Ir para conteúdo

Piracema fique de olho


thiagoferrari

Recommended Posts

Tire suas dúvidas sobre a piracema na bacia dos rios Paraná e Paraguai Pesca não estará liberada para o Carnaval 2015 no Paranazão; e no Rio Paraguai apenas o pesque e solte

peixespiracecma-300x200.jpg

Piracema deve ser respeitada para garantir a reprodução dos peixes (Foto: Lester Scalon)

Em aproximadamente um mês a proibição da pesca por conta da reprodução dos peixes – a piracema – passa a valer nas principais bacias brasileiras.

No Rio Uruguai, nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, a proibição já começa a partir desta quarta-feira, 1º de outubro, de acordo com o cronograma publicado no site do Ministério da Pesca e Aquicultura.

Clique aqui para conferir o período de proibição em todas as bacias.

A Pesca & Companhia pediu à Polícia Militar Ambiental do Mato Grosso do Sul que respondesse algumas dúvidas muito frequentes, sobretudo para um dos estados mais procurados pelos turistas.

Pelo cronograma publicado na semana passada no site do MPA, a piracema começa no dia 2 de novembro e vai até 1º de março na Bacia do Paraná, e vai de 5 de novembro a 28 de fevereiro na Bacia do Paraguai.

Com essas datas, a pescaria “geral” só estará permitida na Bacia do Paraná depois do Carnaval 2015, que se dará na segunda quinzena de fevereiro. Já no Paraguai a tendência é que o “pesque e solte” seja permitido exatamente na época do Feriado.

Confira as respostas do Major Queiroz da PMA/MS:

Pesca & Companhia – A pesca fica proibida, mas, mesmo assim, existem certas permissões?

Major Queiroz - Na Bacia do Rio Paraguai será permitida somente a pesca de subsistência para o morador ribeirinho. Ressaltando, que pessoas que moram nas cidades ribeirinhas (aquelas que estão às margens dos rios) não podem pescar. A pesca de subsistência é para manutenção da vida, ou seja, para pessoas que dependem da proteína do peixe para sobreviver. Podem capturar 3 kg, ou um exemplar, não podendo comercializar de forma alguma.

P&C – É verdade que para espécies que não são da Bacia correspondente, como é o caso do tucunaré no Rio Paraná, pode?

Major – Nos lagos das Usinas Hidrelétricas do Rio Paraná fica permitida a pesca de 10 kg de pescado, mais um exemplar de peixes não nativos da bacia e exóticos como: tucunaré, curvina, porquinho, tilápia, etc.. Mas destaco que é somente nos lagos das Usinas do Rio Paraná (não para outros rios da bacia).

Para o pescador profissional não há limite de cota para a captura das mesmas espécies, porém, eles não podem utilizar petrechos de emalhar. Somente molinetes, linhadas, caniços simples e carretilhas.

Lembrando também que o pescador deve respeitar 1.500 metros de distância das barragens das usinas. Nesses locais e para essas espécies será permitida a pesca embarcada ou desembarcada. A pesca de subsistência também é permitida.

P&C - No Rio Paraguai, por um apelo do turismo, há liberação do pesque e solte para todas as espécies quando se aproxima o Carnaval, não é verdade?

Major – Sim! No Rio Paraguai (no leito – calha do rio) – abre-se no mês de fevereiro o pesque e solte.

P&C – O que acontece com quem desrespeitar a piracema?

Major - A pessoa pode ser presa, algemada e encaminhada à Delegacia de Polícia, onde é autuada em flagrante pelo delito. O infrator pode sair sob fiança, desde que não seja reincidente, Ele ainda pode ter todo o produto da pesca, barcos motores e veículos apreendidos. Na reincidência não há fiança.

http://revistapescaecompanhia.uol.com.br/fique-por-dentro/tire-suas-duvidas-sobre-a-piracema-na-bacia-dos-rios-parana-e-paraguai/

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Valeu Thiago.. mas eu fiquei completamente confuso :headstars:

Eu to querendo ir bater uns tucunas em novembro mas esse texto aí me complicou a cabeça....

