Ir para conteúdo
Pescaki.com - O seu fórum de pesca esportiva.

Pedro Silva

Pescadores
  • Total de itens

    53
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

29 Ótima

Sobre Pedro Silva

  • Rank
    Posso pescar por aqui?
  • Data de Nascimento 24-03-1985

Informações Pessoais

  • Localização
    Avaré
  • UF
    SP
  • Sexo
    Masculino

Previous Fields

  • Nome Real
    Pedro
  • Sobrenome
    da Silva
  • Estilo de Pesca
    Baitcast!

Últimos Visitantes

809 visualizações
  1. Que show Keka, parabéns pela aquisição e principalmente pelo primeiro peixe no fly . Estou namorando um conjunto de fly parecido com este seu hehehe. Quando pegar o tucuna posta umas fotos aqui pra gente ver tbm. Boas pescarias!
  2. Que show de pescaria Murilão!!! Até lembrou o meu pai, quando os tambas e as matrinxãs do açude lá do nosso sítio chegaram na faixa do 1 - 2 kg a gente começou a pescar e soltar, eu de molinete e carretilha e meu pai com vara lisa, só que de "bambu" kkkkkkkk. Parecia um cabo de vassoura a ponta da vara, de tão grossa , com aquela linha 0,70 e aquele ***** anzol 10/0 até parecia que ia pescar trairão ahahahhaha. Na hora pensei, "este velho está maluco de vez" , até a hora que ele começou a pegar peixe atrás de peixe e eu com o dedão atolado. Daí não resisti e fiz igual a você, peguei uma vara telescópica e começou a festa, pura emoção!!!
  3. Eu já estava louco de vontade de conhecer o castelinho, depois do seu relato e de ver estas belas pirararas, a vontade aumentou mais ainda hehehehe!!! Parabéns pela aula, pelo relato e principalmente pela pescaria!
  4. Que beleza que são essas dentuças. Pescaria + família + cerveja = 100% de alegria
  5. É um tema meio complicado mesmo, ainda mais quando se trata de pesqueiros, onde o número de vezes em que o peixe é fisgado é maior, em decorrência do maior movimento, acarretando em uma ferida que não irá se cicatrizar corretamente em função das inúmeras fisgadas . Mas quando se trata da natureza, creio que mesmo que uma parcela dos peixes fisgados e soltos morram (em decorrência do stress, ou da má manipulação do peixe), ainda é mais eficiente do que matar o peixe de propósito ou levar para consumo. É só fazermos uma simples comparação: -Pantanal Sul Matogrossense: era um local muito piscoso, onde se fisgava inúmeros e belos exemplares de dourados, pintados, jaús e pacus. A grande maioria dos destinos de pesca eram para lá, antigamente. Mas com a predação exacerbada houve uma diminuição drástica na quantidade de peixes e pelo que lemos e vemos em relatos, parece também que o tamanho médio dos dourados e pintados diminuiu (antigamente dourado de 7 quilos era considerado pequeno, hoje é troféu no pantanal). -Rio Paraná na Argentina: pelo que li, houve um problema após a construção das hidrelétricas e algumas espécies quase sumiram, caso do dourado. De uns tempos para cá, eles iniciaram a cota zero para o dourado, através de fiscalização forte e eficaz (quem vai pescar lá sabe muito bem disso), ou seja, proibido matar dourado, mas liberado a pesca esportiva (pescar e soltar). O que ocorreu foi um aumento gigantesco no número de peixes e o principal atrativo, aumentou o tamanho, sendo capturado dourados com mais de 20 quilos (o que leva milhares e milhares de turistas e pescadores todos os anos para lá). Através deste estudo de caso, eu sigo uma linha de raciocínio, onde "me parece" que matar as grandes matrizes e soltar os menores, acaba por deixar peixes de menor porte no ambiente, parece que é algo genético, mas não tenho certeza. Agora