Ir para conteúdo
Pescaki.com - O seu fórum de pesca esportiva.

Recommended Posts

Há tempos venho pelejando com esse texto, na dúvida se o postava ou não, visto que esse tipo de assunto realmente é algo que nem sempre nem em qualquer lugar se deve discutir, tal como futebol ou política. Mas vejo isso como algo necessário para mim, praticamente um testemunho (apesar de minha religião não ser a evangélica). Antecipadamente peço desculpas a quem porventura se sinta incomodado com o que escrevo nas próximas linhas, mas - como disse - preciso colocar isso pra fora.

Muitos de nós passam a semana, o mês, o ano e até mesmo a vida toda envolto numa correria, num vai e vem de afazeres, compromissos e as efemeridades cotidianas sem se dar conta de tudo isso, e quando se resolve dar valor real a ele, normalmente já é tarde demais.

Outros só lembram dele no Natal, quando de forma solene o evocam e a emoção fica aflorada. Realmente é uma época diferenciada mas não devemos dedicar somente esta época para o louvar.

Mas a palavra que trago hoje, meus amigos, é a mais pura verdade e por isso pergunto:

O que seria da gente sem o cartão de crédito???

Palavras da salvação: "Senhor, digite sua senha, por favor".

 

  • Like 1
  • Haha 2
Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sem dúvida, Fred, o tal do Cartão de Crédito é uma grande facilidade. Porém, é fácil se perder financeiramente usando ele. Como toda ferramenta, tem-se que saber usar. É necessário ter equilíbrio, pois se o usuário cair no mal afamado crédito rotativo e ficar devendo vai deixar a carne e a alma no balcão para pagar a dívida.

Tenho me policiado para diminuir meus gastos baseados nesse pedacinho de plástico. Quando usávamos pura e simplesmente dinheiro tínhamos mais equilíbrio. Víamos ele diminuindo na carteira conforme o gastávamos e aprendíamos a nos controlar. Mas quando se compra com esse pedacinho de plástico parece que tudo podemos e facilmente perdemos o auto controle.

Com essa pandemia consegui o prodígio de diminuir meus gastos nessa plastiqueta do capeta. Não, o maior gasto não era material de pesca, seus maldosos :D, era sim: com alimentação em restaurantes. Eu e minha respectiva almoçávamos todo dia em restaurante de quilo. E mesmo assim, o meu banco fez questão de aumentar o meu crédito (e me fez saber disso exaustivamente :comemorando:). E eu fiz questão de diminuir meus gastos (com um sorriso nos lábios  :bangin:). Adoro cuspir na cara desses bancocratas, sempre ligeiros em propor maneiras de nos endividarmos com eles (você tem crédito pré aprovado para comprar isso e aquilo!  Fale com o seu gerente, use nosso dinheiro!  Gaste, gaste, GASTE! Compre sua casa, seu carro, uma mulher, compre filhos, COMPRE FELICIDADE! E depois passe o resto de sua vida nos pagando, por favor, POR FAVOR! SE ENDIVIDE CONOSCO!).

Não. Acho que não. Prefiro ser livre. :plamas:

 

  • Like 1
  • Haha 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

Grande Fred,

Está inspirado, eh! :rotfl2:

Eu também já me vi muito apegado à palavra da salvação, mas curiosamente, tal como Maurício, a quarentena me fez entrar numa ciranda de economia de tal forma que hoje o uso do cartão ficou relegado para o último plano, vez que tenho feito todos os pagamentos com a função "débito". :ok: 

  • Like 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
13 horas atrás, Mauricio. disse:

Sem dúvida, Fred, o tal do Cartão de Crédito é uma grande facilidade. Porém, é fácil se perder financeiramente usando ele. Como toda ferramenta, tem-se que saber usar. É necessário ter equilíbrio, pois se o usuário cair no mal afamado crédito rotativo e ficar devendo vai deixar a carne e a alma no balcão para pagar a dívida.