Na bacia do Rio Grande (Miguelópolis, Porto Colômbia) vou poder ir pescar em novembro ou não?

P&C – É verdade que para espécies que não são da Bacia correspondente, como é o caso do tucunaré no Rio Paraná, pode?

Major – Nos lagos das Usinas Hidrelétricas do Rio Paraná fica permitida a pesca de 10 kg de pescado, mais um exemplar de peixes não nativos da bacia e exóticos como: tucunaré, curvina, porquinho, tilápia, etc.. Mas destaco que é somente nos lagos das Usinas do Rio Paraná (não para outros rios da bacia).

Pela reportagem ele fala da bacia do Paraná e diz que não se aplica a outros rios da bacia.

E agora? Quem poderá me ajudar? :smiley-char145:

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Valeu Thiago.. mas eu fiquei completamente confuso :headstars:

Eu to querendo ir bater uns tucunas em novembro mas esse texto aí me complicou a cabeça....

Na bacia do Rio Grande (Miguelópolis, Porto Colômbia) vou poder ir pescar em novembro ou não?

P&C – É verdade que para espécies que não são da Bacia correspondente, como é o caso do tucunaré no Rio Paraná, pode?

Major – Nos lagos das Usinas Hidrelétricas do Rio Paraná fica permitida a pesca de 10 kg de pescado, mais um exemplar de peixes não nativos da bacia e exóticos como: tucunaré, curvina, porquinho, tilápia, etc.. Mas destaco que é somente nos lagos das Usinas do Rio Paraná (não para outros rios da bacia).

Pela reportagem ele fala da bacia do Paraná e diz que não se aplica a outros rios da bacia.

E agora? Quem poderá me ajudar? :smiley-char145:

Características da Bacia do Paraná

- A Bacia do Paraná tem grande importância nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Além de servir para o abastecimento da população e de zonas agrícolas, também é de grande importância para a geração de energia e transporte fluvial.

- O rio mais importante é o Paraná que recebe as águas de muitos afluentes como, por exemplo, rio Tietê, Paranapanema e Grande.

- Ela abastece o reservatório da Usina Hidrelétrica de Itaipu (maior do Brasil).

- Sua área é de aproximadamente 879 mil quilômetros quadrados.

- A Bacia do Rio Paraná abrange os território do Distrito Federal e mais seis estados: Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás e Santa Catarina.

- É a bacia hidrográfica com maior capacidade instalada de geração de energia elétrica. As maiores usinas hidrelétrica instaladas em rios da Bacia do Paraná são: Itaipu, Porto Primavera e Furnas.

- A vazão média das águas desta bacia hidrográfica corresponde a cerca de 7% do total do país.

- A principal rota de navegação é a hidrovia Tietê-Paraná.

Principais rios da Bacia do Paraná:

- Rio Tietê

- Rio Ivaí

- Rio Paranaíba

- Rio Iguaçu

- Rio Grande

- Rio Pardo

- Rio Amambaí

- Rio Aporé

- Rio Verde

- Rio Dourados

- Rio Sucuriú

- Rio Piquiri

- Rio Paranapanema

Pelo que entendi você pode pescar exclusivamente nos lagos represados pelo Rio Parana e fica proibida a pesca dos afluentes que também sao da bacia do paraná.

Acima tem exemplo desses outros afluentes.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Toda represa do Sudeste( Tiete, Parnaiba, Grande, etc) pode- se praticar a pesca dos peixes introduzidos durante a piracema como Tucunaré, Curvina, Tilápia e Apaiari desde que se use iscas artificiais ou isca viva com nota comprovando ser de criatório, podendo abater 10kg +1 exemplar por pessoa. Alguns rios correntes fica a vedada a pesca de qualquer maneira , cada um tem que ver a lei em sua região. Por exemplo aqui no Pardo pode-se pescar Curvina no trecho da represa, porém na parte de baixo até sua foz e incluindo o Grande acima da Ponte entre Colombia- Planura é vedada qualquer tipo de pesca.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Guest Normando

Da maneira que o tópico foi colocado pode causar alguma confusão, então vamos tentar esclarecer. A entrevista publicada se refere ao MS, sendo que este estado possui legislaçâo própria, para quem for pescar no MS entre no site do IMASUL e consulte a legislação específica.

