de qualidade ótima, mas quebravam o galho e me permitiram ver como o conceito funcionava. Este é um modelo que utiliza uma carretilha presa no início do conjunto. Tive de comprar a carretilha e a vara feita para ela. Não é um conceito para arremesso, mas sim, para um tipo de pescaria que eu fazia muito no Casqueiro até pouco tempo atrás, que é a pesca embarcada de Preulas. Para quem não sabe, as Preulas são uma espécie muito....ahnnnn....nobres . E bastava, poitado ou rodando, descer a isca até encostar no fundo e esperar os danados morderem a isca. E tive sempre muito sucesso nessa modalidade . Essa vara tem 4 metros e é tubular, a linha passa por dentro. Não serve para arremessos, é mais como uma vara lisa com a possibilidade de se modular o comprimento da linha, muito embora a carretilha lhe dê também a possibilidade de liberar linha quando da briga com algum espécime maior, que quase sempre aparecia, pois ela possui um clique que funciona como freio suave. Mais efetividade necessitaria usar a mão como moduladora. A tira de borracha foi idéia minha, de forma a poder deixar a vara apoiada no fundo do barco sem riscar o...ahnnnn... barco, claro.... Niobiumsilk. Vai saber..... É um equipamento muito interessante de se usar, posso garantir. Coloquei um pouco de multi 0,20 mm nele, o que acho ideal para o estilo. A ponteira, claro, é feita para esse modelo. Sempre gostei das telescópicas devido à praticidade de transporte e armazenamento. Essa aí cabe direitinho na minha gaveta. Sim, chinesinha até os ossos. Mas só se encontra esse tipo de material por lá mesmo. Deve ainda estar à venda no Ali, apesar de tantos anos terem se passado . Tem estilo, tenho de concordar... Não sei se seria um material para usar direto em água salobra ou salgada, penso que as engrenagens não possuem especial resistência. Mas para se brincar um pouco com os pequenos com a possibilidade de engatar uma Caratinga de quilo ou até um bom Robalo no camarão fresco, achei completamente válido. Ou esses dois aí em baixo. Então, mais um material curioso aí. Bom, até a próxima
    5 points
  6. Um aluno meu foi na direção para reclamar que eu não tratava ele igual aos outros alunos. A diretora perguntou o que exatamente estava acontecendo. Dai ele falou que eu tratava os colegas dele com um certo carinho e com ele eu era normal. Disse que eu chamava a Marcela de Ma, a Fernanda de Fê, o Renato de Rê, o Rodrigo de Rô e etc. A diretora disse a ele : - Volta para sala Custódio, o professor gosta muiiito de você , pode ter certeza disso !! kkkkkkkkkkkkk
    5 points
  7. Prezados amigos do Peskaki, um saludo muito grande desde Peru... (eu peco desculpas por meu ruim portugues ) Depois de alguns anos de ausência dos fóruns de pesca e trabalhando em minha casa, estou tentando voltar. Já se passou muito tempo desde minha última visita ao Peskaki e li suas aventuras. Espero que todos vocês e suas famílias estejam bem nestes tempos estranhos. A primeira feira, depois de mais de três anos sem postar nenhum vídeo no meu canal do Youtube, postei um com as últimas iscas que estou fazendo. Quero compartilhar com vocês um vídeo rápido para mostrar as iscas que estou fazendo para pescar trutas. Eles me divertem muito enquanto os faço ou quando os uso para pescar. Acho que a paixão e a emoção que todo pescador que amarra moscas ou faz uma isca de madeira é a mesma. Nosso sonho comum é pegar nossas belas presas com algo feito por nós mesmos. Desta vez, quero apresentar essas minúsculas iscas de madeira balsa