o que fica claro é o aumento na quantidade de peixe, o rio fica mais piscoso e isto é fato, não suposição. Mas para pesqueiro, infelizmente não sei o que compensa mais Acho que como o colega Rodrigo disse acima, abater um ou dois para consumo não irá prejudicar o ecossistema (eu não abato mais nada, solto até lambari), pois o número de pessoas que pescam é baixo se comparado com o total da população. É um caso bem complicado mesmo, que espero que se resolva logo, pois se continuar do jeito que está, meu filho só conseguirá ver peixes de bom tamanho em fotos e vídeos .
  6. Lembrar qual peixe eu gosto de pescar me trouxe boas lembranças, época de garoto em que morava no sítio e pescava todo santo dia. Das espécies que já fisguei, segue em ordem os preferidos: - Dourado: pesquei somente uma vez em 2000, no Rio Miranda, próximo a Bonito. Estava acompanhado de meu pai e meu irmão caçula. Que pescaria incrível, que briga, que salto, parecia uma barra de ouro pulando pra fora da água!!! - Traíra: primeiro peixe pego na artificial, mas gosto dela desde época de garoto, em que ficava pescando com vara de bambu e lambari de isca. - Matrinxã: como salta esta danada, fora as corridas. -Chimbore (Timbore ou Taguara): faz tempo que não pesco, mas lembro da emoção de fisgar um, aquela corrida correnteza acima fazendo a linha cantar. Quantas varas estes danados quebraram hehehe. -Pacu ; -Pintado ; -Tilápia ; -Bagre: quando chovia, era uma farra só, um atrás do outro. -Lambari. Agora pra comer, nada como uma boa picanha kkkkk. Não sou fã de peixe (odeio espinhos) e muito menos de ter que matar um, mas quando quero comer eu compro salmão ou filé de Tilápia.
  7. Parabéns pela linda dentuça !!! Eu passei pela mesma situação que você. No açude do sítio da minha família, as traíras só entravam na isca natural (lambari, carázinho, etc...) e nada de entrar nos plugs (stick, popper, zara, hélice, twitch bait, meia água, barbeludas de fundo), foi quando testei aquele jig de pena ( xuxinha da Lori) trabalhando estilo jig head pra robalo, rapaz, começou a entrar uma atrás da outra e sempre o ataque ocorria na caída, antes do jig bater no fundo. Abraços e boa sorte nas próximas pescarias !!!
  8. Que pescaria maravilhosa. Acho muito mais bacana estas pescarias desembarcadas ou de caiaque, pois é a realidade da grande maioria de nós humildes pescadores. Lindos bocudos!!! Só por curiosidade, qual a tralha que utilizou?
  9. Engraçado é que antigamente eu só gostava quando o Rubinho pescava no Pesca & Cia, quando via o Nakamura, já pensava: "Ahhhhh não, o japonês não!" E hoje sou muito mais fã do Nelsinho ahahahah. Creio que sempre ficamos mais exigentes com o passar do tempo ( não é a toa que tem um monte de idoso resmungão por aí kkkk), mas ainda tem alguns programas bacanas, pelo menos pra mim. O Pura Pesca do Eduardo Monteiro, Momento da Pesca do JH (tbm concordo que ele é um pouco barulhento, mas é o estilo e marca registrada dele), Pesca Alternativa quando tem pescaria do Nakamura, Raízes da Pesca, Biopesca e outros. Agora tem alguns programas do Estado do Paraná que chegam a dar tédio de assistir, mas é opinião pessoal novamente. Mas pra mim, o Pura Pesca é o melhor de longe, pois aprendi muita coisa com este programa e é o único que me deixa ansioso pelo próximo episódio