http://www.imasul.ms.gov.br/

Para os estados que não possuem legislação específica, vale a legislação federal que pode ser consultada por bacia ou região aqui

http://www.mpa.gov.br/files/docs/Pesca/DEFESO_-_Tabela_bacias-corrigido.pdf

Lembrando ainda que devido aos problemas causados pela estiagem na região centro sul pode haver mudanças na legislação regional, como época de início/término, áreas e espécies liberadas...etc....Porém se ocorrer mudanças elas serão informadas no momento oportuno.

  • Like 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Valeu Thiago.. mas eu fiquei completamente confuso :headstars:

Eu to querendo ir bater uns tucunas em novembro mas esse texto aí me complicou a cabeça....

Na bacia do Rio Grande (Miguelópolis, Porto Colômbia) vou poder ir pescar em novembro ou não?

P&C – É verdade que para espécies que não são da Bacia correspondente, como é o caso do tucunaré no Rio Paraná, pode?

Major – Nos lagos das Usinas Hidrelétricas do Rio Paraná fica permitida a pesca de 10 kg de pescado, mais um exemplar de peixes não nativos da bacia e exóticos como: tucunaré, curvina, porquinho, tilápia, etc.. Mas destaco que é somente nos lagos das Usinas do Rio Paraná (não para outros rios da bacia).

Pela reportagem ele fala da bacia do Paraná e diz que não se aplica a outros rios da bacia.

E agora? Quem poderá me ajudar? :smiley-char145:

Helmar, para os Tucunas é tranquilo. Só observar os locais permitidos, como a distância da barragem e de lagoas marginais.

Em Miguelópolis, que fica no reservatório de volta grande, é só se atentar com a distância da barragem, que deve ser de 1,5km. Creio que não vá subir até igarapava (até porque não compensa, pq tá fraco de peixe). Se for pescar para baixo da barragem, uma referência da distância permitida é a ponte.

Em Porto Colômbia a referência para o local permitido também é a ponte que liga planura/colômbia. Da ponte para baixo é permitido, podendo até abater Corvinas e Tucunarés, que não são nativos. Se for no reservatório de Porto Colômbia, as restrições são a distância da barragem e as lagoas marginais.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Toda represa do Sudeste( Tiete, Parnaiba, Grande, etc) pode- se praticar a pesca dos peixes introduzidos durante a piracema como Tucunaré, Curvina, Tilápia e Apaiari desde que se use iscas artificiais ou isca viva com nota comprovando ser de criatório, podendo abater 10kg +1 exemplar por pessoa. Alguns rios correntes fica a vedada a pesca de qualquer maneira , cada um tem que ver a lei em sua região. Por exemplo aqui no Pardo pode-se pescar Curvina no trecho da represa, porém na parte de baixo até sua foz e incluindo o Grande acima da Ponte entre Colombia- Planura é vedada qualquer tipo de pesca.

Só reforçando o que o guto falou, em alguns rios é permitida a pesca de barranco somente na modalidade esportiva, observando também a distância de 1,5 km de cachoeiras e corredeiras. O Pardo tem mais restrições mesmo

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Guest Normando

E quanto ao pesque e solte? A piracema afeta alguma coisa?

Pelo que eu conheço no MS não é permitido o pesque e solte durante a piracema.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Da maneira que o tópico foi colocado pode causar alguma confusão, então vamos tentar esclarecer. A entrevista publicada se refere ao MS, sendo que este estado possui legislaçâo própria, para quem for pescar no MS entre no site do IMASUL e consulte a legislação específica.

http://www.imasul.ms.gov.br/

Para os estados que não possuem legislação específica, vale a legislação federal que pode ser consultada por bacia ou região aqui

http://www.mpa.gov.br/files/docs/Pesca/DEFESO_-_Tabela_bacias-corrigido.pdf

Lembrando ainda que devido aos problemas causados pela estiagem na região centro sul pode haver mudanças na legislação regional, como época de início/término, áreas e espécies liberadas...etc....Porém se ocorrer mudanças elas serão informadas no momento oportuno.