que fiz com o propósito de me divertir quando vou caçar trutas nos riachos do altiplano peruano. O Attila Trout Hunter é uma isca minúscula feita de madeira Balsa, com cerca de 1 5/8 "de comprimento (4 cm), peso de 5/16 onças (3,2 gr), cores fantásticas e naturais, armada com ganchos Gamakatsu nº 12 ou 14, e pequenos olhos 3D feitos na casa. É importante dizer que cada isca é “única”. Para ter uma experiência de pesca de prazer usando o Attila Trout Hunter, é necessário usar um bom equipamento ultralight (cana de pesca UL 5.5 ', linha de 6-8 libras, líder 10-12 FC). Desta forma, você pode ser preciso ao lançar essas iscas leves, e quando pegar uma truta, sinta em HD a luta com aqueles peixes lindos. Convido você a assistir ao meu vídeo usando o link abaixo e, por favor, deixe-me saber a sua opinião e me dê seus comentários e recomendações. Obrigado, https://youtu.be/cnfk_dn9U-E
    5 points
  8. TRAGÉDIAS DE ANTIGAMENTE... 1. Quando as fichas acabavam no meio da ligação feita do orelhão. 2. A agulha riscava o LP bem na melhor música. 3. Você datilografava errado a última palavra da página. 4. E não tinha fita corretiva de máquina de escrever pra consertar. 5. A fita do Atari não funcionava nem depois de você assoprar. 6. O locutor falava as horas ou soltava uma vinheta BEM NO MEIO DA MÚSICA que você tinha passado horas esperando pra gravar na fita K7. 7. E depois o toca-fitas mastigava a fita K7. 8. O locutor não falava o nome da música quando ela terminava. 9. E você ficava anos sem saber quem cantava ou como chamava aquela música que você tinha amado. 10. Alguém fumava dentro do ônibus. 11. Você tinha que pagar multa por devolver a fita de vídeo VHS pra locadora sem rebobinar. 12. O Ki-suco vazava da garrafinha da sua lancheira. 13. E molhava as bisnaguinhas com patê. 14. Você tirava as letras das músicas em inglês tudo errado. 15. E depois descobria, no folheto da Fisk, que estava tudo errado mesmo. 16. Mas já era tarde, pois você já tinha decorado errado (e canta errado até hoje). 17. Você arranhava com todo cuidado, mas quando levantava o papel via que o bichinho do decalque do Ploc tinha saído sem uma perninha. 18. A televisão resolvia sair do ar no dia do último capítulo da novela. 19. E seu pai tinha que subir no telhado pra mexer na antena. 20. E ele gritava lá de cima “melhorou?” 21. E você, embaixo, avisava: “melhorou o 5, o 7 e o 9. Piorou o 4, o 11 e o 13”. 22. E nunca todos os canais ficavam bons ao mesmo tempo. 23. Chegar à padaria e lembrar que você tinha esquecido o “casco” do refrigerante. 24. Você descobria que todas as 36 fotos do seu aniversário tinham ficado desfocadas. 25. E algumas tinham queimado, porque o rebobinador da câmera tava meio enguiçado. 26. Quando sobrava só o lápis branco da caixa de 36 cores. 27. Você pensava que ia morrer porque engoliu uma bala Soft. Nossa vida era assim. E nem faz tanto tempo assim, mas nossos filhos nem têm ideia do que significa tudo isso. Repasse pra quem viveu essa época, porque pra mim enviaram por engano...
    5 points
  9. Pessoal na atual situação onde tudo está subindo de preço eu testei esse protetor solar + repelente um ótimo custo&benefício em torno de R$25~R$27 e só achei em lojas de ferramentas e construção civil. -Não fica melado e escorrendo. -Não tem cheiro forte,segundo a esposa tem um leve cheiro parecido com creme Nivea. A esposa e filhas também se renderam pelo produto barato de trabalhador braçal tudo porque tem repelente junto com a composição do protetor solar,fica a dica.