  10. Francis, final de semana passado eu estreei a minha T10 e achei o trabalho dela fantástico, gostei mais do que a firestick (que também foi estreada no mesmo dia), daí tive o mesmo pensamento que você: "Coloquei a zig zarinha para comparar com a T10." Confesso que gostei mais da T10, arremesso bom, mais suave quando cai na água, trabalho de zara muito bom, trabalho de stick incrível, se acelerar ela fica dando os famosos "jumpings". Cheguei a conclusão que a zig zarinha é mais barulhenta, o ratling é mais irritante, a T10 tem um ratling menos estridente, mas nenhuma delas se compara com a escandalosa da firestick. Mas no que diz respeito ao trabalho de zara, acho que as duas possuem um trabalho vistoso e fácil de se realizar, deste modo, por gosto pessoal, prefiro a T10 pela versatilidade. Já estive na mesma posição qu você, de ficar procurando outra isca e o conselho que te dou é: COMPRA LOGO!!! :rotfl2: É o único jeito de saciar essa vontade maluca de ter essas belezuras que são as iscas artificiais (depois reclamamos das esposas que querem colecionar bolsas e sapatos ahahahaha).
  11. Parabéns para todos e entrei pro time dos trintões hehehehe!!!
  12. Que linda pescaria! Parabéns. Tucunas mais lindos ainda e teve até dublê hehehe Só por curiosidade , as ações ocorreram em quais iscas?
  13. Toma cuidado com os bagres menores Marcos, já que nos grandes exemplares, os ferrões são grandes e bem visíveis (realmente parecem bracinhos kkkkk). Uma vez eu fui salvar um pintado, de uns 3 quilos, que meu primo deixou cair no chão cheio de pedra , fui afoito e tomei uma ferroada que entrou ao lado da palma da mão (perto do dedão) e o ferrão foi até o meio da palma. Foi uma dor horrível, lascinante , porque puxei o ferrão com tudo e rasgou a mão por dentro. Só me lembro de ter tomado alguns remédios (antibiótico e acho que antiinflamatório também) e ter apagado por umas 15 horas .
  14. VIsh, tenho tantas pescarias que ainda quero/pretendo/sonho realizar kkkkkkkkk . Citarei algumas abaixo: -Rio Trombetas (pirara, piraiba, jaú, tucunaré e traírão); -SIRN (açús e mais açús); -Lago do Peixe (tucuna azul); -Suia Miçu (trairão); -Ilha de Marajó (pirarucu); -Ita Ibaté ou Puerto Rzepecky na Argentina (douradões); -Rio Uruguai (dourado); -Rio Puelo no Chile (salmão e truta); -Panamá (gigantes no popper); -Rio Congo (perca do nilo e peixe tigre); -Alaska ou Canadá (esturjão branco). Algumas mais fáceis, outras nem tanto , mas sonhar não custa nada e quem sabe eu possa realizar pelo menos metade destas pescarias \o/
  15. Boa Tarde pessoal. Vitor, o pessoal anda pegando tucunaré aqui por Avaré atualmente, apesar de não ser em grande quantidade. Final de novembro do ano passado, um conhecido teve um dia incomum, onde foram embarcados mais de 30 tucunas (todos devidamente soltos), mas conforme ele, isto é bem raro de ocorrer. Peguei algumas fotos do face dele, mas como não pedi autorização prévia, editei as imagens e dei uma despixelada nos rostos e logomarcas das roupas kkkkkk. Segue abaixo algumas imagens: Bom, como pode ver, não são grandes examplares, até porque na nossa região os tucunarés não são tão grandes (parece que esta espécie não passa dos 2 Kg), mas que já deve dar uma baita emoção ao fisgar um, ahhh já . Creio que as autoridades locais deveriam atuar mais na procriação do tucunaré em nossa represa, pois atualmente o forte dela é o turismo e a prática de jetskis, lanchas e caiaques, sendo que a pesca esportiva é muito fraca por aqui ainda. To pensando em marcar um dia com o guia de pesca esportiva avaré pra conhecer pessoalmente a piscosidade do tucuna na região, só estou esperando entrar uma graninha extra ehehehe. Qualquer coisa manda uma mensagem para tentarmos marcar um dia lá com ele. Abs!!!
www.petsEXPERT.pt
×
×
  • Criar Novo...