Matheus Geraldine

Pescadores
  • Total de itens

    216
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

64 Ótima

Sobre Matheus Geraldine

  • Rank
    Já estou me enturmando!
  • Data de Nascimento 24-11-1998

Informações Pessoais

  • Localização
    SBC - SP
  • Sexo
    Masculino

Previous Fields

  • Nome Real
    Matheus Geraldine
  • Estilo de Pesca
    baitcasting

Últimos Visitantes

1.354 visualizações
  1. Boa tarde Cristiano, primeiramente obrigado pela resposta, realmente a mais de uma embarcação chamada Mattiazo, embarcamos na maior, com capacidade para 20 pescadores, como estávamos apenas em 9, acomodação foi fantástica, em relação a pescaria foi muito fraca, não apenas para nos, como para todos outros barcos, saíram apenas poucas corvinas de dia, e a noite uma pegadeira de espadas, fato que "salvou" a pescaria, apesar de não gostar das espadas, com meu equipamento leve deu até para se divertir um bocado. Quanto ao barqueiro (chamado Nei ou algo do tipo) achei razoável, cara simpático porem meio inexperiente, sempre que queríamos mudar de ponto ele perguntava o destino, algo que era ele que deveria nos direcionar, parou muito em bancos de areia e não se aproximava das rochas de maneira alguma, de modo a reduzir a quantidade de ações, também não me agradou o fato do barco não possuir sonar, uma vez que para tal pescaria acho essencial, tanto para localizar cardumes, quanto para ver as estruturas do fundo. No mais tudo de acordo, deu para se divertir.
  2. É não é que acabei de encontrar um haha, no meu último tópico, o sujeito recém chegado, cujo nem foto de perfil tem, ao invés de ajudar já chegou criticando, pior do que ignorar uma resposta, é responder algo totalmente sem nexo no seu post, tem cara que deveria seguir a risca o famoso ditado "soma ou some".
  3. Amigo estou indo em uma pescaria com um grupo de amigos, como pescador não conheço todos barcos do Brasil, por isto o intuído da minha pergunta, creio que não entendeu muito bem, já por meio dela questionei a qualidade do barco e não sua existência, e apesar de nada ter ajudado muito obrigado por essa ótima resposta.
  4. Olá turma do Pescaki, pois bem, estou com uma pescaria de 24 horas em mar aberto agendada para o dia 23 deste mês, iremos sair do píer da Figueira (São Sebastião), na embarcação Mattiazo (barco amarelo), como é a primeira vez que vou nela e não achei nada na net a respeito da mesma, gostaria da opinião de quem já foi sobre alguns quesitos, tais como se o barqueiro é competente, se a tripulação é atenciosa, se o barco seguro e tudo mais, se puderem ajudar em relação a isso agradeço e muito. Grato desde já, Matheus Luz
  5. Palma da mão no carretel como o Armando disse ou dedo indicador da mão que está segurando a vara, a linha desenrola e quando quiser parar é só "fechar" ou melhor dizendo dobrar o dedo.
  6. Discutir sobre Yaks sempre da o que falar, existem inúmeros modelos tantos nacionais quanto os gringos que agora estão entrando aqui no Brasil. Como o Flávio já disse há inúmeros fatores que influenciam na escolha, como peso, local e tudo mais. Porém vamos considerar uma situação universal, ou seja, reunir as características da maioria para escolha de um Yak: Peso: vamos colocar 100 kg Local: águas abrigadas (represas e lagos como no seu caso) e mar Preço a ser gasto: algo em torno de 1500 reais Como já dito há inúmeros modelos disponíveis e vou tentar detalhar os mais comuns, lembrando que é apenas a minha opinião, sendo baseada em testes e remadas que fiz. Começando pelo Hunter (brudden) é o tal do Yak universal, ótima estabilidade e capacidade de peso, somado a uma boa remada que não cansa e segue o rumo certo devido a presença da quilha que se estende de ponta a ponta no Yak, tem um preço atraente e pode acoplar diversos acessórios no mesmo. Barracuda