    4 points
  10. Muito legal a dica! E deve funcionar bem melhor que outros conhecidos. Esse lance de EPI é muito interessante; quando eu tava procurando um óculos pra mountain bike, somente pra proteger os olhos de insetos, poeira, essas coisas, eu vi um tanto de modelos de marcas variadas, com preços que iam de 60 reais a até quase 200 pilas! Fui em uma loja de EPI e comprei um muito parecido com os que vi, com proteção UV e que me custou a fortuna de R$ 19,90!!! Já o uso há cerca de um ano e meio e continua como novo, lentes sem manchas, me protegendo e sem incômodo algum ou desgaste. Sem contar que esse é todo preto, discreto, ao passo que os que eu vi eram coloridos, horrorosos... Daqueles que o caboclo sai pra andar de bicicleta parecendo uma mula de mascate, cheio de coisa chamando a atenção.
    4 points
  11. Caramba! Com esse shut down do Pescaki, perdi de novo aquela postagem do campeonato de pesca nudista feminino na Califórnia... E agora não tenho mais as fotos...
    4 points
  12. Me falaram que era muito usado em material escolar, mas como não é da minha época não tenho certeza !
    4 points
  13. Um Bass Pro japonês radicado nos USA nessa pandemia resolveu se aposentar depois de 37 anos servindo de consultor técnico de diversas iscas e guia de pesca,campeonatos,torneios etc... e como vai pescar agora somente por diversão e agora sem clientes para ensinar e sem torneios resolveu compartilhar e "vomitar" tudo que sabe. E umas das diversas técnicas e macete achei interessante a do Popper. Onde é feito o nó único com 4 voltas no meio do pitão e pingando um super bond para o nó não correr e depois amarrando a linha líder logo a baixo. Esse macete e técnica foi usado em um campeonato pelo Bass pro creio que era Roland Martin o nome citado e que teve ótimos resultados e se não engando até ganhou o torneio. O negócio consiste em não deixar o Popper afundar na popada e o segredo é sempre trabalhar rápido e curto nas popadas e a isca ficando mais exposto na superfície com o nado diferenciado. O trabalho comum do Popper sendo puxado na popada o snap acaba indo para o lado de cima do pitão e pela força aplicada da linha a cabeça da isca acaba indo para baixo e fica nesse vai e vem de gangorra da popada. O líder amarrado direto no meio do pitão até funciona por algum tempo,mas o nó acaba sempre escorregando para o lado de cima do pitão e sempre tendo que ajeitar segundo o Bass pro. Infelizmente não testei como é o macete e técnica,pois está tudo fechado onde pesco,mas está ai a dica. Nó indicado para o para o pitão da isca.
    4 points
  14. Hoje eu estou meio parecido com a minha TR4, fazendo 5 por litro de gasolina e 3,8 por litro de álcool na cidade. Mas já fui pior que V8 302 com dois quadrijet e compressor volumétrico! Agora, que uma boa de uma purinha de alambique e uma boa cerveja artesanal, acompanhado de um bom Habano e uma boa conversa, só é melhor se for durante uma boa pescaria, senão é bom em qualquer ocasião, mesmo que seja só para lembrar dos bons momentos de quem já nos deixou, mas não deixa de estar conosco sempre!
    4 points
  15. De fato, consegui alguma coisa. Mas perdi um monte de posts. Principalmente aquele do campeonato nudista feminino de pesca na Califórnia.
    4 points
  16. Confesso que para mim, isso não restou muito bem compreendido. O sistema mostrado na foto, a não ser que eu esteja enganado, em razão de puxar o pitão pela parte da baixo, só vai fazer a isca ter uma leve afundada no momento do toque de vara, o que é até muito bom para, de fato, empreender o verdadeiro trabalho de uma popper (vai provocar maior mexida na água), mas daí, pensar que a isca subirá em razão da puxada... acho que não. Contudo, tudo depende do ângulo em que a linha estiver em relação ao nível da água. Se a linha estiver alta, pode até ser que levantará a isca, mas se estiver ao nível da água, então a isca vai primeiro afundar, promover uma "poppada" mais forte, para em seguida retornar à superfície. A ver se alguém mais possa nos esclarecer melhor, mas na primeira oportunidade vou testar para ver.