Corretíssimo!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Pelo que eu conheço no MS não é permitido o pesque e solte durante a piracema.

Aqui no MS não é permitido nenhuma modalidade de pesca na piracema, inclusive o pesque e solte.

Como diz a reportagem, somente a partir de fevereiro o pesque e solte é liberado, e somente no rio Paraguai. A partir de março, pode levar peixe, dentro das cotas, com exceção de alguns rios em que o pesque e solte é permanente e única modalidade permitida, como no rio Vermelho, por exemplo.

Quem quiser pescar por aqui no defeso, pode ir até Três Lagoas e arredores atrás dos tucunarés, ou então em Bataguassu e região, nos lagos das usinas.

Abraço!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Da maneira que o tópico foi colocado pode causar alguma confusão, então vamos tentar esclarecer. A entrevista publicada se refere ao MS, sendo que este estado possui legislaçâo própria, para quem for pescar no MS entre no site do IMASUL e consulte a legislação específica.

http://www.imasul.ms.gov.br/

Para os estados que não possuem legislação específica, vale a legislação federal que pode ser consultada por bacia ou região aqui

http://www.mpa.gov.br/files/docs/Pesca/DEFESO_-_Tabela_bacias-corrigido.pdf

Lembrando ainda que devido aos problemas causados pela estiagem na região centro sul pode haver mudanças na legislação regional, como época de início/término, áreas e espécies liberadas...etc....Porém se ocorrer mudanças elas serão informadas no momento oportuno.

Não vejo confusão no tópico , levando em consideração que no próprio existe o mesmo link que citou referente a tabela completa das bacias.

Em relação as informações achei muito oportuno criar o tópico , não sei se notou mas no leito do rio Uruguai em santa catarina e rio grande do sul começou ontem dia 01/10/2014 a proibição.

Logo este tópico de fato não vem tratar apenas da legislação de mato grosso ,e sim com uma entrevista de um representante de lá e com informação de todos os estados.

Abraço

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Aqui no MS não é permitido nenhuma modalidade de pesca na piracema, inclusive o pesque e solte.

Como diz a reportagem, somente a partir de fevereiro o pesque e solte é liberado, e somente no rio Paraguai. A partir de março, pode levar peixe, dentro das cotas, com exceção de alguns rios em que o pesque e solte é permanente e única modalidade permitida, como no rio Vermelho, por exemplo.

Quem quiser pescar por aqui no defeso, pode ir até Três Lagoas e arredores atrás dos tucunarés, ou então em Bataguassu e região. Ambos são lagos de usinas.

Abraço!

Eu tava pensando em ir pra Presidente Epitácio e como a represa é sobre a divisa SP/MS(a maior parte no MS na verdade)....

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu tava pensando em ir pra Presidente Epitácio e como a represa é sobre a divisa SP/MS(a maior parte no MS na verdade)....

Elizandro, Presidente Epitácio é a represa de Porto Primavera/UHE Eng. Sérgio Motta, no lado de MS é a região de Bataguassu que citei.

Pode pescar tucunas ali sim, a não ser que o Imasul proíba de última hora.

Abraço!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Guest Normando

Não vejo confusão no tópico , levando em consideração que no próprio existe o mesmo link que citou referente a tabela completa das bacias.

Em relação as informações achei muito oportuno criar o tópico , não sei se notou mas no leito do rio Uruguai em santa catarina e rio grande do sul começou ontem dia 01/10/2014 a proibição.

Logo este tópico de fato não vem tratar apenas da legislação de mato grosso ,e sim com uma entrevista de um representante de lá e com informação de todos os estados.

Abraço

Desculpe amigo, não quis dizer que o tópico esteja mal feito ou seja impertinente,muito antes pelo contrário. O que acontece é que a legislação é tão complicada principalmente nos rios federais que acaba deixando o pescador perdido e confuso. Pra se ter uma ideia, num mesmo rio que faz divisa com SP e MS até o meio do rio do lado de São Paulo a regra é uma, do meio do rio até a margem do MS a regra é outra. Na piracema,o trecho do Rio Grande que corta MG é regida pela Portaria 156 do IEF - MG enquanto em São Paulo é regida pela IN196/2008 do IBAMA.