e barracuda Pro (lontras), tem uma estabilidade reduzida comparada ao hunter, já que o mesmo não é tão largo, tem uma capacidade de peso boa também, quanto a remada esse Yak surpreende, por ser mais fino e ter também uma quilha que se estende de ponta a ponta rende muito na remada, é mais fácil sair do lugar e pegar velocidade do que o hunter que por contar com uma maior área demora a pegar velocidade. Quanto ao resto tudo igual, preço atraente e capacidade de modificação (se o intuído for expedições onde se leva muita carga ele se sobressai já que é possível pela caixa estanque frontal ter acesso ao interior de todo ele). Caiman 100, 125 (hidro), ótima estabilidade (APENAS EM AGUAS ABRIGADAS) que se sobressai comparado aos outros dois, boa capacidade de peso, quanto a remada é péssimo, não rende nada, para sair do lugar e pegar velocidade exige muito esforço, isso por conta da sua maior área de contato com a água e a ausência de quilha o que não da rumo a ele, sendo necessário corrigir a remada a todo momento, outro fator a ser evidenciado é que por essa falta de quilha ele roda com muita facilidade, qualquer marola ou vento que bate ele roda igual pião, quanto ao preço é um pouco mais salgado que os citados, e também conta com inúmeras possibilidades de modificações, as vezes desnecessárias já que o mesmo vem com tudo de fábrica (ponto positivo nesse quesito). Quanto a outros Yaks destinados a pesca ainda não posso falar pois não tive contato, mas já adianto sobre o recém lançado Shark, me parece e muito o Caiman com quilha, de modo a corrigir todos os defeitos pela falta dela. *** Já tive contato com o Safari, porém o mesmo não se enquadra nas características que citei já que é destinado apenas a águas abrigadas e seu preço não ser na casa dos 1500 reais. *** Não gosto de Yaks com pedais, como pesco também em represas a vegetação enrosca direto e não se torna possível passar pelos juncos e áreas com pouca água.
  7. Mais um para aguardar, a interface está muito difícil para acessar :/
  8. Ja vi armadilha para lesma, você corta uma garrafa PET grande e com a parte superior (da tampa) enterra no gramada, coloca refrigerante dentro e é só esperrar haha, as lemas caem todas dentro e não conseguem sair.
  9. Claramente não, afinal você usou um pano e não tomou choque algum haha
  10. Sempre que tenho problemas com a "cordinha" substituo a mesma por fio de Kevlar, que é a mesma que a original que vem de fábrica
  11. Curiosamente antes de eu ler o tópico, coloquei no National Geographic e está passando Monstros Pré-históricos quinta temporada episódio 3, sobre o peixe elétrico, neste momento :) o cara está pescando com vara bambu, batendo na água para chamar atenção do peixe.
  12. Relação custo benefício gosto muito do Vexter e da Starmex, sendo que o da Vexter acha para venda no valor em torno de 40 reais e o Starmex uns 30.
  13. Minha primeira pescaria noturna foi no alto da serra, isso já fazem uns 4 ou 5 anos. E para variar tem causo dela também haha. Chegamos e armamos tudo, nunca havia pescado carpas, um chegado meu montou o esquema com coxinha e chuveirinho e mandei a bóia na água. Quando deu umas 9 horas veio o problema, fisguei minha primeira carpa, já na margem como pescador de primeira viagem de carpas, chamei ela no peito e logo após a soltura descobri o porque do apelido melosa haha tirei minha única blusa toda fedida e lambuzada e passeia noite mais fria da minha vida em uma rede a noite toda tremendo, depois daquela peguei trauma e nunca mais pesquei as "melosas". Quanto ao pesqueiro, no momento está em reformas (na lanchonete), voltei a freqüentar depois que meu velho tirou uma licença de vaga especial que da direito a prioridade no embarque da balsa, assim não ficamos na fila de horas para embarque

Parceiros: www.petsEXPERT.pt