    4 points
  17. Uma pizza quentinha é uma delícia, mas eu adoro uma pizza amanhecida, fria, com um café bem quente!
    4 points
  18. E estão tentando inventar a roda dentro da roda (já inventaram moda)! Tudo maquiagem para dizer que é novo, que é o futuro, blá, blá, blá! E o preço vai lá para cima
    4 points
  19. @Armando Ito, @Domingos Bomediano, @Roque Moraes... Por falar em anos 80, acho que essa é uma das mais icônicas daquela época. Sensacional até hoje! Steve Perry cantando um absurdo, Neal Schon evoluindo a cada álbum lançado, banda ajeitada, no azeite... Ô saudade dessa época que não volta mais!
    4 points
  20. Sempre gostei muito de ouvir Alan Parsons, pra quem não conhece, foi o engenheiro de som de "The dark side of the moon" do Pink Floyd. Acho que é suficiente como referência né? Rsrsrs No começo não se apresentava ao vivo, somente depois de vender muitos álbuns é que passou a fazer apresentações ao vivo. Aqui, duas pérolas do mesmo álbum. Aliás, nesse mesmo álbum tem "Mammagamma", que lembra muito "Another brick in the wall ". @Domingos Bomediano, o que sabe sobre essa similaridade? Já ouvi N histórias mas nunca tive confirmação de nenhuma. Na música "The Gold bug" (álbum The turn of a friendly card) novamente vem a base similar...
    4 points
  21. Manhã para minar chub, gardon e uma bela carpa espelho em um local realmente difícil, onde você é forçado a não ultrapassar o grama de flutuação e como uma linha terminal de 0,11 mm! Boa visão https://www.youtube.com/watch?v=tWWV2xE3UI0 https://youtu.be/tWWV2xE3UI0
    4 points
  22. E pensar que 3 caras faziam esse som... Mike Portnoy arrebenta mas não conseguiu tocar exatamente igual.
    4 points
  23. Lembro-me que no alto do rio Itanhaém, onde a água é permanentemente doce, eram muito comuns uns Mandizinhos claros como o da foto, bem como as conhecidas Saicangas e Lambaris, às vezes vinham até Bagres. Encostar em um ponto bom usando minhoca de isca e anzol pequeno era certeza que se pegaria uma boa quantidade desses peixes. E fiz isso mais de uma vez. Me lembro que eram muito bons para se fritar, junto com os outros citados. Do tipo: limpar, salgar, passar na farinha e bora pro óleo quente. Bagres de água doce costumam ter bom sabor, diferente dos de mar. Após, fazíamos uma bela lambarizada, onde bastava adicionar umas gotas de limão ao peixinho frito e mandar a cerveja goela abaixo.
    4 points
  24. O de cima é sanduba de magro, o de baixo, nem precisa dizer!
    4 points
  25. Um vídeo que eu...ahnnn....achei na internet...
    4 points
  26. Duas coisas preocupam os homens: um barulho estranho no motor e uma esposa silenciosa.
    4 points
  27. https://scale-magazine.com/#/0 Ótima publicação on line. Vários vídeos de alta qualidade. Há opção em inglês. (Para o Fred, tem a página 188.... )
    4 points
  28. 4 points
  29. Fred, nós somos muito novos para uma Montanha, mas extremamente velhos para um mosquito kkkkkkkkkkkk Ou seja, o tempo pode ser relativo kkkkkk Grande abraço!