Tenho me policiado para diminuir meus gastos baseados nesse pedacinho de plástico. Quando usávamos pura e simplesmente dinheiro tínhamos mais equilíbrio. Víamos ele diminuindo na carteira conforme o gastávamos e aprendíamos a nos controlar. Mas quando se compra com esse pedacinho de plástico parece que tudo podemos e facilmente perdemos o auto controle.

Com essa pandemia consegui o prodígio de diminuir meus gastos nessa plastiqueta do capeta. Não, o maior gasto não era material de pesca, seus maldosos :D, era sim: com alimentação em restaurantes. Eu e minha respectiva almoçávamos todo dia em restaurante de quilo. E mesmo assim, o meu banco fez questão de aumentar o meu crédito (e me fez saber disso exaustivamente :comemorando:). E eu fiz questão de diminuir meus gastos (com um sorriso nos lábios  :bangin:). Adoro cuspir na cara desses bancocratas, sempre ligeiros em propor maneiras de nos endividarmos com eles (você tem crédito pré aprovado para comprar isso e aquilo!  Fale com o seu gerente, use nosso dinheiro!  Gaste, gaste, GASTE! Compre sua casa, seu carro, uma mulher, compre filhos, COMPRE FELICIDADE! E depois passe o resto de sua vida nos pagando, por favor, POR FAVOR! SE ENDIVIDE CONOSCO!).

Não. Acho que não. Prefiro ser livre. :plamas:

 

Sempre lembro de uma frase tantas vezes repetida sobre os bancos: "O banco é aquele cara que te empresta um guarda-chuva em um dia de sol e toma de volta quando começa a chover". Cuidado nunca é pouco com essas águias!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
11 horas atrás, Domingos Bomediano disse:

Grande Fred,

Está inspirado, eh! :rotfl2:

Eu também já me vi muito apegado à palavra da salvação, mas curiosamente, tal como Maurício, a quarentena me fez entrar numa ciranda de economia de tal forma que hoje o uso do cartão ficou relegado para o último plano, vez que tenho feito todos os pagamentos com a função "débito". :ok: 

Inspirado nada, falta do que fazer mesmo! :rotfl2::rotfl2:

A quarentena causou muitas coisas, meu amigo! Já até estou achando que, tal e qual o celacanto, a quarentena provoca maremoto... :rotfl2::rotfl2:

Sem dúvida alguma a compra à vista é a melhor opção - tem, compra...não tem, não compra....kkkkk.... Vamos nos segurando enquanto a situação permite! 

  • Haha 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

Criei outra expectativa com as suas palavras iniciais Fred, mas a salvação é: primeiro:  perguntar se realmente está precisando do objeto a ser adquirido, seja no cartão ou nas moedas. segundo: não se apegue ao bonitinho de plástico porque logo a seguir terás que ter as moedas para continuar a tê-lo, logo, por que não mantê-lo como uma chamada de emergência tal como no celular? - dinheiro não é problema, é solução. sabendo usar não vai faltar, tal como a água.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
14 horas atrás, Fred Mancen disse:

Sempre lembro de uma frase tantas vezes repetida sobre os bancos: "O banco é aquele cara que te empresta um guarda-chuva em um dia de sol e toma de volta quando começa a chover". Cuidado nunca é pouco com essas águias!

Nunca ouvi falar sobre o balanço financeiro de banco que não ouvesse trismestralmente o superavit, ou seja: unica atividade economica não produtiva com altissima rentabilidade.   

  • Thanks 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pois é, caro Roque, e esta besta deste ministro da economia, Paulo Guedes, que só fez trabalhar para agiotas a vida inteira, e só trabalha agora defendendo os interesses dos grandes bancos internacionais, vem falar que tem que o dólar se manter acima dos R$-6,00/7,00, só para dar mais lucro ainda para os bancos. Pergunto: o que os bancos e as empresas de telefonia e internet fizeram para o povo durante esta palhaçada desta pandemia orquestrada? Tem muita coisa podre, e coisa muuuuuito podre nesta história toda!

  • Thanks 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Visitante
Responder

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

www.petsEXPERT.pt
×
×
  • Criar Novo...