De qualquer modo, peço desculpas pela intromissão no tópico e por alguma ofensa ou mal estar que tenha causado, não foi esta minha intenção. :iCo01::iCo01:

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Desculpe amigo, não quis dizer que o tópico esteja mal feito ou seja impertinente,muito antes pelo contrário. O que acontece é que a legislação é tão complicada principalmente nos rios federais que acaba deixando o pescador perdido e confuso. Pra se ter uma ideia, num mesmo rio que faz divisa com SP e MS até o meio do rio do lado de São Paulo a regra é uma, do meio do rio até a margem do MS a regra é outra. Na piracema,o trecho do Rio Grande que corta MG é regida pela Portaria 156 do IEF - MG enquanto em São Paulo é regida pela IN196/2008 do IBAMA.

De qualquer modo, peço desculpas pela intromissão no tópico e por alguma ofensa ou mal estar que tenha causado, não foi esta minha intenção. :iCo01::iCo01:

Eu que peço perdão se de alguma forma fui rude , apenas quis salientar que ao meu ver era importante relatar principalmente o pessoal de rio grande do sul e santa catarina , pois pelo que percebi já temos uma proibição em vigor.

Não tem intromissão alguma , isso que eu gosto daqui podemos conversar divergir, e no final de tudo todos estaremos falando de uma das melhores coisas que se tem pra fazer, que é pescar.

E concordo contigo , realmente é tudo muito confuso quanto as normas referente a pesca .. na verdade neste pais isso é só a pontinha de tudo que é confuso aqui.

Grande abraço

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

O certo é perguntar para o pessoal do local onde for pescar como está ocorrendo na prática a fiscalização e proibições. Já fui em local que pela lei era uma coisa, mas o pessoal e a fiscalização local fazia outra. Vejam por exemplo uma lei que proibi o abate do Dourado nos Rios de SP, ela existe há anos mas na prática ninguém a usa ou fiscaliza.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Vejam como é contraditória a pesca na Piracema nas Represas, meu primo uma vez pescando Curvina no Grande com Lambari com nota e tudo me fisga um Barbado justamente na hora que a PFlorestal fiscalizava barcos, e aí como comprovar que ele estava atrás dos Curvinas e não Barbado? Sim foi um acaso, ele soltou o peixe, mas o pesque -solte de espécies nativas tb é proibido não? Os florestais entenderam e não enroscaram, mas e se pega um chato, com a lei do lado, vc tá enrolado. É muito complicado essas legislações de piracema

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Vejam como é contraditória a pesca na Piracema nas Represas, meu primo uma vez pescando Curvina no Grande com Lambari com nota e tudo me fisga um Barbado justamente na hora que a PFlorestal fiscalizava barcos, e aí como comprovar que ele estava atrás dos Curvinas e não Barbado? Sim foi um acaso, ele soltou o peixe, mas o pesque -solte de espécies nativas tb é proibido não? Os florestais entenderam e não enroscaram, mas e se pega um chato, com a lei do lado, vc tá enrolado. É muito complicado essas legislações de piracema

Eu tenho essa preocupação... Se eu estou pescando um peixe exótico e acabo pescando um nativo sem querer e na hora errada?

Como se comportar nesse caso? "Autoridade" alguma gosta de ser contestada. É complicado isso...

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu tenho essa preocupação... Se eu estou pescando um peixe exótico e acabo pescando um nativo sem querer e na hora errada?

Como se comportar nesse caso? "Autoridade" alguma gosta de ser contestada. É complicado isso...

Outro exemplo no Rio Grande pra cima da ponte de Planura não se pode pescar, mas a maioria da pousadas se situam acima da ponte mas e se vc pegou uns Tucunas pra baixo e for pego pela fiscalização com peixe acima da ponte , como provar onde foram fisgados?

Lógico vai de bom senso da Polícia, e a maioria tem, mas é complicado ainda mais sabendo que existem muitos corrutos nesse meio, sempre querendo ganhar um por fora.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 weeks later...
×
×
  • Criar Novo...