    4 points
  30. Tamo junto kkkkkk Sou desta época kkkkk Eu ainda tentava receber o código de programas de computador que a rádio USP transmitia pelas ondas de rádio..e gravava no gravador de K7... pra rodar num computador similar Apple Unitron APII processador 6502 de 4 bits. Tá certo que ajudava, mas os programas de computador vinham faltando tantas linhas e tantas coisas incompletas que tive realmente de aprender programar pra preencher o que faltava kkkk e assim, eu podia jogar as versões pré historicas dos video games kkkkk E se puder somar mais uma à lista..... Quando tinha amigo secreto e a gente não tinha 1 cruzeiro pra comprar uma lembrança pra quem a gente pegou kkkkkkk Humilhante mas realista kkkkkk
    4 points
  31. Ali eu tenho tido problemas com varas de pesca, pois os safados das lojas não enviam, ou dizem que vão enviar por um meio e depois querem enviar via UPS, e teve um caso em que o site era claro que eles enviavam para o Brasil com frete baixo e depois pediram para pagar um adicional no frete. Quando contestei e cancelei o pedido por diferenças de valores, quiseram me acusar de calúnia, pois eu estava difamando eles. Nesta horas é que serve a famosa tecla "PrntScr", pois mostrei para eles e para os administradores do Ali, com telas em português e inglês que quem estava mentindo eram eles. Outra coisa que é quase um parto é a compra de pilhas recarregáveis, pois as duas últimas compras foram perdidas, uma pela DHL, no qual o código criado por eles não encontrava o produto em lugar nenhum e outra compra em que colocaram um número que mais parece um número de chassis de carro, de tantas letras e números, e que não segue padrão nenhum de envios internacionais. As compras que vem com as letras iniciais LP e uma sequencia grande de números é só usar o Global Cainiao ou o 17track que você descobre o número padrão internacional, se já está aqui no Brasil, vai te indicar um número que começa com NX mais nove números e termina em BR. E tem um site russo de buscas, que é o Track It que consegue achar muitas coisas que os dois anteriores não conseguem, mas tem que colocar o país de destino (Brazil). Bom, depois de mais de 550 compras no Ali, acho que eu entendo um pouco os meandros das coisas, mesmo assim pode mudar de uma hora para a outra, assim como o tempo no mar, pois tinha uma pescaria agendada para amanhã em São Chico e foi cancelada pois o tempo tá mais maluco que eu quando tomo umas a mais (então tá maluco mesmo)!
    3 points
  32. E a natureza ainda tenta.
    3 points
  33. Acertou miserávi, tirou dez!!!! kkkk
    3 points
  34. Bebo porque é liquido , se fosse sólido comê-lo-ia. ...(Jânio Quadros)
    3 points
  35. É nóis! Quem traz o habano?
    3 points
  36. Suntory eu já tomei na chácara Maruka, aqui em Balsa Nova, do Sr. Masato Oda. A chácara produz vinhos e oferece jantar com gengis kan na mesa. Oda san adora um karaokê.
    3 points
  37. Quem conhece não fica indeciso huashuashuas
    3 points
  38. - Um louco estava no Hospício Quando chegou uma carta para ele .. Os outros loucos foram ver.... Quando ele abriu a carta tinha uma folha em branco E ele disse :Eh do meu irmão !!!! -Como você sabe ? perguntaram Os outros loucos.. Ai ele disse : A gente não ta se falando.......
    3 points
  39. Eu atirava de pistolinha 6.35, carabina de pressão Urko 4.5, cartucheiras 32 e 36, e também 38tão. Tempo bão aonde vagabundo nem pensava em roubar uma chácara ou casa mais afastada, pois sabia que sempre tinha uns cartuchos carregados com chumbo fino e sal grosso.
    3 points
  40. Depois de longo tempo sem postar, estou enviando um Vídeo relato de uma pescaria antiga, mas que tem muitas curiosidades e locais que já não existem. Normalmente apresento somente o resumo, espero que gostem. Abraços.
    3 points
  41. Bome de onde será que o Mauricio veio com tanta sabedoria?
    3 points
×
×
  • Criar Novo...